Rosa dourada – Cap 23

Fiquei muito perturbada com a situação, minha irmã não tinha que estar no meio dessa história; muito menos sendo chantageada. Nunca fiz nada contra ou a favor em relação a Camila, não faço a mínima ideia do porque ela esteja fazendo isso.

Não sou daquelas pessoas que ficam atrás de inimizades pelos corredores/ruas da vida. Sou daquele tipo de pessoa que fica na dela. Se eu falei ou deixei de falar com a Camila, isso não tem nada a ver com o que ela está fazendo hoje para minha irmã. Eu achei desnecessário isso da sua parte. A vida é minha e não dela, não tem pra que ficar se metendo nos meus assuntos.

Às vezes fico pensando que o que ela fez é fruto de alguma rixa do passado ou até conversas atravessadas.

Conheço Camila faz muito tempo, estudei com ela praticamente a minha adolescência toda. Ela estudou em algumas escolas que já passei. Apesar de ser aquela garota estranha, nunca fiz questão de ficar com birra para seu lado. Seu visual era único, gostava de inovar tanto nas roupas como no corte de cabelo. Tinha tatuagens e argolas na boca e no nariz. E sua altura era praticamente o dobro da minha. Ela era aquele tipo de garota que põe medo em todos.

– Amor?
– Oi
– Mesmo sendo contra sua vontade irei falar com a Camila.
– Ta louca? Aquela menina dá duas de você. Capaz dela te partir ao meio.
– Sem exageros, mas é a única forma de saber o por quê disso tudo.
– Eu quero ir com você.
– Não, Patrícia, você vai ficar em casa e deixe que eu esclareça tudo com ela. Já tenho idade suficiente para resolver meus problemas!
– Nossos problemas. Por acaso você esqueceu que eu já estou envolvida nele?
– Desculpa, amor.
– Não é mais você e eu, e sim, nós!
– Eu só quero o melhor para as nossas vidas, princesa.
– Quando vamos falar com a Camila?
– O quanto antes, as consequências para a Aninha são drásticas.
– Pois é, quem acaba se prejudicando é ela.

Sentei um pouco mais próxima da Patrícia, olhei em seus olhos e vi o quão importante é nosso amor para ela.

– Nada, mas nada vai ser capaz de acabar com nossa felicidade. O nosso amor é inabalável. -Patrícia, já estava com os olhos cheios de água e eu prestes a beija-la.
– Amor, lembre-se: As dunas mudam de lugar, mas o deserto permanece o mesmo. E o nosso amor é um exemplo disso. Te amo.

Antes que ela pudesse falar algo a beijei. Esse beijo foi a única forma que consegui para passar confiança e ao mesmo tempo pra dizê-la que ao meu lado ela sempre estará segura. Não importa o que venha, pois nunca irei desistir desse sentimento bom.

Ficamos nesse vai e vem de trocas de carícias o resto da tarde toda. Ela agora era a minha vida, o motivo da minha felicidade e toda a minha paz interior provinha de sua felicidade.

Quando a Patrícia foi pra casa, em minha memória se passava todas as coisas ditas pela Aninha. Isso não podia ficar daquele jeito. E essa história não estava dada por acabada.

Subi as escadas correndo em direção ao meu quarto. Tomei uma iniciativa. Peguei o celular. Era apenas o começo.

– Alô?

sig_clara.png

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.