“Faking it” – uma série para rir e pensar

Para quem ainda não sabe, a MTV vai lançar uma nova série chamada ‘Faking it’. A série conta a história de duas amigas, Karma e Amy, duas loosers da escola que estão doidas para se tornarem populares. Nas mãos de uma das bitches do colégio, elas acabam ganhando fama de gays. Um casal.

Pela primeira vez elas são convidadas para as festas populares e começa uma campanha para que sejam eleitas as rainhas do baile. Karma adora a idéia e o público, Amy não. Mas por pressão, amizade e um pouco mais de popularidade, acabam assumindo a relação perante toda a escola. Pela primeira vez, todos sabem quem são.

A série só estréia no dia 22 e tudo isso foi visto no piloto. Pelas cenas que aparecem depois, Amy vai ficar realmente em dúvida sobre sua sexualidade e Karma, não. As duas vão contar com a ajuda do amigo gay, Shane.

A discussão que me peguei pensando foi: já estamos em uma situação de aceitação tão grande para que isso seja uma piada? Sinceramente? Eu adorei o piloto. Achei de uma sensibilidade e sutileza enorme. Além do que, ela tem umas das minhas características preferidas: a ironia. 

A bitch da escola defende o tradicionalismo como bandeira para ser eleita como rainha do baile. As duas meninas, protagonistas, defendem a liberdade e a modernidade e encontram uma legião de fãs. Mas, não sejamos hipócritas. Não ignoro o fato de que a série transforma o processo de sair do armário, tão doloroso e difícil em tantos jovens, em uma piada. De bom gosto. Mas, uma piada.

Não acho que seja cedo demais para brincarmos com isso. Aliás, quero ver a homossexualidade sendo levada mais levemente. Quero ver ela ser uma coisa normal, diferente do que é hoje. Quero mais risadas e menos tensão, quero jovens celebrando a diversidade e julgando o tradicionalismo severo.

Quero assistir ‘Faking it’ para ver no que vai dar.

image

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.