Brincadeiras do Destino – Cap 29

Voltando a viver…

Era domingo, elas deitaram cedo, dormiram um pouco mais tarde. No dia seguinte, a vida real as chamaria novamente. Era segunda e tudo precisava acontecer.

Durante a noite Carol dormiu feito um anjo. De barriga para baixo, apenas de calcinha e com o lençol enrolado em suas pernas deixando suas costas tatuadas de fora, parecia uma verdadeira imagem divina para os olhos de Andreia, que não conseguia pregar os olhos de forma alguma. Sempre que tentava se render ao cansaço e ao sono a imagem dos olhos de Diana entre suas pernas a fazia acordar e seu coração acelerar. A noite foi terrível.

O sol começou a expor seus raios por entre as cortinas. Fazia pouco tempo que Andreia tinha dormido e mais uma meia hora depois o despertador acordou o casal. Carol se arrastou na cama, ainda de olhos fechados para cima de Andreia. A mulher que não tinha dormido quase nada rapidamente despertou com sua namorada beijando seu pescoço.

Carol estava só de calcinha e Andreia estava só de blusa. Elas encaixavam até na hora de dormir. O despertador já era colocado estrategicamente para uns 10 minutos antes do necessário, elas sabiam que nunca levantavam na hora que ele tocava e nesta segunda não foi diferente. Carol aproveitou que Andreia acordara, puxou sua própria calcinha e levou seu corpo para cima do de Andréia. Era o melhor bom dia que poderiam dar.

Os sorrisos eram claramente encantadores para começar a semana. Carol tinha conseguido deixar a historia de Diana para trás e resolveu ser feliz com Andreia. A amava de uma forma que não sabia explicar, de uma forma que não conseguia imaginar perde-la. Queria ser feliz com Andréia e não ia deixar o passado atrapalhar mais nada. Já se arrependia de muitas coisas na vida para ter mais uma para se arrepender. Andreia era dela e pronto.

Fizeram o caminho de sempre, a rotina que era só delas. Tomaram um café preto rápido em casa, passaram no posto, compraram um pão e seguiram para seus trabalhos. Andreia deixou Carol no shopping. Demoraram um pouco mais para se despedir e então se separaram para trabalhar. Andreia prometeu aparecer na hora do almoço, afinal de contas, precisava comprar um novo chip de celular.

A manhã passou como mágica. As duas estavam andando em nuvens. Sabiam que o que tinha acontecido era grave, mas sabiam também que tinha ficado para trás. Eram quase meio dia e Carol já estava com fome e ansiosa para Andreia chegar logo. Todo momento olhava para o lado de fora da loja esperando ver a visão do seu paraíso, sua mulher.

Enrolada com roupas trazidas e clientes exigentes em uma das olhadas para o lado de fora, Carol avistou uma morena linda que ela conhecia, só não sabia de onde. Com a pressa não teve tempo de analisar muita coisa e quando olhou de novo ela tinha sumido. Seu coração bateu acelerado e ela não entendeu muito bem o motivo.

Uns quinze minutos depois quando olhou de novo viu o sorriso mais amado do mundo a encarando. Andreia tinha chegado e a estava esperando para almoçarem e comprarem o chip. Carol era só felicidade, entregou a cliente para uma de suas companheiras, falou com a gerente e em poucos segundos estava nos braços de Andreia. Pulou no colo dela como uma criança, chamando a atenção de todos em volta.

Os sorrisos tímidos nos rostos das pessoas que viram a cena traduziam o amor que exalavam, a felicidade que transpareciam e a paixão claramente dividida. Carol esqueceu a tal morena de vez, por enquanto. Ela voltaria a aparecer.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.