Querido diário – Becca & Vicky – Cap 2

Em casa, a mente de Rebecca fez um flashback, até primeira vez que ela encontrou Vicky. Vicky branquinha, baixa, olhos azuis, cabelos longos ondulados, com uma headland (tiara de flores), pulseiras de couro, vestido longo, sandálias baixas, estilo hippie. Chamou a atenção de Rebecca. Apesar dela fingir indiferença.

Rebecca morena, olhos e cabelos escuros, franja cobrindo os olhos, alta, magra, calça preta com bolsos nas laterais, blusa preta manga comprida, tênis baixo. O jeito descolado de Rebecca chamou a atenção de Vicky.

Vicky ficou impressionada com a ousadia, mesmo no corredor de acesso a sala do diretor ela não desceu do skate.

Rebecca lavou o rosto no bebedouro. Sentou-se na cadeira ao lado da Vicky, com rosto molhado. Alguns instantes depois o vigia da escola aproximou-se correndo.

– Estou te chamando desde lá de fora – Disse o vigia.

Rebecca olhou para ele, mostrou a tornozeleira de monitoramento, tirou os fones do ouvido.

– Não ande com esta coisa aqui dentro da escola. Eu não quero ter problemas com você.
– Não terá problema comigo – Disse Rebecca com ironia.

Dois homens engravatados saíram da sala do diretor, olharam para a Rebecca.

– Nem bem foi matriculada e já quer ser expulsa. De quem é esta coisa em suas mãos?

Vicky interrompeu.

– Este skate. É meu.

O homem olhou para Vicky.

– Então entrega para ela, Rebecca.

Rebecca entregou o skate nas mãos de Vicky, que o segurou de forma desengonçada.

– Tem certeza que é seu? Não parece nem mesmo saber segura-lo.

Vicky sorriu.

– Não ando de skate com as mãos.
– Rebecca, este skate é dela? – Perguntou o homem com firmeza.
– Sim – Disse Rebecca simplesmente.

Em seguida entraram na sala do diretor.

Mais tarde no mesmo dia ao se aproximar da sua nova casa Rebecca avistou Vicky.

Correu até ela.

– Eu quero meu skate – Disse Rebecca com rispidez.
– Tu disseste que ele era meu – Disse Vicky sorrindo. – Tu vai ser minha vizinha, podes me ensinar a andar de skate.
– Eu não sou instrutora. Cadê meu skate? Eu tive um dia longo.
– Meu primo usa uma tornozeleira desta, ele é um idiota fez xixi na rua. E você?
– Dei um soco na cara de uma patricinha insolente que não entregou meu skate.
– Eu vi suas manobras, Tu mandas bem. Quero aprender o básico.
– Aposto como todo mês você quer aprender algo diferente, dois dias depois à empolgação acaba. Você é o que eu chamo de: quase foi. Quase foi modelo, quase foi atriz, quase foi bailarina, quase foi quase tudo.
– Ou será que Tu, que és assim Rebecca Valentine. Nome bonito. Eu sou Camila Victória Oralleppac. Vou buscar nosso (enfatizando a palavra nosso) skate, se Tu prometer me ensinar a fazer manobras.
– Eu quero meu (enfatizando a palavra meu) skate, eu não faço promessas.

sig_pimenta

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Este post tem um comentário

  1. Luciana Santos

    Do começo até o fim a história do 2 cap, fica claro e muito boa, cada palavra que eu leio tenho imaginação na cena ao vivo.rs

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.