Brincadeiras do destino – Cap 58

A mensagem deixou Andreia tão irritada que Carol acordou perguntando o que houve.

– A louca da cliente quer reunião hoje!
– Logo hoje que é minha folga?
– Será que você não consegue trocar a folga, não?
– Deixa eu ligar correndo para a menina nova. Ela já estava querendo trocar mesmo!

Carol correu até o celular que estava carregando na tomada do outro lado do quarto, ligou para a menina e confirmou a troca. Elas não teriam muito tempo, mas ao menos iam para o mesmo lugar. A reunião era no escritório da cliente, no shopping onde Carol trabalhava. Seria um sábado diferente para o casal.

Carol foi dirigindo até o shopping, que era bem perto de casa e aproveitou para marcar com Andreia o local do jantar da noite: o sofá de casa, com comida chinesa pedida pelo telefone e uma garrafa de vinho para relaxar bastante. Afinal de contas, teriam muitos planos a fazer.

– Quem é essa louca? – Foi a primeira pergunta de Andreia ao seu chefe quando se encontraram no hall do elevador.
– Fala baixo. Tá louca? O nome dela é Suzana, se não me engano.

Só a menção ao nome já deixava Andréia arrepiada. E ela não fazia ideia do que estava por vir.

– Aí. Pronto. Ela chegou – o chefe de Andreia falou enquanto ela virava de costas para dar de cara com um pesadelo andando em sua direção.

Suzana, a ex de Carol, que voltou da terra do passado e estava disposta a infernizar a vida do casal mais uma vez. Ela vinha em toda sua pose, em cima de um salto 12, vestida de preto e de óculos escuros. Ela estava decidida a acabar com a vida de Andreia. Ela nunca superou o que tinha acontecido aquela noite na praia. Até aceitava perder o amor de Carol, mas ser humilhada daquela forma era inaceitável e ela se vingaria, com certeza.

– Desculpem o atraso. Estava em uma reunião com fornecedores.
– Você… – Andreia falou quase que sussurrando.
– Algum problema comigo? – Suzana respondeu enquanto tirava os óculos escuros e encarava Andreia

A vontade da arquiteta era espernear, xingar e sair correndo dali. E então sentiu uma pessoa se aproximar do lado dela e viu que era seu chefe. Lembrou do real motivo que estava ali e então não respondeu nada à provocação de Suzana. Precisava daquele emprego mais do que tudo.

– Não senhora. – Andreia se limitou a responder de volta.
– Ótimo. Não gosto de profissionais atrevidos na minha equipe. Vamos para a minha sala.

E com esta patada, Suzana mostrou que só tinha um único motivo para ter contratado justamente aquela empresa. Infernizar a vida de Andreia e de quebra, tentar reconquistar Carol. A reunião seria um inferno, igual àquele início. E esse, seria só o começo.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.