O Amor, Simplesmente – Cap 60

Ela está de volta!! A história que vocês mais amam. O nosso trio favorito. Estavam com saudades? Então se preparem que a semana vai ser boa!

Depois da missa, praia. O lugar preferido daquelas três meninas. Três almas perdidas em um mundo enorme, três crianças mas ao mesmo tempo, três mulheres. Tati e Beta estavam cada dia mais apaixonadas enquanto Dani estava tentando entender os sentimentos que passavam dentro dela. Hoje ela sabia que tinha se sentido extremamente atraída por Beta, ou de repente, confundido com amizade. Mas, graças a Deus, passou e tudo poderia voltar ao normal.

Sentaram no lugar de sempre, mais perto do mar do que da calçada, assim ficavam ainda mais distantes da civilização. Beta no meio com Tati deitada em seu ombro e Dani bem próxima apoiando o corpo na amiga. Elas eram assim, um trial que dependia uma da outra para se manter de pé. Se uma fraquejasse as outras duas sentiriam. O silêncio era suficiente depois do sermão do padre Bento – que claramente tinha sido uma bela indireta. Bela mesmo. Demoraram alguns minutos até que Dani – sempre ela – quebrou o silêncio.

– Falta uma semana para as aulas

Beta e Tati se olharam e depois de calcular o dia que estavam perceberam que Dani estava certa e que só lhes restava mais uma semana antes do tão temido terceiro ano. Ficaram tristes, parece que seria uma semana de preparação psicológica.

– Acho que poderia passar mais um ano de férias que aí sim estaria bom. – Tati arrancou um sorriso das amigas com a brincadeira.
– E se nós tirássemos um ano de férias depois do terceiro ano? Ou pelo menos seis meses? – Beta deu a idéia despretensiosa.

Sem responder nada, Dani levantou e ficou de joelhos, mais alta que as amigas parada na frente delas com uma cara de quem acabou de descobrir um país. Ou quem acabou de tomar ecstasy. O que não era o caso.

– É isso gente! Vamos tirar uma mega férias depois do terceiro ano e viajar. Só nós três. Quem topa? – a animação de Dani era contagiante e excessiva.
– Férias com vocês? Já estou topando. – Tati bateu na mão de Dani concordando com a idéia.
– Se a idéia foi minha, é lógico que estou dentro. Mas com uma condição. – A tal condição de Beta fez Tati e Dani se entreolharem e estranharem. Não era para ter condição quando o assunto era se divertirem juntas.
– Qual? – Dani nem respirou para perguntar.
– Falem com as suas mães. Vamos passar esta última semana no meu apartamento lá na cidade. Ele está vazio essa semana.

Sem falarem nada, jogaram areia para cima, tiraram a roupa e mergulharam de calcinha e soutien, o que já estava virando costume entre elas.

Beta ouviu seus pais dizerem que o apartamento ficaria uma semana vazio, o antigo inquilino já tinha saído e o próximo, só na outra semana. E ela ir com Tati e Dani era uma boa forma de mante-lo limpo e arrumado. Pelo menos era esse o argumento que usaria com seus pais.

Do calçadão era possível ver três pontos dentro d’água. Dois enroscados e um boiando. Beta e Tati aproveitavam a distância da areia para trocarem beijos e carinhos debaixo da água, não se importavam de Dani estar tão perto, não seria nada que ela já não soubesse que as duas faziam. A intimidade que existia entre elas era engraçada, diferente e para outras pessoas, um pouco exagerada.

As três resolveram ir almoçar com suas respectivas famílias no domingo. Iriam aproveitar para fazer uma média e falarem da viajem. A intenção era sair segunda de manhã e só voltar no outro domingo de manhã. Assim teriam tempo suficiente para aproveitar e no domingo seguinte descansavam.

O combinado era esse, almoçariam com as famílias e a tarde se encontrariam na pedra de sempre na pracinha, aproveitariam e matariam a última garrafa de vodka restante e com um baseado, sempre.

A tarde já surgia quando Dani chegou na pedra primeiro. Elas não precisavam avisar umas as outras porque já se conheciam tanto que sabiam os horários que iriam aparecer. Dani acendeu o baseado e deu o primeiro trago, só esse. Decidiu esperar as outras duas. Não demorou nem 20 minutos quando Beta e Tati vieram juntas da direção da casa de Beta sorrindo. Dani sabia que Tati tinha ido lá antes e elas tinham aproveitado o quartinho da garagem um pouco durante a tarde. Pela alegria delas, tudo estava dando certo.

A intimidade entre elas era tamanha que cumprimentavam Dani com um selinho rápido nos lábios. E depois perguntavam porque chamavam tanta atenção na cidade. Deram um trago cada uma no baseado, beberam alguns goles e então veio a notícia final.

Todas tinham permissão de passar a semana fora. E Beta chegou com outra surpresa. Já tinha comprado as passagens pela internet, pelo menos as de ida sim. Partiriam na manhã seguinte, 10h30. Acabaram com a garrafa de vodka e com o baseado. Aquela noite merecia comemoração. Iam ter a semana mais louca de suas vidas. Foram cedo para casa arrumar as malas.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.