Brincadeiras do destino – Cap 61

Brincadeiras do destino – Cap 61

Os primeiros raios do domingo já invadiam a sala e tomavam conta da cama de Carol e Andréia. A menina, que despertava bem lentamente, esticou o braço para se agarrar a Andréia, mas sentiu um vazio enorme na cama. Assutada, abriu os olhos rapidamente e percebeu o lençol mexido e um enorme espaço ao lado. Mas, afinal de contas, onde tinha se metido Andréia? Carol levantou em uma velocidade sobrenatural para um domingo de manhã. Foi até o banheiro e nada. Seu coração acelerou, mesmo sabendo que, no fundo, poderia estar fazendo papel de boba. Correu na sala e encontrou sua noiva com os olhos vidrados no computador e o fone de ouvido, que provavelmente tocavam alguma música clássica em volume máximo.

Carol sabia que ela devia estar completamente absorta em alguma ideia mirabolante e iria demorar para perceber que ela estava ali, apoiada na soleira da porta do quarto, olhando e admirando os movimentos rápidos e certeiros de Andréia pelo mouse e teclado. Aquele projeto para a Suzana estava tirando o sono de Andréia e Carol sabia que era isso que tinha roubado sua noiva tão cedo da cama.

– Posso atrapalhar um pouquinho essa pessoa concentrada? – Carol falou sussurrando no ouvido enquanto puxava um dos fones
– Bom dia, criança! Nem vi que você já tinha levantado! – Andreia tirou o outro fone e girou a cadeira para ficar de frente para Carol
– Levei um susto quando não te vi na cama
– Desculpa, meu amor. Eu acordei com umas ideias e resolvi vir pro computador logo
– Eu percebi. Posso ver suas ideias?
– Adoro quando você se interessa pelos meus projetos. Ou você só esta interessada por ser de quem é? – Andréia na mesma hora mudou a fisionomia e olhou desconfiada para Carol
– Eu vou ignorar a sua pergunta, sentar no seu colo e esperar você me explicar tudinho, tá? – Carol riu e fez como tinha prometido.

Andreia sorriu, girou a cadeira e ignorou o pensamento absurdo que tinha tido antes. Explicou cada detalhe do projeto e ainda colocou em 3D para elas verem como ficaria aquilo tudo “na realidade”. As duas discutiram e Carol opinou em alguns detalhes ainda não finalizados.

– Mas você sabe que ela vai continuar colocando defeitos, não sabe? – Carol falou enquanto puxava a noiva para tomar um café
– Eu sei. Por isso, já tenho um outro plano em mente
– E será que a sua noiva linda, gostosa e super apaixonada pode ficar sabendo?
– Se ela diz que está super apaixonada, pode sim!

As duas emendaram em um beijo gostoso e leve. Daquele tipo para começar o dia. O cheiro de café abriu o apetite e as duas preparam um delicioso café da manhã regado a pães, torradas, geleias, beijos e carinhos. Andréia contou o plano que tinha e já começaram a combinar os planos do almoço e mal terminaram de decidir, o telefone de Carol começou a tocar no quarto. Ela correu para atender enquanto Andreia voltava para o computador.

Depois de alguns minutos, Carol voltou, se apoiou novamente na soleira da porta e com um sorriso sem graça, comunicou:

– Acho que nossos planos para o almoço, mudaram
– Coisas boas?
– Acho que sim
– Então me conte
– Minha mãe quer um almoço em família e pediu para você levar sua mãe e sua irmã
– Jura?
– Juro! E aí? Quer que eu recuse?
– De jeito nenhum! E perder uma oportunidade dessas? Nunca! Vou ligar agora lá pra casa.

E então o domingo seria um divisor de águas naquele relacionamento.

Comente! ;)