Você nunca estará sozinha – Cap 1

Pessoal, deêm as boas vindas à Clarice, a nossa nova autora. A história dela é uma fanfic sobre a Clara e a Vanessa. O que é fanfic? Uma história que usa personagens do mundo real em novos contextos e novas trajetórias. Eu estou amando, espero que vocês gostem!

– Como assim, Clara? Você vai largar tudo por aqui? – perguntou Maiara, assustada.
– Vou e isso não tá em discussão, Má. – Clara respondeu tranquilamente, enquanto desocupava parte de seu guarda-roupa.
– Você saiu de lá sufocada! Queria ser feliz! Sua felicidade tá aqui! – Maiara parecia ter todo o medo do mundo em suas palavras. Seu desespero era real e, aparentemente, justificado.
– Tudo vai ficar bem, Má. Eu ficarei bem. Só to querendo sentir aquele ar outra vez.
– E o Fábio, Clara, o que tá achando disso?
– Ah, ele não curtiu muito, mas tá me apoiando. A preocupação dele é a distância do Pedrinho, afinal, ele não pode largar o trabalho e ir comigo pra tão longe, do dia para a noite. Aliás, em dois dias.
– Você é louca, minha amiga. E eu não sei como será minha vida sem você aqui perto.

Essa não foi exatamente a frase de apoio que Clara esperava escutar de sua amiga. Assim como Fábio, Maiara também não conseguia entender o motivo capaz de fazer Clara voltar para São Paulo. Nada fazia sentido.

Las Vegas sempre foi o maior desejo de Clara. Nessa cidade ela conseguiu se estabilizar financeiramente, construiu uma família e realizou boa parte dos seus sonhos. Por outro lado, São Paulo não guardava boas memórias.

– Eu não vou conseguir te explicar algo que nem eu entendo, Má. A verdade é que eu acordei ontem e senti uma vontade imensa daquela cidade. No mesmo instante eu conversei com o Fábio e na hora seguinte eu já tava com o bilhete comprado.
– Louca e impulsiva. Impulsiva demais, Clara! – A conversa seguiu em tom de despedida, afinal Clara viajaria ainda naquela semana.

Maiara e Clara se conheceram há quase seis anos, exatamente em São Paulo, num show de rock, onde as duas prestigiavam a banda de um amigo em comum. Foi Maiara quem incentivou e ajudou Clara em sua mudança para Las Vegas.

O dia foi longo. Após a conversa com Maiara, Clara continuou arrumando parte de suas roupas e também as de Pedro. Parecia instinto, ou qualquer outra coisa do gênero, mas a certeza de que era a hora de voltar para casa tranquilizava o coração de Clara.

Fábio nunca chegava cedo ao apartamento do casal. Ele é dono de uma bem sucedida empresa de publicidade em Vegas e o trabalho costuma ocupar boa parte do seu dia. Porém, isso nunca atrapalhou seu relacionamento com Clara. Estão juntos há três anos e, desde o primeiro encontro, Clara soube que ele seria o seu porto seguro, o único homem em que ela confiava.

Começava a escurecer quando Fábio voltou do trabalho. Pedro, que brincava em seu cercadinho sob a supervisão de Clara, tratou de receber seu pai com um sorriso caloroso.

– Oi, princesa, como foi o dia? – após pegar Pedro no colo, Fábio beijou Clara carinhosamente.
– Passou voando, amor! Maiara veio aqui e ficamos umas boas horas de papo, enquanto eu arrumava umas coisas pra viagem.
– Quer dizer que você está decidida mesmo?
– Eu estou. Pela manhã liguei pra a administração de um flat e já até transferi parte do dinheiro.
– Você não tem motivos pra sair daqui, princesa.
– Eu não estou fugindo ou abandonando você, Fábio. Sei lá, eu só quero dar um tempo em tudo, curtir o Pedro um pouco mais, rever minha família, a casa dos meus pais… Eu saí de São Paulo do mesmo jeito que to voltando, do dia para a noite. Me deu vontade de voltar e eu seguirei isso.
– Você sabe que tem meu apoio, eu não vou te segurar. Fico triste pelo Pedro. Aliás, vocês dois são a minha vida, tudo o que eu faço é pensando na felicidade de vocês.
– E eu sou feliz, amor. E olha só a carinha do Pedro, é uma criança muito feliz, vive sorrindo. Eu te amo muito, logo estaremos perto novamente, é só um tempo pra respirar e sair dessa rotina.
– Não é só isso, Clara. Eu te dou todo apoio necessário, mas eu não consigo entender seus motivos. Preciso de um banho. – Fábio entregou Pedro para Clara e seguiu para o quarto do casal.

Seria ingenuidade pensar que estava tudo bem. Fábio foi o responsável pela virada na vida de Clara e sua volta a São Paulo soava num tom incompreensível. Ao mesmo tempo não tinha nada para ser feito. Foi por essa Clara que Fábio se encantou: impulsiva, decidida e livre. Sendo este último adjetivo o que melhor se adequar à Clara.

Apesar da pouca estatura e do rosto delicado, Clara é uma mulher forte. Seus vinte e poucos anos foram verdadeiras provações diante de suas escolhas, que nem sempre foram boas. Sempre foi rebelde, e daquelas sem causa. Saiu cedo de casa e quis ganhar o mundo, o que sempre gerou revolta em seus pais. Independente, trabalhou em vários lugares até se encontrar como modelo.

Clara é dona de um sorriso marcante e fala mansa, ela sabe onde sua meiguice consegue leva-la e não poupa fôlego para se aproveitar disso. Simpática e com um carisma que não cabe em seu pequeno tamanho abriu diversas portas para atingir o sonho de viver de música, sua grande paixão. Sua beleza, então, dispensa comentários. Em Vegas fez vários cursos para se tornar DJ e sua carreira começava a ganhar força na cidade quando ela decidiu voltar para São Paulo.

O dia seguinte começou em tom de saudade. Fábio precisou ir cedo ao seu escritório e não quis acordar Clara. Com uma sorte que poucas mães tem, Pedro, no auge do seu primeiro ano de vida, dorme a noite inteirinha e adora acordar tarde, o que facilita a vida de Clara. Mesmo com uma certa pressa, Fábio tratou de montar um pequeno café da manhã para sua esposa, com direito à bilhete apaixonado e uma linda rosa vermelha.

Ao levantar e ver o capricho de Fábio, a emoção tomou conta de Clara, que se debruçou em lágrimas sem sequer entender a razão para o choro. Em sua cabeça milhares de perguntas começavam a surgir: estaria ela abrindo mão de uma vida feliz por um ato impulsivo? Por que voltar para a cidade onde ela era infeliz?

Clara não conseguiu responder nenhuma pergunta. Definitivamente ela desistiu de tentar entender o que a fez tomar a decisão de voltar a São Paulo. Resolveu resumir para si mesma – e para quem mais interessasse – que estava seguindo o seu coração. Essa sempre foi a sua filosofia de vida. Nos erros e nos acertos seu coração sempre foi o seu piloto, seu guia, sua maior verdade.

A saudade se estendeu no resto do dia, mas Clara soube lidar. Sair de Vegas daquele jeito estava facilitando um pouco o lado emocional. Só Maiara e Fábio ganharam explicações, não haveria despedida, afinal, tudo aquilo seria momentâneo, não tinha espaço para drama.

No final da tarde tudo já estava arrumado. As coisinhas de Pedro estavam devidamente arrumadas, incluindo seu boneco do Mickey quase maior que ele! Clara tratou de finalizar sua mala também, o horário do voo era bem cedo no dia seguinte.

Em retribuição à gentileza e carinho de Fábio, Clara resolveu preparar um jantar especial para o casal e seu pequeno. Como no dia anterior, Fábio chegou um pouco mais cedo e tratou de ficar colado em Clara.

As horas que antecederam o embarque de Clara foram todas em família, mas sem lágrimas ou adeus. Fábio parecia conformado com aquilo tudo, talvez fosse só mais uma loucura de Clara, mais cedo ou mais tarde tudo iria se ajeitar, logo ela estaria de volta. Em outro sentido estava ela, empolgadíssima com a viagem, sem saber o que a esperava e com a certeza de que, na verdade, ninguém a esperava. Mas a animação era ridiculamente notada em seu semblante.

Ela estava pronta para apagar de vez a imagem de sofrimento atrelada a São Paulo e reescrever uma história bem mais tranquila durante o período que passará por lá. Mas esse seria o real motivo que fez seu coração surtar desse jeito?

sig_Clarice.png

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.