Cap 24 – Tudo corre risco

Mas como assim o seu pai já sabia? E como assim ele estava super tranquilo com isso tudo? Na hora pensou no seu irmão! Só pode ter sido ele! Recobrou um pouco dos sentidos e subiu para o seu quarto, ainda em choque. Precisava conversar com Beta.

Se jogou na cama e antes de conseguir discar o nome da namorada, olhou fixamente para o teto, sem piscar. Seu coração ainda estava em um ritmo estranho depois de todo o susto que tinha levado. Desde quando seu pai sabia? Será que realmente tinha sido seu irmão? Ou será que ele, diferente de sua mãe, simplesmente resolveu enxergar o que estava a frente de todos? Não sabia. Ficou tensa, e pegou o celular para ligar para Beta. Discou. Chamou, chamou, ninguém atendeu. Estranho. Antes de tentar novamente mandou uma mensagem para o seu irmão.

“Você que contou para o pai?” – Tati precisava saber!

Jogou o celular de lado, preferiu não tentar Beta de novo, corria o risco de ela estar dormindo. E não deu em outra, Beta tinha apagado com os fones de música no ouvido e o celular no silencioso, ou seja, nunca iria ouvir o celular tocando. Tati foi pelo mesmo caminho e acabou apagando deitada ali olhando para o teto, pensando em como iriam acontecer as coisas. Sonhou com coisas estranhas, sua mãe chorando, seu pai rindo, seu irmão indo embora de novo e Beta chorando enquanto Dani de longe assistia a tudo. Demorou a entender o que era aquilo e antes mesmo que decifrasse, acordou.

Era por volta de 5 da manhã quando Tati acordou com o sol entrando pela janela, viu que Beta tinha acordado de madrugada e enchido seu celular de mensagens. Estava tudo bem, tinha sido apenas um desencontro de horários. Se arrumou, puxou o edredon e retomou o sono, dessa vez sem sonhos, ainda bem!

Eram 9 da manhã e Tati já estava de pé. Era dia de aula de reposição na escola. Como era ótima aluna, Tati podia se dar ao luxo de faltar, mas como também era uma maneira de passar a manhã do lado de Beta e longe de sua mãe, preferiu a aula. Chegou no colégio com alguns poucos zumbis. Todos com cara de sono e olheiras bem grandes, afinal era sábado. Encontrou com Dani e Beta no local de sempre e foram direto para a mesa cativa do trio, a do fundo do pátio. Tati contou para as duas todos os detalhes da noite passada (inclusive o jantar e Gabriel, o que deixou Beta levemente enciumada, nada que declarações e beijos prometidos, não curassem!) e quando chegou na parte da conversa com o pai, fez Beta quase cair do banco de susto e só conseguiu ouvir uma frase.

“Nunca mais apareço na sua casa!” – Era Beta tremendo de medo do sogro, que agora sabia que era sogro dela.

Riram, conversaram, opinaram e não chegaram a conclusão nenhuma. Apenas a de que precisavam ir pra aula. Como de costume, Dani foi na frente e as duas atrás, andando bem juntinhas para deixar a mão esbarrar uma na outra, era uma maneira de ‘andarem de mãos dadas’ meio que sem querer. Gostavam dessa coisa toda do proibido e escondido, chega uma hora que isso se torna prazer.

Dani foi para a sala guardar lugar, o corredor estava deserto e as duas entraram no banheiro, faziam isso sempre. Entravam, verificavam as cabines e davam um beijo, mesmo que rápido, para aí sim, ir para a aula. Era sábado, ninguém ia para o colégio e o sinal já tinha tocado, consideraram o banheiro vazio e começaram a se beijar sem verificar as cabines como faziam todos os dias. Deram um beijo daqueles rápidos, nada muito demorado, trocaram algumas palavras carinhosas e romanticas e voltaram ao caminho da sala.

De dentro da última cabine saiu Fernanda, ou Nandinha, como era conhecida no colégio. A menina que todos os meninos queriam, e que todas as meninas queriam longe. Beta, Tati e Dani, nunca tiveram nada a ver com ela, nem se envolviam no grupo dessas meninas. Mas algo dizia que agora, elas teriam bons motivos para se falar!

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Este post tem 2 comentários

  1. Nicoly

    Adorei naum perco um. Espero que continue logo mau posso esperar. Beijos da sua fã numero 1.

    1. Obrigada Nicoly!! 😉

      Já já vamos ter mais! hehehe!
      E mais uma vez, obrigada pelo carinho!

      Beijos!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.