Foi sem querer

(Adoramos receber autoras convidadas! Tem um conto ou uma história também? Mande para hparameninas@gmail.com)

Acho que nunca te contei, mas desde a noite em que trocamos as primeiras palavras soltas venho conversando com a chuva sobre você. Gosto do silêncio, e do que ela me faz pensar. Numa dessas, enquanto fantasiávamos sobre nossas historias com enredos de músicas, me deparei que os dias não seriam mais os mesmos. Parece que tinha sido atingida por um raio com altíssima voltagem no exato momento que me deixei, permiti mergulhar.

Eu tenho um defeito, melhor dizendo, uma mania um tanto estabanada e talvez diferente pra não falar estranho, de gostar rápido demais das pessoas. Chega a ser mais forte que eu, um grito alto quase imperceptível. Um tropeço, e quando me deparo estou olhando a beleza do jardim botânico e toda a sua diversidade, vislumbrando o céu cheio de estrelas, ou, perdida nas contas de meus pensamentos que é menos um dia até ter você.

Sempre pensei que estivesse acima disso, mas às vezes o motorista é tão barbeiro que te deixa com o coração na mão. Numa dessas, me veio um dilema. Um misto de adrenalina e emoção costumeira de um domingo de tarde. Isso faz com que eu me sinta capaz de contar o que quero sobre uma moça tão surpreendente e diferente a cada alvorada de um reino tão, tão distante do meu.

Não que isso seja ruim, pelo contrário, na verdade, não sei. Foi sem querer, tão nada haver. De repente parece que finalmente encontrou o livro certo com capa trocada pra ler. Só não quer perceber ou admitir, por ser tão fácil e complicado demais. Folhas rasgadas pra remendar com curativo. O sabor amargo adocicado do café depois da despedida. Uma trilha sonora com curvas sinuosas. Filme a dois no fim de semana com camisas trocadas.

Vou ser bem sincera, já tinha até desistido desse movimento acelerado quando o coração se coloca a frente da situação de perigo. Até porque além de ser cedo demais, a dor causada parece nunca ter fim. Mas você apareceu, e ao invés de eu mergulhar no raso optei por um mergulho profundo e bem mais radical. Que ultrapassa sinais. Inverte a rotina. Muda os planos. Atrasa relógio.

Eu teria me preparado melhor caso soube que você seria tão sem querer assim, nada com nada. Tudo com nada. Tudo com tudo. Contra a minha vontade, um caso contrário. Lembro que algum beltrano de algum livro a qual não recordo o nome me contou que enquanto não acontece, a gente imagina. Enquanto isso, eu imagino esse tão sem querer. E peço pra chuva não acabar cedo demais, a fim de esperar que numa dessas noites, possamos fantasiar os diferentes caminhos com enredos de músicas apenas nossos.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.