Rosa dourada – Cap 28

A vida nos faz forte o suficiente para aguentar qualquer situação, onde põe nosso bem estar em risco e faz com que possamos viver em um ritmo propenso para nos tornarmos pessoas que melhoram a vida a cada erro cometido.

Meu pai já desconfiava que eu possuía um caso com a Patrícia, só que ele ainda não havia se pronunciado. Tinha medo, pois não sabia se meus pais eram preconceituosos ou se eles iriam me mandar para um lugar bastante longe dela. Pensando bem, se eles desconfiavam e não havia feito nada ainda, só restava ligar os pontos.

Conversei seriamente com os dois, abri literalmente o jogo e minha vida para eles. Cheguei a falar que queria me assumir para tudo e para todos e que nada iria impedir minha felicidade, pois quando estava ao lado da Patrícia a felicidade me tomava de corpo e alma e que quando me afastava dela, parecia que um pedaço de mim, havia sido arrancado fora.

Não é um amor possessivo, apenas um amor regado a bastante carinho e prazer, onde ambas as partes estavam desfrutando do momento e que nada e nem ninguém iria acabar com essa nossa felicidade que dura até hoje.

Caras leitoras, a maioria de vocês devem saber o quanto é difícil se assumir para os pais e para os amigos, mas na minha opinião, o mais importante disso é você mostrar o quanto está feliz, pois agora você está mostrando uma parte que guardava escondida dentro de si mesma para todos. Mostrar o seu EU interior verdadeiro que há muito tempo vivia na escuridão e que agora passa a brilhar nessa imensidão.

Comigo não foi diferente, amei ter me assumido, só que meus pais me falaram para ter cuidado, pois existem milhares de pessoas preconceituosas iguais a Camila espalhadas pelo mundo à fora.

Eu não achei justo ter que evitar a pegação com a Patrícia na frente dos outros, pois como meus pais haviam dito anteriormente, o que me aconteceu pode votar a acontecer, só que pior dessa vez. É muito ruim você não poder mostrar seus sentimentos em relação à pessoa amada nos dias de hoje.

O que realmente me interessava nesse momento era poder contar para a Patrícia essa novidade bastante boa. Estava tão feliz que não conseguia conter a emoção de paz e liberdade que estava sentindo. Estava com vontade de sair correndo ao seu encontro, mas isso não seria sensato.

Esperei alguns minutos para conseguir controlar toda essa felicidade, e então liguei… Liguei para minha amada, para chamá-la para sair. Foi mais um protesto que usei para contar da novidade.

Hora e local marcados.
Agora só me restava esperar o momento certo para ir ao seu encontro.

sig_clara.png

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.