Cap 26 – “Já disse que não”

20121127-192620.jpg
“Que foi bebe? Pra quem você ligou?” – Beta nao tinha entendido nada, assim como Dani.
“É hoje! Acabei de falar pra minha mãe fazer almoço para eu ela e meu pai. Vou contar tudo a ela.”

“Como assim?” Ficou maluca?” – Dani e Beta falaram juntas.
“Prefiro contar e agüentar as consequências do que ela saiba pelas amigas fofoqueiras da igreja!” – Tati estava com a voz tremida, estava com medo, nao tinha certeza se era a melhor opção, mas já estava doida para contar e imaginou que seria o melhor momento já que as coisas estavam ficando cada vez mais difíceis.

O resto do intervalo foi silencioso e tenso, por baixo da mesa a mão de Beta nao largava a de Tati e enquanto isso Dani descontava a raiva armando planos infalíveis para acabar com Nandinha, e isso fazia o trio rir as vezes, o que era um pouco bom. Logicamente, nao tiveram cabeça para voltar para aula, foram apenas pegar as mochilas e sentaram na praça da cidade naquela pedra escondida onde iam sempre. Dani achou um final de baseado na mochila e tentaram com ele, se acalmar um pouco, principalmente Tati.

“O máximo que pode acontecer é minha mae me mandar para outra cidade, certo?” – Tati já estava criando as piores hipóteses, assim na hora o susto seria menor.

O relógio andou mais rápido do que precisava, já estava na hora da saída da aula, ou seja, os pais de Tati já a estavam esperando. Colocou um chiclete na boca e pegou a rua longa para a sua casa enquanto Dani e Beta iam ficar mais um pouco. Lá se foi Tati para o que mais parecia uma tortura.

“Posso falar uma coisa?” – Beta quebrou o silencio.
“Pode sim, se eu esquecer depois voce repete ta?” – Dani sentia os efeitos da droga muito antes.
“Eu nunca na vida senti o que eu sinto por vocês.” – Beta fazia uma cara foda quando se declarava assim. “E eu nao sei mais viver sem voces, sem nos, sem o que nos somos juntas”
“Eu te prometo, nunca vamos nos separar. E isso eu nao vou esquecer depois!”
As duas sentiram que tempos ruins viriam pela frente, mas estariam juntas, nao importa o que houvesse. Se abraçaram e tomaram o caminho para casa, precisavam dormir e passar o tempo, Tati só daria notícias mais tarde.

Na mesa do almoço, D. Ana falava sem parar sobre os projetos da igreja e um pouco sobre Gabriel ainda tentando convencer Tati. A comida, como sempre, estava uma delicia mas Tati quase nao tocou no prato, estava formulando a melhor frase pra contar tudo. Todos acabaram, mas continuaram sentados conversando, ou melhor, D. Ana falando e os dois ouvindo.

“Mae, preciso falar uma coisa com voces.” – Tati tomou coragem e começou. Olhou para o pai que com o olhar demonstrou apoio.
“O que foi filha? Algum problema no colégio? Aconteceu alguma coisa? To preocupada!” – D. Ana nao era o exemplo de paciência e calma.
“Calma Ana, deixa a menina falar!” – o pai de Tati tinha a mania de abrir a boca na hora certa.
“Nao tem nenhum problema mae, so preciso contar uma coisa que ta acontecendo comigo.” Tati estava nervosa e parecia que ia chorar, respirou e continuou. “Primeiro eu quero que os dois saibam que eu estou muito feliz!” D. Ana começou a se remexer na cadeira, começou a perceber onde isso ia acabar. “Foi uma coisa que aconteceu sem que eu planejasse, mas aconteceu e pronto.” Tati respirou mais fundo dessa vez, sentiu os olhares pesados dos pais, pricipalmente da mae e abaixou a cabeça para tomar forcas. “Mae, Pai, eu to namorando e é com a Beta.”
Seu pai na hora levantou chegou perto e a abraçou, o que era um gesto e tanto. Foi o suficiente para Tati desabar no choro. Abraçou o pai de volta e agradeceu baixinho o apoio. “Eu te amo filha” – Seu Paulo era lindo. Sentou novamente e olhou para a esposa esperando a resposta dela, que até agora estava em silencio!

“Isso é ridículo! Voce nao pode namorar uma menina! Isso é errado! Eu sabia que essa garota nao era boa cia!” – D. Ana explodiu em um acesso de raiva como Tati nao esperava!
“Mae, a Beta nao tem culpa de nada! A opção foi minha!” – Tati entre lágrimas tentou ser justa!
“Minha filha nao é assim! Isso é um pecado gravíssimo!” – D. Ana teve a reação que tantas mães por ai tem!
“Mae, para com isso! Deus quer que eu seja feliz e eu estou sendo, muito feliz!” – Tati se levantou para discutir com a mae que já estava de pé gritando.
“Nao ouse falar essa heresia!” – D. Ana veio com o dedo apontado para Tati, parecia que ia bater nela.
“Ana! Chega! Tati vai pro seu quarto que eu vou conversar com a sua mae!” – Seu Paulo interferiu antes que algo pior acontecesse!
“Desculpa mae, desculpa!” – antes de subir correndo as escadas conseguiu se desculpa entre lagrimas.

“Nao quero mais essa garota com voce! Ouviu? Já disse que nao!” – foram as ultimas palavras que Tati ouviu da mae antes de entrar no quarto.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.