O Amor, Simplesmente – Cap 49

pro post

Naquela noite Tati teve pesadelo novamente. Será que seria sempre assim agora? O sol anunciava um novo dia. Era uma nova chance para as três. Principalmente para Tati que lutava para que tudo continuasse igual, principalmente dentro dela! Esse seria o mais dificil enfim.

Os dias corriam sem muitos acontecimentos. Tati e Beta pareciam estar 100% e o relacionamento só melhorava! Até D. Ana parecia estar um pouco menos odiosa de toda essa situação e permitia algumas vezes que Tati encontrasse com Beta sem Dani! Eram as vezes que Tati falava a verdade. O sexo era perfeito, cada vez mais libertador e cheio de novidades! Beta nunca sentira o que sentia com sua menina, e olha que ela teve um bom número de experiências no decorrer da vida!

Dani estava se descobrindo! Tinha descoberto o mundo online, onde era muito mais facil assumir quem voce é e quem você quer. Descobriu o Tumblr e aos poucos foi descobrindo sites feitos por meninas e cada vez mais estava tendo certeza de que se interessava por meninas! Ela dividia cada mínima descoberta com Tati. Com elas tambem aconteceu o que parecia estranho, a amizade tinha se fortalecido e se tornado mais do que essencial na vida das duas.

Ja fazia 1 semana da viagem. Ninguem mais falou sobre o assunto e desde entao as 3 nao saiam juntas. Tati nao insistiu, acabava se dividindo entre as duas e tudo acontecia de uma maneira meio implícita. Ela fingiam que eram coincidências da vida e assim preferiam permanecer. Sem esforços, sem encontros, sem lembranças. Mas aquilo tudo ia vir a tona em algum momento. Esse momento nao estava longe. Era festa de aniversario da cidade. Todos os moradores se envolviam e ajudavam a montar esse grande evento. Tati era uma das responsáveis pela barraquinha de batata frita e como ja havia combinando com as amigas, iam as 3 ficar atras do balcão nesse ano.

Até a sexta feira, dia da festa, as tres conseguiram resolver tudo sem se reunir! Apenas Tati encontrava com as duas, mas no dia nao ia ter como. Seria a prova final.

– Amanhã vai ficar tudo bem! Prometo! Te amo!

Como se adivinhasse Tati mandou a mensagem para as duas e, mesmo sem saber, recebeu a mesma resposta: um sorriso sem graca para a tela como se os pensamentos tivessem sido lidos. Dormiram separadas, ou melhor, tentaram dormir.

No dia seguinte as tres chegaram juntas ao local onde a barraca estava montada! Como em todos os anos tinha uma plaquinha “Batatas da Tati”. O prefeito havia dado de presente por ela ser a menina mais nova a ajudar tanto na festa! Todo o dinheiro arrecadado ia para um centro que cuidava de animais abandonados que a cidade mantinha. Era muito fofo! E a festa era uma ótima desculpa para todos beberem e comerem sem peso na consciência, afinal, era tudo por uma boa causa!

Tati deu um abraço apertado em sua namorada com um discreto beijo no seu pescoço, deu um abraço na sua amiga e fingiu que nada acontecia, mas o clima “estranho” era perceptível demais. O clima estava pesado e as palavras dançavam no ar sem saber o que fazer.

Quando as duas entraram na barraca atras de Tati caíram em uma gargalhada uníssona quando avistaram embaixo da madeira do balcão uma garrafa de Martini com um baseado preso nela. Tati se juntou a risada e explicou:

– Vocês acham que todo ano eu faco isso aqui 100% pura? E além do mais acho que vai ser bom pra gente!

As duas concordaram com Tati e como em um gesto redentor, se abraçaram, as tres, como costumavam fazer tantas vezes antes do tal incidente. Para comemorar abriram a garrafa e começaram os trabalhos! Um gole para cada apenas. Esconderam o mantimento atras de todos os pratinhos e guardanapos e começaram a descascar as batatas que chegaram logo depois.

O dia ja chega a ao fim, a festa começava a tomar uma forma definitiva, a musica na barraca das meninas rolava alto, a garrafa de Martini ja se aproximava do fim e a alegria tomava conta das amigas! Os moradores achavam lindo de se ver aquela amizade delas, era como se eles vissem esperança em um mundo melhor com pessoas como elas, e era realmente o que parecia, que o mundo era feito de pessoas melhores, e que essas pessoas eram parecidas com aquele trio.

O álcool relaxou os ânimos e o baseado as divertia enquanto fritavam batatas, mas dentro do coracao de cada uma, nada havia mudado, e de alguma maneira elas sentiam isso quando se olhavam profundamente. Mas ignoravam, era mais garantido! Além do mais nao queriam estragar a alegria de Tati.

D. Ana avistou de longe as tres atras do balcão e viu sua filha com um sorriso no rosto que há tempos nao via. Esta certo que parte desse sorriso se devia ao alcoól, mas Tati estava realmente feliz, até porque tinha decidido que nao ia viver se escondendo com Beta e comecou a relaxar em certas atitudes relacionadas a sua namorada, isso a deixava mais tranqüila! Sob efeito do álcool e da maconha que ja havia sido inicializada, Dani chegou perto de Beta que tinha assumido a panela de óleo enquanto Tati atendia os clientes, e sussurrou no ouvido da amiga:

– D. Ana na área, fica longe do óleo hein!

As duas explodiram em uma risada contagiante que pegou Tati de surpresa. E nao foi so a risada das duas, Tati foi tomada por um sentimento que a invadia sem saber de onde e a fez falar coisas que nao passaram por um filtro de sua mente, apenas saiam boca a fora:

– Mais algum segredinho que eu deva saber?

As duas na mesma hora pararam de rir e entraram em um estado de choque que as deixou paralisadas. Tati tirou o avental que vestia e saiu em direção a praça escura. Enquanto Dani e Beta se olhavam sem reação D. Ana acompanhava tudo de muito perto e pode ouvir sua filha bravejar antes de sair andando. Foi atras de Tati enquanto Beta e Dani recebiam a ajuda de um surpreso e solicito Sr. Paulo para continuar com a barraca. O clima parecia ter sido colocado no óleo. Borbulhava, mas ninguem ousava falar algo. Apenas lagrimas surgiam no rosto de Beta, junto com as que corriam do rosto de Tati do outro lado da praça.

D. Ana avistou a filha de longe sentada com o rosto apoiado nas mãos chorando.

– Posso me sentar? – Era estranho ver D. Ana tao calma depois de assistir uma cena daquelas.

A resposta possivel foi um balanço de cabeca de Tati.

– Conversa comigo filha! O que houve?
– Você não vai entender mãe!
– Porque você não experimenta?

E pareceu uma boa ideia a Tati, que respirou fundo e escolheu as palavras com calma.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Este post tem 6 comentários

  1. Pâmela Roberta Camargo

    Amei a história! Ansiosa pelo próximo capitulo =)

  2. Day

    Fingir que nada aconteceu nunca dá certo =( uma hora o barraco desaba
    ps: amando a história

    1. Grupo HPM

      Pois é Day!! Elas tentaram né? :/
      Espero que fique tudo bem com elas!!

  3. Nina

    Posta mais, posta mais por favor!!!!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.