O Amor, Simplesmente – Cap 88

A aula de terça finalmente chegava ao intervalo. Beta e Tati estavam com sono e cansadas de tanto copiar coisas do quadro. Dani estava cansada de viajar naquela cadeira. Já tinha ido até o banheiro umas duas vezes apenas para andar pelo corredor vazio. Já tinha desenhado, escrito versos perdidos no caderno e até rabiscado um coração em seu pulso. Estava pensando em Di e isso doía muito.

O sinal tocou fazendo com que todos se levantassem e se preparassem para deixar Estella sozinha na sala. Ela apenas liberou os alunos, com uma exceção:

– A srta Daniela pode ficar, por favor?

O trio se entreolhou, o que Estella queria com Dani? Beta tremeu e Tati ficou preocupada com a amiga. Mas não podiam fazer nada a não ser seguirem para o intervalo enquanto Dani ficava.

A sala já estava vazia e o último aluno fechou a porta atrás de si deixando Estella e Dani sozinhas na sala. Por incrível que pareça, Dani estava preocupada e nem tinha se dado conta que estava a sós com a professora que tanto desejou nos últimos dias.

– Desculpe, professora. O que eu fiz?
– Gostaria que você me dissesse, resumidamente, sobre o que foi a aula de hoje.

Dani ficou em silencio, não era capaz de falar isso. Esteve viajando durante todo o tempo e não sabia o que responder. Apenas abaixou a cabeça e ficou em silêncio.

– Sua prova não foi nem um pouco boa. É assim que você quer passar no vestibular?
– Desculpe, professora. Apenas não tive bons dias.
– Para me assustar na varanda de casa parecia estar tudo bem – Estella falou como se quisesse apenas desabafar e pela expressão em seu rosto, se arrependeu logo depois. Dani gostou daquilo. Reacendeu a chama.
– Desculpe, Estella. Realmente não tinha sido a minha intenção.
– Aqui eu sou professora, não Estella
– Desculpe, professora Estella.

A maneira como Dani pronunciava o nome de Estella fazia a professora se arrepiar dos pés a cabeça. Os pelos eriçados em seu braço a fizeram tremer rapidamente. Dani gostou de saber que mexia com os instintos da professora e apenas sorriu para ela. Um sorriso maldoso.

– Espero que a senhora melhore sua nota na prova deste sábado. O ano passa muito rápido quando se quer fazer vestibular.
– Se não tiver boas notas, o que acontece?
– Daniela! Olha o respeito. Eu sou sua professora.
– Desculpe, não resisti.

E com essa pequena bronca, Dani saiu da sala com um sorriso que não estava lá no inicio. Mal entrou no pátio, Beta e Tati estavam a olhando, aguardando noticias. Quando viram aquele sorriso que só elas sabiam o que significava riram de canto de boca. Sabiam que Dani já estava boa da saudade de Di.

– Essa foi rápida hein, amiga – Tati não perdeu tempo.
– Essa o que, amiga? – Dani se fez de desentendida
– Essa depressão com saudades da Di

As três riram com a piada. Tati tinha acertado pela primeira vez no comentário. Comeram e beberam para matar o ronco no estômago e apenas assistiram de longe quando Estella veio fazer seu lanche. Como de costume, recusou as moedas de troco e sentou na mesa que ficava vazia no canto. Da onde ela estava tinha visão direta para Dani. A menina pegou o olhar da professora nela umas duas vezes e sorriu de volta, atiçando os nervos de Estella e a fazendo arrepiar em cada sorriso.

Dani estava ganhando este jogo e não deixaria por menos. Resolveu ir até lá. Estella quase congelou quando viu a menina se aproximar. Não podia levantar e nem fazer escândalo. Rezou baixinho e pediu para que tudo ficasse bem.

– Oi, Estella.
– Daniela, já disse que aqui…
– Desculpe, desculpe. Professora Estella
– Pode falar, Daniela.
– Queria saber se a senhora poderia me dar aulas particulares.

Estella caiu da cadeira por dentro. Isso só podia ser uma brincadeira de mal gosto. Ela sabia que Beta estudava na mesma escola de Camila e desconfiou de algo.

– Sua amiga que mandou você fazer isso comigo? – o tom de voz baixo e nervoso entregaram o medo de Estella. Dani percebeu rapidamente.
– Não, professora. Ninguém mandou nada. Eu juro. Só queria ajuda para a prova de sábado.

Estella sabia das segundas intenções de Dani, mas acreditou que seria forte o suficiente e não queria ter que ceder.

– Se você passar dos limites as conseqüências serão bem piores.
– Isso é um desafio, professora Estella?

O silêncio confirmou e Estella se arrependeu, mais uma vez, do que falou. Aquela menina a fazia falar coisas que não devia. Ela ficava nervosa e com medo quando Dani estava por perto. Tinha que aprender a se controlar, senão nada daria certo.

– Hoje, às 18h, na minha casa. Vou te passar o endereço.
– Eu já sei onde é, Estella, obrigada. Te vejo mais tarde
– Já falei que aqui….

E antes que Estella reclamasse por não ser chamada de professora, Dani já saía com andar vitorioso e com um sorriso claro e prepotente. Estella prometeu que Dani não teria o que tanto queria. Dani sabia que não seria bem assim.

As duas ansiaram pelo fim das aulas. E finalmente, o sinal final tocou. A tarde começava.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.