Rosa dourada – Cap 36

Cada momento simples com ela se tornava mágico. Caminhamos de mãos dadas, vez ou outra me roubava um beijo despercebido sem ninguém para olhar.

Me lembro do toque, desse sentimento, no mundo só nós duas e a magia que envolve nosso amor em uma perfeita harmonia. Era tudo que eu queria; tudo que poderia querer ao seu lado. Era impressionante como as coisas fluíam naturalmente entre nós duas. Ao lado dela, meu medo e minha insegurança desapareciam e uma nova pessoa dentro mim surgia.

– Passa comigo um fim de semana?
– Tá louca? Aposto que você não escutou nada daquele jantar.
– Juro que se eu ouvir um SIM, você será por mim eternamente amada.
– Chantagem agora? Isso não faz muito a sua cara.
– Ah Patrícia, eu sei de muito… Mas se eu fizer com calma até sua alma vai ficar apaixonada por mim. Rsrs
– Você está bem? Sério Sarah, para de tirar com minha cara!
– Desculpa amor. É que eu amo te ver bravinha.
– Só podia mesmo.

Patrícia cruzou os braços e demonstrou estar com raiva; pena que essa raiva passou assim que a beijei.

– Louca. Tem muita gente aqui.
– E? Eu não me importo com isso. Apenas quero beijar minha namorada.
– Só mais um, ok?

Entre nós duas existem dois nós, uma que amarra a alma e outro o coração. No corpo é mais paixão que amor, na alma mais amor que paixão. A gente nunca esteve sem estar 100% apaixonada, o nosso amor certo só deu certo porque foi feito “errado”. É muito querer bem no nosso bem querer, Patrícia foi o desejo mais forte de todos os desejos que eu quis.

Dei a pior desculpa que consegui achar para conseguir levá-la para minha casa. O assunto que mais falamos foram as novas regras. E o que podíamos fazer para ficarmos mais tempo juntas. O que ela me disse em seguida me desconcentrou. Patrícia falou que por mim, ela pagava juros de desejos, quinhentos mil abraços e um milhão de beijos.

Já na minha casa, seguimos direto para o meu quarto, já que seria a nossa “última vez”. Sentia um suor nas mãos e na barriga um frio, ardendo como fogo coração a dentro. Nosso amor me fazia sentir com a sensação de quem anda de avião pela primeira vez. Era um sentimento que nunca havia sentido antes por pessoa alguma. Nos entregamos de corpo e alma, para um turbilhão de emoções dentro da gente. Sem negar que nos apaixonamos e acabamos perdendo todo o nosso juízo.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.