Cap 11 – É fogo e em seguida um banho de água gelada

Será que Tati aguentaria? Será que valeria a pena? Será que tudo isso não ia acabar com a coisa mais bonita que já tinha tido na vida? A amizade que elas três mantinham. Beta não parava de pensar nisso tudo, já tinha perdido muitas pessoas na sua vida por preconceito e por não aceitação de família. Sabia o quão difícil era tudo aquilo, e não queria perder as duas pessoas que mais ela amou na vida.

Beta e Tati estavam no quarto de Beta, já que o de Tati era território proibido nesse momento. Iam estudar, estavam prestes a começar semana de provas, e como em todos os outros trabalhos/testes/provas que tinham tido até aqui, estudavam juntas, as três. Dani já estava para chegar, resolveu passar em casa antes para dar um tempinho a sós para o novo casal. Beta e Tati não precisavam nem pedir essas coisas, Dani estava sendo a melhor amiga possível.

Beta estava deitada, e Tati no seu colo, abraçada com o nariz no seu pescoço, estavam falando de besteiras e coisas que não tinham sentido, riam com alguma palhaçada, Tati deva beijinhos de leve no pescoço de Beta e Beta a atacava com cosquinhas, até Tati implorar para ela parar.

Em um desses ataques, Beta pulou e ficou em cima de Tati rindo e brincando, até que pararam e perceberam a posição que tinham chegado, Beta então colocou uma das mãos na cintura de Tati, apertou de leve e se aproximou para beijá-la, Tati retribuiu o beijo, colocou suas mãos na nunca de Beta e a puxou para mais perto. A mão na cintura de Tati escorreu para dentro da calça jeans, que por enquanto estava fechada, mas que parecia que não ia durar muito tempo ali. Beta não queria apressar nada, mas estava morrendo de tesão e não conseguiu pensar muito em controlar alguma coisa.

Tati não sabia o que fazer, já não era mais virgem, mas nunca tinha feito sexo com mulheres antes, ouvia muitas historias, mas não tinha certeza do que era verdadeiro ou não. Só sabia que a sensação das mãos de Beta percorrendo seu corpo era a melhor do mundo, e decidiu que não ia mandar ela parar, queria ver aonde ia chegar tudo aquilo. Estava gostando, e principalmente, estava querendo mais.

As mãos rápidas de Beta desabotoaram a calça de Tati que soltou um gemido quando sentiu a calça aberta, Beta sabia exatamente o que fazer. Tati estava em extase desde já. Beta puxou o corpo de Tati para cima do seu e a encaixou nas suas pernas, de modo que o corpo das duas pareciam feitos um para o outro, era o encaixe perfeito que tinha levado as duas a loucura. As mãos de Tati já estavam embaixo da blusa de Beta, chegando nos seios dela, bem devagar, aproveitando o momento que estavam tendo, Beta já estava prestes a tirar a blusa de vez, quando ouviram a campainha lá embaixo tocar.

E poucos segundos depois, ouviram a voz, inconfundível de Dani:
“Meninas, to subindo, cheguei hein!”

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.