O Amor, Simplesmente – Cap 85

Mais uma semana de aula ia começar naquela pequena cidade recheada de segredos e segundas intenções. Estella passou o fim de semana da maneira que estava acostumada: dormindo, comendo, bebendo seu vinho e assistindo a filmes antigos que só ela gostava. E logicamente, sem tirar o pijama.

Tati e Beta aproveitaram o fim de semana que faziam aniversário de namoro e conseguiram uma noite a sós. Foram jantar na beira da praia com direito a pratos chiques, garrafa de vinho e garçom as servindo. Tudo para comemorarem mais um mês juntas.

Do outro lado da cidade, Dani aproveitava o sábado a noite em sua cama. Fazia tempos que ela não se dedicava a ela mesma. Sua mãe aproveitou a cia para pedir uma pizza, refrigerantes, fazer pipoca e colocar algumas comédias para as duas assistirem. O dia tinha sido produtivo para todas.

Domingo a noite, Beta, Tati e Dani voltaram a se reunir. Combinaram de dormir juntas na casa de Beta, que tinha o maior quarto e uma cama de casal. O casal contou como tinha sido romantica a noite anterior e como elas terminaram relembrando o início de namoro fazendo sexo no quartinho da garagem, no colchão esquecido lá dentro. Dani morria de rir com as piadas que elas faziam sobre elas mesmas. Era esse o nível de intimidade do trio.

Iam se preparar para dormir, quando Dani interrompeu o processo e pediu uma reunião de emergência com as amigas. Prontamente atendida, começaram a discussão da pauta. Dani falava primeiro:

– Acho que estou pensando demais na Estella
– Estella nossa professora? – Tati já desconfiava que era isso, mas se fingiu de desentendida.
– É. Estella nossa linda e amada professora.

O tom ironico de Dani as fazia rir sempre.

– Da onde você tirou isso, Dani? – Beta perguntou em um tom amigável, como se quisesse realmente entender o que se passava.
– Bom, desde que ela chegou e desde que você contou a história dela eu fiquei bem mexida, admito. Mas quem abriu meus olhos mesmo foi a Di. Nós conversamos este fim de semana.
– E vocês voltaram? – Tati perguntou esperançosa, mesmo sabendo a resposta.
– Não. Ela é boa demais para namorar alguém como eu – Dani falava rindo, mas no fundo sabendo que tinha magoado de leve o coração já machucado de Di.
– Então o que foi que ela falou? – Beta continuava em seu tom amigável.
– Disse que percebeu meus olhares e disse que eu estava afim da professora. Neguei, mas fiquei com isso na cabeça e acabei percebendo que pode ser um pouco verdade.
– E o que você pretende fazer com isso? – Beta continuou, como se quisesse ajudar Dani a entender seus próprios pensamentos.
– Não sei o que posso fazer, na verdade.
– Nada né? Ou vai querer dar em cima da professora? – Tati não concordava com isso mesmo sabendo que a amiga era capaz de seguir em frente com algum plano maluco.
– Ela realmente é bonita, mas é bem arriscado pensar nisso – No fundo, Beta não achava nada demais Dani tentar, o máximo que poderia acontecer é não rolar nada.
– Arriscado e louco. Dani, sabe que eu te amo então aí vai um conselho de amigo. Desencana dessa. Na boa – Tati foi curta e grossa.

Beta e Dani sabiam que não ia adiantar continuar o assunto, Tati sempre daria a palavra final do quanto absurdo aquilo era. E até podia ser, mas vamos deixar para imaginar, ou não, no dia seguinte. Já estava tarde e elas teriam que levantar bem cedo.

Em seu pequeno apartamento perto da escola, Estella desligou a tv, colocou a taça suja de vinho na pia e jogou fora os pacotes de comida que tinha pedido. Aumentou o ar condicionado do quarto, tomou um banho rápido e deitou com sua calcinha de dormir e sua camiseta bem larga. Não conseguiu pregar os olhos. Sempre que os fechava via a silhueta da Dani com o rosto da Camila, ou o corpo da Camila deitado ao seu lado com o rosto da Dani. Será que aquele pesadelo ia voltar? Será que ela não conseguiria nunca mais se livrar do passado?

Camila ainda mexia com seu coração, Dani mexia com a sua cabeça. A situação não era muito diferente, só que agora, quem mandava era ela. A noite foi recheada de pesadelos e sonhos eróticos envolvendo Camila e Dani. Acordava e dormia o tempo todo. Quando o despertador tocou se deu conta que no total deve ter dormido apenas umas 2 horas. Estava um caco para dar aula. Se arrastou, assim mesmo, para o banheiro.

Beta, Tati e Dani chegaram juntas como sempre. Riam e falavam alguma besteira sobre as aulas que teriam esta semana, era cansativo pensar em vestibular e muitos estudos. O ano mal tinha começado e já tinham provas marcadas. Dani deixou o casal ir na frente e ficou para comprar um café para ela. Precisava de uma dose extra de energia, a noite não tinha sido nem um pouco fácil.

Pegou o copo quente e seguiu em direção as quadras e ao pátio, passando pelo estacionamento. Iria entrar por trás para dar tempo de beber o café todo. Era o destino. Assim que pisou no concreto com as marcações das vagas, viu Estella estacionando e tentando sair do carro. Ela parecia meio tonta e sem forças. Dani correu e a segurou antes que ela tropeçasse nos próprios pés. Os olhares se cruzaram e o tempo pareceu parar. As mãos de Dani entrelaçadas na de Estella fizeram ambas gelarem, suarem, gaguejarem, emudecerem. Estella se recompôs e agradeceu a Dani.

– Quer um gole de café? – ofereceu Dani percebendo a cara de sono da professora

Estella pensou umas vinte mil vezes, mas o olhar de Dani não a deixou recusar e ela realmente estava precisando.

– Aceito, obrigada.
– Deixa que carrego suas coisas para você ir bebendo.

E assim, Dani pegou a bolsa e os livros de Estella e caminhou ao seu lado, ambas em silêncio para a sala de aula. Entraram juntas e Dani colocou as coisas da professora em cima da mesa principal. Não se despediu, apenas sorriu maliciosamente para Estella que em troca sorriu sem graça. De longe, Beta sorria por dentro e Tati já previa confusão.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.