Finalmente um beijo gay?

Ontem falamos aqui sobre o novo par romântico do horário nobre: Giovanna Antonelli e Aline Moraes. Hoje trago uma entrevista de Manoel Carlos que insinua que podemos ter um beijo gay na novela “Em Família”.

Autor de “Em família”, a próxima novela das nove, Manoel Carlos conversou com a coluna Gente Boa sobre a trama, que terá um núcleo de Goiânia e um casal formado pelas atrizes Alinne Moraes e Giovanna Antonelli.

Alinne Moraes e Giovanna Antonelli farão par romântico? Como será a história das duas na novela?

Sim. Giovanna será Clara, uma dona de casa comum, com uma vidinha doméstica entediante, que descobre o amor numa outra mulher. Inicialmente muito assustada, vai aos poucos se deixando levar.

O senhor acha a homossexualidade feminina mais “fácil” de ser abordada numa novela em rede nacional?

Ao contrário. Me parece que o preconceito é mais severo e comum quando se trata de mulheres homossexuais. Eu não acompanho as novelas. Mal tenho tempo de seguir as minhas. Sei que existem gays em muitas delas, mas desconheço o tratamento que recebem dos autores. E é nisso que reside a diferença.

O senhor poderia comentar a frequência cada vez maior de personagens gays nas novelas, em todos os horários?

Em “Por amor”, de 1997, um dos personagens, vivido pelo ator Odilon Wagner, era bissexual, casado e pai. Houve certa reação, cenas foram cortadas e suavizadas, mas por determinação da própria TV Globo. Só não sei se ela atendia a uma recomendação de Brasília. Em “Mulheres apaixonadas” (2003) criei uma estudante de 18 anos que mantinha relação com uma colega da mesma idade. O personagem chamava-se Clara, como agora se chamará o personagem que será interpretado pela Giovanna Antonelli.

Por que um núcleo em Goiânia? O senhor tem alguma ligação com a cidade?

Escolhi Goiânia sem conhecer a cidade. Tenho uma grande simpatia assim, de graça. Foi escolha pessoal. Os dois irmãos que se casam com duas irmãs e dão início aos personagens da novela, são nascidos lá e participam de leilões de gado, rodeios, etc.

A pergunta que o senhor ainda vai ouvir muitas vezes: teremos beijo gay?

O beijo é uma consequência natural de qualquer relação de amor, seja ela qual for. Não vejo nenhuma diferença. E se a relação entre Clara e Marina caminhar nesse sentido, colocarei um beijo entre elas. Em “Mulheres apaixonadas” fiz com que os dois personagens (Clara e Rafaela) interpretassem na festa de fim de ano da escola em que estudavam uma cena de Romeu e Julieta. Uma delas representava o Romeu. O beijo foi gravado e aconteceu na novela das oito.

A novela também se passa no Leblon e o senhor costuma abordar assuntos da vida real em suas histórias. Manifestações e depredações podem aparecer na trama?

Bem que eu gostaria de abordar as manifestações de protesto em todo o Brasil neste momento, mas falar de assuntos factuais é uma armadilha: se eu falar e mostrar esses acontecimentos, passo a situar a novela precisamente nos dias de hoje, no agora, e isso me prenderá a uma atualidade que não tenho como manter verdadeira. A novela é gravada com antecedência e não sei como essa agitação social continuará nem como acabará.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.