Cap 9 – Inferno Astral

Elas só não sabiam que a mãe da Tati estava esperando a filha chegar olhando pela janela de casa. E presenciou toda a cena. E aí aquele momento de pefeição ganhou seu primeiro obstáculo.
A mãe de Tati em nenhum momento julgou o abraço que tinha acabado de ver, não só porque gostava de Beta, mas porque confiava em sua filha. E se algo de diferente acontecesse, ela seria, sem dúvidas, a primeira a ficar sabendo.

Tati entrou em casa, com uma cara de boba, meio que flutuando sem perceber. Sua mãe não deixou aquela carinha diferente passar despercebida, e a trouxe para o mundo real com uma pergunta sem nenhuma maldade. “Quem fez minha filha chegar em casa com essa carinha tão feliz?”

Tati estava realmente bem feliz, e bem distante, a ponto de estar com a cabeça em outro mundo. Tanto que tomou um susto com a pergunta da mãe e respondeu meio que sem pensar. “Não é ninguém em especial mãe, apenas tive um bom fim de semana.” E assim meio rindo, meio viajando, ela subiu para o quarto com a desculpa de que precisava de um banho e já já voltava para jantar com seus pais.

Enquanto Tati subia as escadas descalças e com a calça jeans já aberta, sua mãe ficava olhando seu bebe se movimentar pela escadas, assim como ficava olhando quando ela era uma criança se movimentando pela casa.
Sonia, mãe de Tati, sabia da opção sexual de Beta, na verdade, não tinha certeza, mas desconfiava, por algumas conversas que já tinha escuta da sua filha com a nova amiga. Mas no fundo gostava muito dela, era uma menina super educada e de boa índole, tinha um bom coração e estava sempre sorrindo e de bom humor. Mas se preocupava, com as influencias que poderia passar para sua filha. Será que sua menininha iria ceder a esse tipo de influencia? Sonia, preferiu não pensar nisso agora, mas a sementinha estava plantada na sua mente. A ponto dela sonhar com isso naquela noite.

Segunda feira estava chegando, e Sonia, não tinha como proibir sua filha de ir a escola, mas na segunda, enquanto Tati se arrastava na cozinha para ir a aula, sua mãe levantou um pouco mais cedo, só para lembrar a filha de que a queria direto em casa depois da aula. Tati não entendeu muito bem aquele recado, mas fingiu que estava tudo bem, pegou sua xícara de café de sempre e saiu andando.

Tati já desconfiava do caminho que aquilo estava tomando, mas preferiu não entrar em discussão com sua mãe, iria a partir de agora, tomar mais cuidados. Mas primeiro de tudo, preferiu conversar com Beta e Dani, além de Beta ser parte envolvida da situação, Dani precisava estar junto na conversa. Ela sempre precisava estar junto. Mandou uma mensagem pras duas e combinaram de matar o primeiro tempo de aula, juntas. Iam se encontrar na parte detrás do colégio, a escada onde tudo tinha começado.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.