QUANDO MENOS SE ESPERA – Capítulo 32

Depois de visitarem a Basílica, Agnelo e a família foram almoçar no restaurante Giannino. E, depois do almoço, continuaram caminhando pelas ruas de Florença. Júlia caminhava enlaçada ao braço de Agnelo e Amanda caminhava contemplando os prédios e monumentos. Valentina já conhecia muito bem Florença e caminhava mais atrás de todos e, ao invés de admirar a cidade, admirava Amanda. Seu coração estava apertado por causa da mentira que havia confirmado para a garota por quem estava completamente apaixonada.

Quando eles chegaram ao hotel, no fim da noite, depois de jantarem na Trattoria Cammillo, recolheram-se aos seus quartos. Quando Amanda e Valentina estavam sozinhas, um silêncio constrangedor se instalava entre elas.

No domingo, eles visitaram os Museus Galileu de Florença e Galleria degli Uffizi. Desde criança, Valentina era apaixonada por museus e ficou encantada ao perceber que Amanda tinha o mesmo interesse.

Por várias vezes, Valentina ensaiou conversar com Amanda e lhe contar toda a verdade. Mas não conseguiu encontrar coragem para tanto. Desde o dia em que Valentina confirmara a mentira, percebeu que Amanda estava com um olhar triste e sentia que isso era consequência da decepção causada por ela, o que a deixava ainda mais aflita.

Outra noite no quarto do hotel. E o silêncio reinava, sempre as deixando incomodadas com aquela situação inevitável.

Na segunda-feira, muito cedo, eles se dirigiram à Siena, uma cidade há 75km de Florença. Valentina tinha ido lá apenas uma vez e quando era criança. Amanda estava visitando a cidade pela primeira vez. Ela ficou extasiada com o lugar. Passearam pela Praça del Campo, foram na Catedral de Siena, na Basílica de São Domingos, conheceram o Museo dell’Opera del Duomo e a Biblioteca Piccolomini.

Um dia foi pouco para conhecer as belezas de Siena. Mas, mesmo assim, no início da noite, eles retornaram à Florença.

No trajeto de volta, Agnelo perguntou:

– Meninas, amanhã Júlia e eu vamos à Modena. Quero conhecer os museus da Ferrari. Vocês vão com a gente?

Valentina respondeu prontamente:

– Não! Vou ficar em Florença mesmo!

– E você, filha? – Júlia perguntou a Amanda.

– Prefiro ficar em Florença também.

– Ok. Mas tomem cuidado se forem passear pela cidade, ? – Júlia recomendou.

– Meu amor, as meninas não são mais crianças! – Agnelo comentou.

No quarto do hotel, mais uma noite sem palavras trocadas entre Amanda e Valentina. Logo que chegavam ao quarto, elas tratavam de tomar banho, vestirem-se e deitarem na cama, mesmo que o sono não aparecesse tão cedo.

Na terça-feira, muito cedo, Agnelo e Júlia viajaram em direção à cidade de Modena. E avisaram que somente voltariam à noite.

Quando acordou, Valentina não viu Amanda. “Será que ela já saiu? Sozinha?”. Arrumou-se rapidamente para tomar café da manhã e encontrou Amanda terminando seu desjejum. Ficou aliviada por saber que ela não havia saído sozinha. Respirou fundo, tentou segurar o nervosismo, serviu-se de algumas torradas, frutas e café e se dirigiu até à mesa.

– Bom dia!

– Bom dia. – Amanda respondeu quase inaudível sem olhar para Valentina e se levantou.

– Espera, Amanda! – Valentina falou rapidamente.

Amanda apenas parou em pé e olhou para ela sem dizer uma palavra. Valentina continuou:

– Por favor, fica aí.

– Acho melhor não.

– Por favor! – Valentina lhe lançou um olhar suplicantemente doce.

Então, Amanda se sentou novamente, mas nada falou.

– Você pensando em sair pra algum lugar? – Valentina perguntou.

– Claro.

Pra onde?

– Não te interessa! – Amanda falou rispidamente.

– Interessa, Amanda! Eu não acho prudente que a gente saia uma para cada lado. Estamos sozinhas numa cidade estranha… Não vou deixar você sair sozinha! Eu vou com você onde você quiser ir!

Internamente, Amanda adorou o jeito de Valentina se preocupar com ela. Por óbvio que ela não demonstrou, porque resquícios de raiva e decepção ainda lhe corroíam o coração.

– Faça como você quiser! – Amanda falou secamente e se levantou.

– Você indo pra onde? – Valentina perguntou.

– Vou até o quarto. E, depois, espero você lá fora. – Amanda disse e saiu.

Valentina perdeu a fome por causa do jeito ríspido de Amanda tratá-la. Não sabia se aguentaria aquela situação por muito tempo. Era angustiante demais!

Instantes depois, Valentina encontrou Amanda na entrada do hotel, sentada em um sofá mexendo no celular.

– Vamos? – Valentina falou de um jeito meigo.

Amanda apenas se levantou. Naquele momento, os papeis estavam invertidos. Amanda era a rude e Valentina, a doce. O mundo realmente dá voltas! E nem mesmo Valentina estava se reconhecendo.

– Posso saber pra onde vamos? – Valentina apressou o passo para acompanhar Amanda.

– Passear por aí!

E, assim, elas andaram pelas ruas de Florença. Passaram pela feira do Mercato di San Lorenzo, onde Amanda comprou três souvenires para suas três melhores amigas e depois foram ao Mercado Central, onde elas almoçaram. Em silêncio. E, durante todo o passeio, elas mal conversaram.

No meio da tarde, Valentina perguntou:

– Posso sugerir um lugar pra gente ir? Pode ser que você já conhe…

– Que lugar? – Amanda interrompeu sem olhar para Valentina.

– Precisamos de um táxi! – a filha de Agnelo falou.

– Onde é? – insistiu Amanda.

– Você vai ver quando chegarmos lá! – Valentina acenou para um táxi.

Amanda bufou, mas não quis discutir. Assim, elas entraram no táxi e Valentina pediu para o taxista as levarem até a Piazzale Michelangelo. A Praça Michelangelo é uma grande praça que fica um pouco afastada do centro turístico, em uma região bem alta da cidade. De lá é possível ter uma vista incrível de Florença e de seus principais pontos turísticos.

Amanda ficou perplexamente encantada. Não conhecia aquele lugar e ficou feliz por não ter questionado Valentina. Por um momento, elas ficaram contemplando a vista em silêncio. Se aguçassem a audição talvez fosse possível ouvir os corações de ambas pulsarem fortemente dentro de seus peitos.

Envolvida com a beleza do lugar e sem suportar mais aquela sensação angustiante, Valentina respirou fundo e falou:

– Amanda…

– Oi… – a garota respondeu olhando para o horizonte.

– Eu preciso te falar uma coisa… – Valentina também falou fitando o horizonte, onde o sol se preparava para se por.

O coração de Amanda pulsou mais rápido ainda e, nervosamente, ela disse:

– Pode falar…

Respirando fundo mais uma vez, Valentina falou:

– Eu menti pra você!

Pela primeira vez desde que elas chegaram ali, Amanda olhou para Valentina e questionou:

– Como assim, você mentiu pra mim?

– Quando você me perguntou se eu tinha te beijado por causa de um desafio… – Valentina não conseguiu olhar para Amanda. – E eu disse que o Caio tinha me desafiado beijar você… Lembra? – ela olhou de soslaio para Amanda.

– Lembro muito bem! – Amanda respondeu séria.

– Pois é… – Valentina baixou a cabeça e esfregou as mãos. – Era mentira… Nunca teve desafio nenhum!

– Como assim?! E por que você me disse isso?

– Eu não disse! Lembra que eu apenas confirmei quando você me perguntou?

Por alguns segundos, Amanda ficou em silêncio, recordando a conversa e percebeu que realmente Valentina não havia falado sobre o desafio. Apenas havia confirmado.

– E por que você confirmou, se era mentira?

– Porque eu…

– E por que você me beijou, afinal? – Amanda interrompeu Valentina emendando uma pergunta na outra.

Valentina tremia por dentro. Suas mãos estavam geladas e suadas! Ela nunca havia se apaixonado de verdade antes. Aquilo tudo era inédito para ela.

– Qual pergunta você quer que eu responda primeiro? – Valentina riu nervosamente.

– Sei lá, Valentina! Quero que você esclareça a situação! Porque eu não entendendo nada!

Valentina fechou os olhos por alguns segundos e respirou. Era chegada a hora. Se não falasse naquele momento, não falaria nunca mais! Então, ela se virou para Amanda e falou:

– Eu confirmei a história do desafio, porque fiquei com medo de te dizer a verdade…

– Que é?

– Eu beijei você… porque… porque eu tive vontade! – silenciou por alguns segundos. – E eu tive vontade, porque eu… – assumir seus sentimentos ainda era muito difícil para ela. – ehhh… porque eu…

– Fala logo, Valentina! – Amanda falou impaciente e curiosa para saber o que ela diria.

Então, Valentina proferiu fitando os olhos de Amanda:

– Porque eu apaixonada por você!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.