Beijo de amor em “Amor à vida”. Mordemos a língua.

Na semana passada, no episódio de terça rolou a cena em que Félix pedia para dormir com Niko. Seria o momento perfeito para o beijo entre eles. Não rolou. Uma onda surgiu na internet dizendo que a Globo, mais uma vez, iria boicotar o beijo gay alongando esse tabu e incentivando a discriminação. Admito, fui nessa onda. Inclusive fizemos um texto aqui dizendo o quanto eles erraram em não deixar o beijo rolar já que a cena pedia um beijo. Mordemos a língua. Graças a Deus.

No último episódio da novela muitos personagens tiveram seus desfechos mostrados, Aline morreu de uma forma bizarra, Ninho ficou preso mas conquistou um pouco do amor de Clarinha, sua filha, Paloma e Bruno terminaram bem e grávidos, a autista Linda terminou casada com Rafael (opiniões à parte) e pintando quadros que achei lindos. Enfim, todos estavam felizes, mas o Brasil queria mais.

E no último bloco o que tanto esperávamos aconteceu. Félix e Niko estão morando em uma casa na praia com seus filhos e com César, que ainda está na cadeira de rodas. A vida foi bem justa com eles. Depois de passarem por altos e baixos, estão felizes e apaixonados. Félix é dominado pelo amor. Depois de ser ruim a novela toda, ele se torna um eterno romântico do tipo que morre de saudades quando o amado sai para trabalhar. E foi justamente com esse roteiro apaixonado que o beijo aconteceu. Mateus Solano e Thiago Fragoso com uma sensibilidade única marcaram seus nomes na história da tv brasileira como o primeiro beijo gay de uma novela de horário nobre e que durou mais de um milésimo de segundo.

Mais do que um beijo gay a novela quebrou um preconceito com o amor gay, que na verdade é só amor. Walcyr errou muito na novela – na minha opinião – mas acertou quando decidiu mostrar mais do que um casal gay, mas mostrar uma família inteira formada por um casal gay.

Não vimos um beijo gay, vimos um beijo de amor de um casal apaixonado. E é com isso que a novela foi tão importante. Por mostrar que gay é gente como a gente e que vive ao seu lado, como você. Que tem problemas, que se desentende e que se ama. Mais do que quebrar o tabu do beijo gay, “Amor à vida” quebrou o paradigma da família gay. E para coroar presenteou o Félix com o amor e o respeito de seu pai, que na verdade é o que ele perseguiu a novela inteira.

No final do episódio, as pessoas queriam ver o beijo não só por ser o beijo gay, mas por parecer certo, já que tivemos uma enorme quantidade de casamentos no último episódio, seria óbvio o casal mais amado do Brasil poder ao menos se beijar. As reações por todos os lugares eram de vitória, eram de agradecimento, eram de emoção. Eu fiquei emocionada ao ver o beijo e na mesma hora entrar no twitter e ver que minhas emoções eram compartilhadas por tantos na rede. Chorei, de verdade.

Obrigada, Walcyr. Obrigada, Mateus Solano e Thiago Fragoso. Obrigada, Globo por permitir que isso acontecesse. Obrigada, Brasil por comemorar essa vitória conosco. A vitória não é dos gays e lésbicas. A vitória é do amor e do respeito. Quem ganha com isso não sou eu, é o Brasil e o mundo…e quem sabe meus filhos que poderão encontrar um mundo um pouco mais digno e honesto e quem sabe tudo isso começou ao verem um beijo entre duas pessoas que se amam em uma novela da principal emissora do país.

Ah, e para quem não viu (se é que isso é possível), tem aí o vídeo da cena. <3

[youtube=http://youtu.be/w67Xw4RHqh8]

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.