Um arco íris de amor na timeline e na vida

Todo mundo acompanhou a enxurrada de perfis arco-íris que começou na última sexta (26), no Facebook. Tratava-se de uma ferramenta disponibilizada pelo próprio Facebook chamada “Celebrate Pride” onde o usuário teria um filtro de arco íris aplicado a foto do perfil. Tudo fazia parte da comemoração pela aprovação do casamento gay em todo o território americano, além de combinar com a proximidade do Dia Internacional do Orgulho Gay, celebrado em 28 de junho.

A polícia da moral, ou aqueles que simplesmente gostam de reclamar e implicar com tudo que acontece nas rede sociais logo reclamara e colocaram de fora suas línguas afiadas denunciando a comoção colorida. Os principais argumentos destas pessoas eram: procure uma causa mais importante para apoiar. ou então isso é denunciar que é gay e o meu preferido você sabe que isso aconteceu nos estados unidos, né? está comemorando porque? Bom, eu não vou responder a estas colocações, mas quero contar a minha experiência pessoal naquela sexta marcante.

Normalmente acordo, tarde, por volta de 11h da manhã (durmo muito tarde também) e ainda na cama, abri meu Twitter e em seguida meu Instagram e fui atingida por um enorme raio de purpurina que vinha me dizer o grande feito acontecido nos Estados Unidos. Estávamos esperando este resultado durante todo o mês e ele chegou bem próximo do dia 28, não é? Chego a pensar que fizeram de propósito. Na mesma hora, mandei uma mensagem para a minha namorada comemorando com ela, pulei da cama e voei para o computador. Chorei.

Eu sei que a resolução não vale para o Brasil, mas sei também a luta que os ativistas americanos travaram para que a Suprema Corte pegasse o caso. Sei também que, sendo uma super potência mundial e um exportador de culturas, essa decisão vinda dos Estados Unidos significa portas se abrindo em todo o mundo. E me emocionei ao ver tantas marcas se unindo a nós, como se estivéssemos de mãos dadas abraçando o mundo e apenas celebrando o amor, que mais uma vez, venceu.

E aí, veio a ferramenta do Facebook. Agora, não eram mais as marcas, eram meus amigos. Aos poucos, vi pessoas que mantenho pouco contato, mas todo dia vejo aquele rostinho passando ali no facebook, se unirem a mim na comemoração de uma vitória que é de todos nós. Me emocionei ao ver amigos muito próximos celebrando o amor, quase chorei ao ver uma das minhas melhores amigas, que é evangélica, postando o quanto estava feliz com aquela vitória e quando vi pessoas da minha família trocando suas fotos de perfil, tive vontade de correr e abraçar cada um deles e agradecer.

Você aí que acha que isso é modinha e bobeira, não precisou lutar para poder casar e nem comemorou quando isso foi permitido, porque pra você, isso nunca foi proibido. Então, não venha fiscalizar a alegria alheia. Não venha me tirar o direito de comemorar a conquista de uma coisa que você sempre teve. Você não sabe e não entende essa felicidade. E na boa? Se isso for modinha, então que essa moda se espalhe! Porque comemorar a vitória do amor, deveria ser obrigação diária e eterna de todos nós.

E a você, amigos e companheiros que trocaram suas fotos do perfil, sendo ou não sendo gay, aqui vai meu abraço, meu agradecimento e todo meu carinho, vocês fizeram a diferença pra mim.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Este post tem um comentário

  1. Gabriela Garcia

    E pra mim T_T

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.