Rosa dourada – Cap 30

O filme foi muito bom, apesar de não termos dado a devida atenção que ele merecia. Passamos as quase duas horas compartilhando detalhes do nosso relacionamento com a Erica e o Di. Eles queriam saber de tudo! Como nós começamos até o que vivemos esses dias.

Era muito bom poder contar sobre nosso amor para alguém, algo tão lindo não é para ficar escondido e sim para ser mostrado aos quatro ventos. Gostei do fato deles não serem homofóbicos e principalmente quererem participar mais dos nossas vidas.

A noite foi passando e as palavras foram acabando gradativamente. Nosso papo estava tão demorado e tão perfeito que nem vimos as horas passarem. Foi preciso os seguranças do shopping nos chamarem para sairmos do local, pois estava fechando. Foi meio constrangedor essa cena, mas levamos na esportiva.

No caminha para casa o Di fez a pergunta que nos deixou meio balançadas. Ele perguntou quando iríamos nos assumir perante tudo e todos. Não era uma pergunta de fácil resposta para uma garota que acabou de sair do armário. Só eles e nossas famílias sabiam que éramos lésbicas. Ninguém mais sabia, quer dizer, a Camila sabia, mas isso não vem ao caso, pois ela não passa de uma “ninguém” para nós.

Se o ocorrido com a Camila não tivesse acontecido, essa noite eu iria dormir na casa da Patrícia. Meus pais cortaram meu baratos, eles simplesmente não aceitaram que eu dormisse na casa da Patrícia. Falaram muitas coisas, falaram até sobre o sexo. Não foi uma conversa muito boa, na realidade foi bastante constrangedora.

Os últimos minutos com minha amada acabaram passando muito rápido, nem cheguei a perceber que havia perdido a hora de chegar em casa. Valeu a pena, o único problema era que no dia seguinte teríamos que voltar a realidade, pois a vida nos chamava. Principalmente os compromissos com a escola. E certamente o assunto seria a minha briga com a Camila. Não dava para escondê-la. As marcas ainda estavam em meu corpo.

sig_clara.png

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.