#VoteLGBT: Uma campanha de todxs

Faltando menos de um mês para as eleições, a campanha do voto consciente LGBT toma as ruas. E nós do HPM, queremos lhe dizer o porque apoiamos tão seriamente esta campanha.

Todos os dias levantamos de nossas camas e seguimos os nossos repetidos caminhos pensando em como o Brasil poderia ser melhor em tantas questões: segurança, transporte público, distribuição de renda, geração de empregos, dignidade e um pouco mais de direitos humanos. Pois é. Você, gay, lésbica, bi, trans, traveco, prostituta ou mulher, você vive com medo de morrer só por ser quem você é? Todos nós vivemos.

A política no Brasil começa errado. O sistema de representatividade dos partidos, os famosos votos de legenda e suas coligações loucas, além do financiamento absurdo por parte de grandes empresas são alguns dos motivos pelos quais a reforma política se torna uma necessidade e mais do que isso, um passo para que o Brasil possa, finalmente, desenvolver seu lado crítico-político.

Mas ok, eleições 2014 estão aí e a luta por mais igualdade se tornou uma das principais discussões do ano. De minoria marginalizada, passamos a ser o centro das atenções. Além do mais, nós já tivemos tantas reviravoltas que fica até difícil acompanhar os fatos. Marina não era candidata, mas virou; aí apresentou o programa de governo mais progressista entre os três principais candidatos, ao menos no que diz respeito à comunidade LGBT+, aí no dia seguinte, voltou atrás e mostrou o seu lado conservador e fundamentalista. E não adianta colocar a culpa no Malafaia, ela sempre foi assim, desde 2010. Pesquisem.

Dilma e Aécio, políticos com cargos importantes em sua trajetória, pouco fizeram também. Há anos, a bancada evangélica pressiona a presidenta para que o PLC 122 continue engavetado, e de olho no apoio deles, Dilma obedeceu, mas agora promete a criminalização. Tantos deputados, vereadores, governadores e senadores ignoram o assunto e enquanto isso muitos continuam morrendo todos os dias.

O voto LGBT não é procurar um candidato que seja gay, lésbica, trans ou bi. Para votar LGBT, procure um candidato que entenda e, mais do que isso, lute pelas nossas causas. Pesquise seu histórico e pergunte as suas propostas. Entre no site, facebook ou twitter, converse com quem já o conhece e aí sim, decida seu voto. Se não há nada sendo feito, esta é a chance que temos de mostrar que não somos minorias, que somos mais do que eles imaginam. E não precisa ser LGBT+ para fazer parte desta campanha, precisa ser apenas humano.

Nós temos os nossos candidatos, mas não vamos dizer quais são. Acreditamos neles e queremos que vocês procurem candidatos e acreditem neles também. Não sabe por onde começar? Acesse o site da campanha #VoteLGBT

Não podemos continuar acordando todos os dias com medo do que pode acontecer nas ruas, de 2 em 2 anos temos uma arma nas mãos. Use-a bem. Use-a. Este é o primeiro passo para mudar o Brasil.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.