Dicas para escrever uma boa história – Parte 4

Exatamente! Sexta feira é dia de post novo sobre dicas de escrita! E cá estamos nós, com Copa ou sem Copa, apresentando mais uma etapa! Na última coluna falamos sobre o Texto, a parte prática, o suor propriamente dito. Agora, vamos respirar fundo, esticar a coluna e discutir algo um pouco mais leve. O Público Alvo! Ué, mas o que isso tem a ver com o que estou escrevendo? Muita coisa, queridinhas e queridinhos! Vem comigo, vem!

Público Alvo

Pode parecer só mais uma matéria de comunicação ou marketing, mas a sua história é um produto a ser oferecido para um grupo de pessoas, por isso, é necessário pensar também nisso. O público alvo da sua história vai ser essencial para a forma como ela vai ser pensada, roteirizada, escrita e até mesmo divulgada. Não quer dizer que você precisa decidir seu público alvo antes de tudo, mas significa que você precisa pensar nele e entender ele para tomar algumas decisões. Por exemplo, se você está escrevendo um romance super água com açúcar você sabe que seu texto será recheado de momentos românticos e você pode usar e abusar de descrições minuciosas sobre o sorriso e sobre os olhares trocados. Mas, caso você esteja escrevendo um suspense, você vai deixar o leitor tenso com situações misteriosas e diálogos curtos e diretos.

O público alvo, porém, não se restringe apenas ao gênero literário mas também a idade e a plataforma que você vai usar para divulgar seu trabalho. O leitor jovem é muito mais adepto a novas formas de ler do que os mais velhos. Os jovens, por exemplo, gostam de ver referências ao mundo como eles conhecem, os personagens usam celular, conhecem vídeo game e falam no WhatsApp. Esses são apenas alguns exemplos de referências reais que você pode usar no texto.

Após reconhecer o público alvo que irá consumir sua historia, entenda como eles lidam com a leitura e aplique isso ao seu caso. Não existe aqui um formato ideal – primeiro enredo e depois publico alvo ou primeiro publico alvo e depois enredo – mas sim um processo de reconhecimento. Talvez você acredite que seu enredo se encaixe para um público mais jovem, mas no final das contas sua historia estava mais densa e com uma pitada maior de drama e acabou atingindo também um segmento mais velho. Não há regras e nem obrigatoriedades aqui, até porque isso depende muito da relação dos leitores ou leitoras com a sua história.

Identificar o público alvo da sua história vai te ajudar a tomar outras decisões como formato de narração, tamanho dos capítulos e até mesmo a plataforma que você vai usar para divulgar o trabalho.

E já que falamos sobre a plataforma que você vai usar para divulgar seu trabalho, esse é o nosso próximo tema. Onde vou colocar meu trabalho? Talvez imprimir e jogar do alto do prédio onde eu moro? Pode ser uma opção, mas aí vamos discutir isso na próxima sexta. Até lá, reis e rainhas! <3

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Este post tem um comentário

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.