Rosa dourada – Cap 46

Nunca dei uma de cupido, mas como era para meu melhor amigo, tudo se tornaria possível. Apesar de não saber o que se passava na cabeça da guria que o Di acabou beijando, tentaria resolver o problema sem ter um plano. Era difícil vê-lo assim, estava muito nervoso e sem saber o que fazer com relação a isso. Acho que Meus conselhos ajudaram um pouco, afinal ele que tem que ir atrás dela e resolver de vez essa situação.

Passamos um bom tempo juntos discutindo tudo, era como se fosse uma missão quase impossível, mas estava indo tudo nos conformes e para completar acabamos obtendo uma saída pra tudo. Ou ele ia e falava tudo pra ela, ou simplesmente ficaria sofrendo como um bobo apaixonado sem saber o que fazer.

Sua insegurança ia desaparecendo e a confiança o tomava por inteiro, era um Di bastante diferente, não o que eu conhecia há um tempão.

Voltei pra minha casa e decidi esperar que tudo acontecesse, a Aninha não colaborou muito, acabou tocando ainda mais no assunto do Di, era como se as horas não passassem e o tempo estagnasse.

Acabei por dedicar o tempo livre que me restava para a minha maninha. A Aninha, acabou contando tudo que se passava e me atualizava do que estava se passando. E para completar, falou de um relacionamento que estava se iniciando.

sig_clara.png

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.