Cap 38 – Explicações, de novo

pro post1O ar ficou pesado, ninguém falou nada por alguns segundos. Apenas Jaque parecia estar super a vontade no ambiente, o que deixou Tati ainda mais incomodada. Beta estava meio tonta, sem saber o que fazer, cumprimentou Jaque e agarrou a mão de Tati antes que ela fugisse. Mas ela não ia sair correndo, estava mais resistente e confiante agora. Quis saber o que estava acontecendo ali.

– Vocês já se conhecem? – Dani perguntou sem maldade.
– Já sim! De outros carnavais né Beta? – Jaque respondeu antes que Beta pudesse pensar em alguma resposta!

Tati sorriu forçadamente e apertou a mão de Beta deixando claro que não estava gostando do rumo daquela conversa e queria saber direitinho o que estava acontecendo! Mas não ia arrumar confusão! Não ali! Voltaram a andar, agora em direção a uma lanchonete conhecida do pessoal dali, era onde elas iam almoçar. Tati segurou o passo e Beta e deixou Jaque e Dani irem na frente. Elas conversavam animadamente e era engraçado perceber quando Jaque as vezes fazia alguns movimentos em direção a Dani, como um apoio no braço, uma mão dada e Dani simplesmente deixava. Sem hesitar!

Tati não queria saber, puxou Beta para mais perto e com uma voz que de nunciava sua dúvida/irritação sussurrou no ouvido dela:

– Mais alguma coisa que eu precise saber agora?
Beta parou, deixou Dani e Jaque irem na frente, virou Tati de lado e soltou tudo de uma vez só.

– A Jaque era melhor amiga de uma menina que eu namorei. Só que a Jaque dava em cima de mim descaradamente, mas eu nunca quis nada com ela. Se você quiser te conto de todas as pessoas que eu já fiquei, que eu já gostei ou coisas assim. Desculpe! Eu nunca poderia imaginar que era a Jaque, logo ela, que eu nunca fui com a cara mesmo!! Se você quiser podemos ir embora, damos uma desculpa qualquer e encontramos com Dani mais tarde, na hora do onibus, o que voce quiser eu faço, tudo para não ver essa sua cara de…….

Tati interrompeu o discurso de Beta com um beijo suave em seus lábios.

– Eu só queria saber quem era ela. Mas mesmo que ela, ou qualquer outra pessoa, tenha sido alguém no seu passado. Não me importa mais. Eu sou seu presente e seu futuro e é só isso que importa!

Tati deu um riso sincero, singelo e doce enquanto mantinha as mão segurando o rosto de Beta bem próximo do seu.

– Eu sabia que havia um bom motivo para te amar do jeito que eu te amo!

Beta estava nos céus com aquela menina! A pegou em seus braços, afundou o nariz em seu pescoço e a abraçou forte. Estavam curtindo o momento delas quando a voz de Dani as interrompeu.

– Depois eu quero saber o motivo das declarações no meio da rua, mas podemos ir agora?

A voz de Dani estava ansiosa e animada e logo a frente estava Jaque parada esperando o trio vir atras. Tati olhou de longe e com uma breve análise de Jaque percebeu que ela não era nem metade do que Tati tinha se tornado para Beta. E então ficou mais tranquila ainda. Continuaram em direção a lanchonete.

O almoço correu tudo bem, até que Jaque era simpática. Mas era difícil conviver com aquele trio que já tinha uma sintonia tão perfeita. Qualquer pessoa que chegasse próxima se sentia excluída, mesmo que essa não fosse a intenção! Com Jaque foi assim, mesmo ela não ligando muito.

Já eram quase 4 da tarde quando elas pagaram a conta e iniciaram o processo da volta. Tati já estava se sentindo triste por dentro, assim como Beta. Dani tinha muito para processar depois desse fim de semana bem diferente. Nem parecia que tinham sido só dois dias! Eram tantas coisas, tantos acontecimentos que poderiam fazer parte de um mês inteiro.

O ônibus era as 18:00, elas chagariam em casa umas 20:00, no máximo, por causa do transito. Comprara as passagens, entraram e se encaminharam para os lugares. Eram 3 lugares juntos, e como sempre, Tati sentava no meio, com Beta de um lado e Dani do outro. As duas apoiavam a cabeça no ombro de Tati, e Tati deixava sua cabeça cair para o lado de Beta. No colo de Tati, Beta e Dani apoiavam as mãos dadas. Elas eram assim, unidas e dependentes uma da outra. Se completavam e se encaixavam de maneira que não cabia mais ninguém, nem tinha como sair alguém. Era novo e delicioso esse sentimento. E antes mesmo do onibus sair da rodoviária, as três adormeceram. Afinal de contas, eram 2 dias sem dormir já! A realidade esperava por elas lá longe.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Este post tem 2 comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.