Brincadeiras do destino – Cap 54

O restaurante preferido do casal era bem perto de casa. Um lugar super aconchegante e romântico que servia desde batata frita até pratos sofisticados. A escolha delas era sempre a mesma: macarrão, carne e batata frita. Carol dizia que nada fazia sentido sem a batata frita e Andreia estava começando a se acostumar com a ideia.

– Então me conte. Como foi o almoço com a sogrinha? – Andreia riu da referência que Carol fez à sua mãe.
– Descobri que ela não gostava muito da Diana… – Andreia comentou rindo da constatação
– É, meu amor, descobrimos que você era a única que gostava dela, na verdade – Carol provocou enquanto pegava uma batata frita com a mão.
– Eu já estou percebendo isso…mas de qualquer forma, eu prefiro você
– Eu sei. Sou muito melhor. – Carol fazia uma carinha de esnobe mas o sorriso não saía dos lábios a deixando ainda mais linda.
– Sem dúvidas, você é melhor…
– Ok, isso eu já sei. Mas me conta do almoço.
– Bom, eu estava com muita saudade dela, mais do que imaginava até. Contei tudo sobre você, sobre nós…comentei que a Diana tinha aparecido, mas não entrei em detalhes. Contei que tinha te pedido em casamento e ela está doida para te conhecer.
– Uhmmm, e o que sogrinha falou de mim?
– Bom, ela disse que já gosta muito de você porque ela nunca viu a filha tão feliz assim.
– Uhmm, comecei bem então.
– Melhor impossível, criança – Andreia deu um beijo rápido em Carol e enquanto se ajeitava para comer o macarrão que tinha acabado de chegar, mudou o assunto.

– Ok, agora me conte sua novidade.
– Bom…não é para você se empolgar muito, tá?
– Ai meu Deus…
– Eu consegui um vaga na faculdade de psicologia.
– MENTIRA?
– Calma!! Eu fiz uma pré-prova pela internet e eles me ligaram hoje. Disseram que eu poderia entrar no próximo período.
– E qual o problema? O que está te segurando?
– Na verdade, valores.
– Amor, isso não é problema…
– É sim, Andreia. O salário da loja iria todo para a faculdade e eu não poderia ajduar em casa
– Criança, eu já sustentei aquela casa sozinha durante anos. Continuar a fazer isso para você voltar a estudar seria a minha maior alegria
– Eu não tenho coragem, Déia
– Não tem a ver com coragem, tem a ver com oportunidade
– Eu sei…

Carol comeu uma garfada de macarrão para pensar e respirar. No fundo ela sabia que essa seria a proposta de Andreia e que não conseguiria muito fugir do assunto. Pensou, pensou, bebeu mais uma taça de vinho e quando já estavam pensando na sobremesa, Carol deu a decisão final.

– Seguinte. Eu vou começar a faculdade no próximo período. Ainda faltam uns 4 meses. Antes disso, nós vamos casar, aí depois vamos segurar as despesas. Desta forma, não fica pesado para ninguém.
– Desculpa, amor…eu parei na parte que você falou casar….
– Vamos casar logo, aí depois não vamos ter este gasto…
– Por mim, amanhã.
– Amanhã não. Preciso procurar meu vestido.

Só de imaginar Carol em um vestido branco, Andreia quase chorou. Sorriu sinceramente e ficou toda arrepiada com o assunto que tinham entrado. Era hora de planejar um casório. E isso iria começar com um almoço de mãe, filha e noiva.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.