Querido diário – Becca & Vicky – Cap 9

Segunda-Feira 25/12

Rebecca acordou, enviou uma mensagem convidando Vicky para tomar café da manhã:

– Acabou de completar 16 anos e já está com hábitos de velhos – Disse Vicky.
– Adoro ler jornais, eu tenho que saber o que está acontecendo no mundo. Você está triste?
– Meus pais estão se separando pela décima vez, vou ter que morar com minha mãe fora do país.
– Quando? – Perguntou Rebecca preocupada.
– Dia 02 de janeiro. Minha mãe esperou o fim do ano letivo, depois quis esperar o natal e agora decidiu que será após o ano novo – Vicky entristeceu.
– Por que não fica com seu pai? – Disse Rebecca de modo sensível.
– Ele está num novo relacionamento. Logo será recém-casado. Filhos só atrapalhariam.
– Sua mãe acha que você é gay – Disse Rebecca.
– Minha mãe acha muita coisa – Vicky esboçou um leve sorriso.
– Você gosta mesmo de garotas, ou quer apenas chamar a atenção? – Disse Rebecca.
– Eu tenho apenas 15, quer dizer 16 anos, tudo é passageiro. Apenas selinhos sem rótulos.
– Eu tenho que me manter na linha, para poder morar sozinha até final do ano que vem.
– Se eu ficasse por perto, acha que te prejudicaria? – Disse Vicky.
– Eu não sei. Um ano é muito tempo, podem acontecer muitas coisas. Sua mãe me odeia.
– Posso te fazer uma pergunta, quer dizer, duas perguntas? – Vicky sorriu.
– Sim – Disse Rebecca simplesmente.
– Quer namorar comigo? – Disse Vicky com convicção.

Rebecca sorriu.

– Namorar você, seria rotular nossa (longa pausa) “amizade”.
– Eu vou ficar longe por um ano, quando eu voltar vamos morar juntas, na sua casa – Rebecca se assustou com a determinação de Vicky.
– Daqui a um ano você nem se lembrará de mim – Disse Rebecca com ternura.
– Vou te enviar e-mails todos os dias, e te ligar com frequência, viva a tecnologia. E ainda temos alguns dias, podemos nos divertir. E encontrar algo inesquecível.
– Não gosto de traçar planos futuros. Vivo o agora antes que o dia acabe – Disse Rebecca.
– Eu gosto de planejar o futuro, visualizar cada dia. Eu queria dormir hoje e acordar com 18 anos. Minha casa parece um circo, uma festa interminável, alegria artificial desde ontem.

Rebecca se aproximou de Vicky, sentiu que aquele era o momento para finalmente dar o primeiro beijo de verdade, Rebecca percebeu que Vicky era boa com as palavras, mas que na realidade talvez ainda nem tivesse dado o primeiro beijo. Rebecca beijou-a delicamente, Vicky que respondeu na mesma medida.

Após o primeiro beijo o clima ficou silencioso, para dizer o mínimo, como se Vicky esperasse algo mais intenso como os diversos beijos que assistiu em filmes, séries e documentários com temática lgbt.

Vicky olhou para Rebecca, e sua expressão tranquila fez com que Vicky tocasse levemente em seu rosto, Vicky sorriu e beijou Rebecca com um pouco mais de intensidade, Rebecca retribuiu na mesma medida, passou as mãos nas suas costas, Vicky debruçou sobre ela.

Rebecca decidiu inverter as posições. O olhar brilhante de Vicky ao invés de excitar Rebecca, causou um efeito contrario. Uma voz em sua cabeça dizia que ela deveria ir com calma. Estava disposta há esperar o tempo que fosse necessário para ter Vicky totalmente entregue em seus braços.

sig_pimenta

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Este post tem um comentário

  1. Luciana Santos

    Nossa senhora..rsrs.
    Ótimo

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.