Filme americano – Cap 44

Filme americano – Cap 44

– Bom dia, coisa linda – Beca precisou se mexer muito pouco para colar seus lábios na cabeça de Nina
– Bom dia, já? – Nina estava acostumada a dormir até tarde, diferente de Beca
– Devem ser quase dez horas, dorminhoca – Beca começou a distribuir beijos na nunca e nas costas de Nina
Nina não se importou em acordar mais cedo do que estava acostumada se fosse daquela forma. Ela estava deitada de barriga para baixo e sentiu a mão de Beca descer por cima de sua blusa até encontrar o fim das suas costas delimitada pela barra da calcinha que vestia, os dedos leves de Beca afastaram o elástico e já invadiam lentamente embaixo do pano quando ouviram os passos de Diogo no corredor.
Apesar de saberem que ele não entraria no quarto sem avisar, se assustaram e acharam melhor controlar as vontades para que não causassem um enorme trauma no professor e pai.
– Em falar nisso, você pretende contar a ele? – Nina perguntou enquanto vestia um short de pijama para irem tomar café
– Pretender, pretendo, mas não sei quando nem como, alguma sugestão?
– Acho que ele é um cara legal, você deveria dar uma chance a ele
Beca não respondeu, apenas prolongou o pensamento que estava tendo sobre contar ou não ao pai que estava namorando com Nina, mesmo que elas ainda não tivessem conversado sobre isso.
artes-facebook
– Bom dia, pai! – Beca deu um beijo na cabeça de Diogo enquanto ocupava seu ligar à mesa
– Bom dia, meninas! Já viram que lindo que está lá fora? O que vão fazer hoje? – Diogo era extremamente animado nos fins de semana
– Ainda não sei, pai, por enquanto vamos só tomar um café, tá?
Enquanto os três riam e se divertiam fazendo planos para o sábado de sol, o celular de Nina, que tinha ficado no quarto, vibrava e tocava sem parar. Alex tentava desesperadamente falar com Nina. Ela tinha passado a noite toda vagando pelas ruas da cidade, bebeu mais do que deveria e precisava do apoio de Nina para voltar para um caminho que não representasse um risco de vida para ela. Só Nina conseguiria fazer isso por ela. Mas Nina não atendeu o celular.
– Afinal de contas, o que vamos fazer? – Beca perguntou a Nina assim que voltaram para o quarto
Nina não respondeu. Estava encarando a tela do celular por tempo demais, e acabou ignorando a pergunta de Beca. Ela corria os dedos pela tela e sua feição ia se modificando, se tornando assustada, apreensiva e talvez com um toque de culpa no olhar pesado.
– O que houve? – Beca perguntou se aproximando de Nina, mas sem ler suas mensagens
– É a Alex… – Nina falou sem tirar os olhos da tela
– Uhm – Beca respondeu sem esconder o ciúme que sentia daquela relação
Nina não percebeu a mudança de humor em Beca e continuou respondendo as mensagens de Alex, que agora não respondia e nem atendia quando Nina ligava. Enquanto isso, Beca fechou a cara de vez, deitou na cama e pegou seu celular. Sabia como irritar Nina na mesma moeda, então na mesma hora mandou mensagem para Joguí perguntando se teria futebol neste fim de semana.
– Quando você terminar aí, me avise, ok? – Beca falou com a voz irritada depois de assistir Nina andar de um lado para o outro do seu quarto por uns cinco minutos seguidos
Só então, Nina levantou os olhos e viu Beca deitada na cama com a cara fechada e com o celular nas mãos. Até o olhar dela estava longe de Nina, e só então, a goleira tinha reparado no que havia acabado de fazer. Decidiu não estragar o dia e pedir desculpas, mesmo achando aquilo tudo um pouco infantil demais.
– Ei, não fica assim, vai… – Nina sentou ao lado de Beca na cama
– Assim como? Não to nada… – Beca respondeu ainda sem olhar para Nina
– Então olha pra mim e fala que me ama? – Nina apelou para uma solução romântica
– Eu te amo – Beca respondeu sem olhar para Nina
– Ei, com que você está falando aí? – Nina puxou o aparelho da mão de Beca para saber o que ela estava fazendo
Vou ver se rola de ir hoje pra pracinha. Te aviso ma Beca estava no meio da mensagem para Joguí. Nina leu o que estava escrito e sua vontade era arremessar o aparelho de volta em Beca. Como ela era capaz de ficar marcando encontro com Joguí depois da noite que tiveram? Lembrou deles trocando beijos na escola e em como ele babava por ela o tempo todo. Suas feições mudaram e o calor que subia em seu corpo parecia bloquear qualquer forma de raciocínio lógico.
– O que é.. – Nina ia perguntar cobrando uma explicação de Beca, que já estava de pé pronta para entrar na discussão que viria pela frente, quando foram interrompidas pelo celular de Nina tocando.
O nome de Alex ainda vinha acompanhado de uma foto delas duas abraçadas em uma linda paisagem. Beca olhou para o aparelho que estava em cima da cama e Nina no mesmo momento parou olhando do celular para Beca prevendo que isso não daria certo.
– Sua namorada está te ligando, Nina, afinal de contas, vocês só deram um tempo né? Acho melhor atender ela logo… – Beca saiu pela porta do quarto deixando Nina com Alex.
Nina não sabia se atendia ao celular ou se corria atrás de Beca para se explicar. Sabia que não poderia fazer muito escândalo fora do quarto por causa de Diogo, e sabia também que Alex estava mal e precisava dela. Atendeu ao celular e tentou não chorar junto com a ex no telefone.
Enquanto isso, Beca foi até a cozinha e bebeu um enorme copo bem gelado de água. Seu pai estava sentado na mesa dele corrigindo provas e ela fazia de tudo para não gritar ou não chamar a atenção dele. Ela ouviu a voz de Nina no quarto e sabia que ela tinha atendido ao telefone. Resolveu trocar de roupa, precisava de adrenalina e precisava colocar tudo que sentia para fora.
Autora_mari Veiga

Comente! ;)