Caminhos do amor – Cap 1

Caminhos do amor – Cap 1

Quer notícia melhor do que uma bela estreia? A Bruna vai trazer pra gente, todo sábado, um capítulo novo dessa história que promete ser maravilhosa! Esperamos que vocês gostem do mesmo jeito que a gente já está amando!

Capítulo 1

Quando o dia amanheceu, Amy levantou e olhou pela janela do quarto. O mar de Ipanema era uma das paisagens que mais adorava. Naquela manhã o sol estava nascendo em tom amarelo escuro e ficou ali hipnotizada o vendo surgir aos poucos por detrás do mar. O dia anterior havia sido longo e se não fosse à viagem a trabalho que Tomas tinha que fazer na madrugada, provavelmente ele estaria ali ao lado dela, adormecido na cama.

Amy sorriu quando olhou sua mão direita. O anel solitário com uma pedra de brilhante era um pouco exagerado, mas lindo. Segundos depois o sorriso se desfez para uma expressão mais séria, quando ela se deu conta que agora era noiva. Casar nunca esteve nos planos de Amy. Ela sempre se orgulhou por ser independente. Trabalhou desde novinha mesmo sendo de família rica, terminou a faculdade de Administração cedo, abriu a própria empresa que começou com três funcionários, incluindo ela. Hoje esse número já passava dos duzentos e a empresa era uma das mais importantes de vendas on line do país. Agora, com 28 anos e cursando uma pós em MBA, tinha muitos planos para a companhia. Pensou se casar atrapalharia isso?

Foi inevitável estar onde ela estava agora. Em algum momento ela sabia que o pedido aconteceria, mas apesar da insegurança nunca pensou realmente em dizer não. Ela amava Tomas, ele era um bom rapaz e seria certamente um bom marido. Era trabalhador e ela sempre admirou quem se dedica ao trabalho. Além de tudo era gentil e bonito. Não tinha porque dar errado. Resolveu sorrir novamente diante do anel em seu dedo. Mandou uma mensagem para Tomas antes de ir para o banho.

“O anel é ainda mais lindo de manhã. Tenha um bom dia meu Tom.”

Ela não sabia por que, mas sempre teve dificuldade em chama-lo por apelidos carinhosos como ‘bem’, ‘benzinho’, ‘amor’. Ficava com o ‘Tom’ na maioria das vezes. Ele não se importava, então resolveu não forçar nada.

“Que bom que gostou minha noiva! Tenha um bom dia! Nos vemos amanhã no café com mamãe”

A mensagem do noivo começou bem e terminou mal. Amy detestava a sogra Sônia e sabia que ela também não morria de amores por ela. Era uma senhora metida, que queria tudo do jeito dela. Levantou disposta a não deixar que ela interferisse no casamento. Inclusive já tinha deixado isso claro para Tomas. Faria as coisas da sua maneira, afinal era ela quem iria casar. Tomou um banho, botou seu terno cor de pérola e desceu as escadas. Encontrou a irmãzinha querida sentada tomando café e sorriu para ela.

artes-facebook

– Bom dia Aninha! Beijou a testa da irmã e abraçou-a enquanto ela engolia sua torrada com geleia.
– Alguém acordou sorridente hoje… Ana respondeu com a boca cheia. Ambas riram.
– O que acha? Amy estendeu a mão com o anel para a irmã que fez uma cara de pensativa.
– O anel? Lindo! O noivo já não sei. Deixa eu pensar um pouco… – Amy deu uma tapa no ombro da irmã, que gargalhou em seguida.
– Você não vai parar de implicar com o Tom né?
– Não é implicância. Só não sou fã dele. Mas até que nos últimos tempos estou gostando do rapaz. Sorriu e piscou para a irmã.
– Animada para faculdade pirralha? Amy adorava implicar com a irmã, que tinha dez anos a menos que ela.
– Vou ignorar o pirralha ok? Estou animadíssima!
– Se forme logo e venha trabalhar comigo! Amy disse levantando e engolindo o último gole do suco de laranja. Passando por trás de Ana, abraçou-a novamente e disse em seu ouvido – Boa sorte pirralha! Até mais tarde!

Dessa vez foi Ana quem deu uma tapa na irmã.

– Te amo sua chata!
– Eu também pirralha!

Quando chegou ao trabalho e sentou na sua cadeira, a secretária pediu licença e deu a Amy a agenda do dia. Dirigir uma empresa era bom, ela amava, mas era muito cansativo. Reuniões e mais reuniões. Telefonemas e mais telefonemas. Decisões e mais decisões. Às vezes era difícil até comer decentemente. Abriu sua caixa de e-mail e tinham mais de 50 para ler. Olhou rapidamente os assuntos e quem estava enviando para estabelecer a ordem de leitura por urgência. Era uma mania dela sempre criar uma rota para fazer suas atividades. Parou o olhar incrédulo em um dois e-mails da lista. Era de sua sogra Sônia.

“Logo de manhã?” Pensou derrotada. Respirou fundo.

Clicou.

“Amy, O Tomas me contou que você gostaria de organizar o casamento. Confesso que não gostei muito da ideia, mas ele insistiu então resolvi acatar. Amanhã, no café vou levar uma organizadora de casamentos conceituada. Ela irá ajudar você no processo. Não aceito um não como resposta. Sônia”

Amy ficou paralisada e releu o e-mail umas três vezes. Quem era ela pra não aceitar um ‘não’ como resposta? Sentiu raiva pela petulância da sogra, clicou em responder e uma série de grosserias passou pela sua cabeça. Respirou fundo e decidiu ignorar.

“Uma Organizadora de Casamentos? Era só o que me faltava…”

image

Comente! ;)