Metade da laranja?

A gente sempre ouve aquela história de que cada um de nós é a metade de uma laranja e que a vida só tem sentido quando encontramos a outra metade. Eu nunca conheci alguém que queria ser uma laranja… (já conheci bananas que nem se davam conta que eram, enfim, outro papo….) Será que alguém se acha metade de uma laranja e precisa ser uma laranja inteira?

Isso é uma furada, ninguém ama suficientemente uma pessoa, só porque ela gosta das mesmas músicas, ou livros que a outra também. Muitas vezes, amor é dar exatamente o que não se tem, já dizia Lacan.

Encontrar a metade da laranja parece viver sempre na mesmice, não descobrir sabores diferentes, olhar pra cara da pessoa que você ama todo dia de manhã e fazer o mesmo suco no espremedor e quando as laranjas estiverem meio maduras e se percebe que elas não eram tão iguais? Acabou. Saco do lixo? Simples assim?

Amor não é metade certa, é a mistura incerta. É saber que dentro desse incerto há riscos, de ser bom, de ser ruim, de trocas, de afinidades, mudanças, atitudes; de ser interessante, talvez desastroso, mas é assim que a vida conspira.

Viver é correr na incerteza, é correr riscos que nem sabemos quais são.

Bibi Souza

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Este post tem um comentário

  1. Elcio

    Sem Criatividade minguem chega a lugar nenhum! Pesouas frívolas e Mediocres Vivem Uma Busca infinita de satisfação e Terminam sozinhas e insuportáveis uns morrem em um vale de depressão outros se matam, a vida a dois sempre vai ter desigualdades mas quando ha competência tudo se renova e o tempo solidifica a relação já pesou-as frívolas e egoístas vivem como se nunca focem morrer e morrem como se nunca tivessem existido

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.