Rosa dourada – Cap 27

Às vezes o que pensamos ser certo acaba não sendo o que esperávamos, o planejamento diário é constituído nesse princípio. O certo é o que nos deixa feliz e acaba melhorando nossas vidas. A sociedade em geral não pensa assim, para ela devemos agir conforme seus princípios sociais e ético.

Eu finjo que não me importo, mas no fundo isso machuca; imagino uma história para a minha vida e passo a acreditar nela, pois algo me diz: não desista o melhor ainda está por vir.

O que me aconteceu só fez com que antecipasse uma conversa bastante importante com meus pais, mas para isso a ajuda da Patrícia seria indispensável. A briga foi o pretexto que me fez pensar melhor e por fim decidir o que quero para minha vida, e eu queria que soubessem quem realmente sou.

– Aninha, vamos pra casa.
– Você não ia ficar aqui?
– Preciso da ajuda de vocês. Tenho que fazer uma coisa hoje que era para eu ter feito a bastante tempo.
– Em que você está pensando?
– Em me assumir!
– Você está louca? Sarah, se você chegar em casa nesse estado e falar isso para os nossos pais eles vão enlouquecer.
– Sua irmã está certa amor, espera a poeira baixar, você não está em condições pra isso. Eu só quero que você entenda que está agindo por impulso.
– Não é impulso. Eu quero me assumir agora, pois estou adiando a muito tempo esse tipo de assunto com meus pais.
– Não amor, você não vai falar com eles hoje. Você vai para casa e terá que me prometer que não fará nada por impulso. Promete?
– Não. Vamos Aninha.

Saímos sem dar explicação alguma para a Patrícia, eu não podia prometer algo que não iria cumprir. Sei que ela vai entender, pois essa sua insegurança é medo de me perder. Não sei o que meus pais podem fazer, seu medo é que eles me mandem para longe dela.

– Filha, o que aconteceu? Quem te fez isso?
– Não foi nada mãe, estou bem.
– Como nada Sarah, quero respostas. Sou seu pai e você vai ter que me dizer!
– Não vou dizer, não foi nada.

Saí em direção ao meu quarto, não queria falar sobre o incidente de hoje. Esperava que minha irmã viesse comigo, mas ela ficou.

– Ana, o que aconteceu?
– Foi a Camila, pai.
– A Camila? Eu quero a verdade, a Camila não é capaz disso. Não minta pra mim.
– Não estou mentindo pai, foi a Camila sim. A Camila e seu preconceito.
– Preconceito de que?
– Ela não aguenta ver a Sarah e a Patrícia juntas.
– E qual o problema? As duas são amigas, não vejo nada de errado. Só falta dizer que elas são um casal agora. – Meu pai falou em tom sarcástico e não esperava que o dito fosse verdade.
– Sim, elas são um casal. A Camila não agüentava vê-las feliz e foi nisso que deu. Brigou com a Sarah.

Meu pai ficou pasmo e sem ter reação alguma.

sig_clara.png

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.