O nosso para sempre

Conto da nossa autora convidada, a Lú.

A chuva caía sem muito pesar. Não ventava, não se ouviam os ruídos da janela, as arvores petrificadas não viviam mais. O céu cinza não abriu desde que acordara. Nada acontecia naquele pequeno mundo. Sua atenção e seus sentidos se dirigiam apenas para aquela imagem. Aquele ser puro em beleza e luz.

– Sinto sua falta. – ouviu sussurrar em seus ouvidos antes mesmo de abrir os olhos.

Depois de muito resistir à realidade, ela chegou. Mansa, começando pelo barulho da chuva. logo se ouviam o vento, as arvores voltando à vida. Se movendo como em um temporal. Era um temporal! Daqueles que chegam arrombando as janelas mau trancadas e trazendo consigo o cheiro da terra, vindo de longe.

Depois de abrir os olhos e perceber a chuva, respirou fundo para sentir a vida. Não pensou uma, nem duas… não pensou! Subiu as escadas que dava no terraço, e ainda de camisola, levantou os braços e deixou a água lavar sua alma! Não se via os prédios, nem os carros, nem os raios. Era só ela, a chuva e aquela sensação de meia vida. Era quase felicidade.

Mais uma vez aquele ser aparece em sua memória. A menina de seus sonhos, tão linda, tão jovial… Seu sorriso fazia seu coração acelerar! Era um mártir lembrar que aquilo não passava de memórias de um passado quase perfeito, acabado apenas por um plano do destino.

Levou as mãos de encontro ao seu corpo, sentiu em cada parte, a idade que havia chegado! Seus cabelos curtos e grisalhos já não eram mais fortes como antes. Nada era como antes! Mas sabia que era chegada a hora de voltar a ser.

Seus pés lentos foram de encontro a beira do prédio. Com o coração acelerado, ela diz, quase como uma oração, suas palavras ultimas…

-Segure a minha mão e me leve para perto de ti, minha Flor…- Assim, fechou os olhos e sorriu. Respirou fundo e voou.

Agora, seguindo o plano do destino, a chuva voltara a cair sem muito pesar. Não ventava, não se ouviam os ruídos da janela, mas tudo acontecia naquele mundo. Sem dor, sem lembranças, só a certeza de que ela estava a caminho de seu amor. Pros braços de sua amada… Para sempre.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.