As cartas que não envio

Leka,

Hoje eu pensei em parar de te escrever, essas cartas que eu escrevo, escrevo, escrevo, e não envio, nem rasgo, nem toco fogo. Eu pensava que ia ser melhor se eu escrevesse sem enviar, pelo menos tenho a sensação de que você está me ouvindo. Mas depois foi passando o tempo e vi que não é suficiente. A verdade é que não consigo parar nem sequer um segundo de pensar em você e isso tem acabado comigo, sugado minha energia. Pra todos os lugares que vou, todos os livros que leio, cada música que escuto: Você, você, você.

Não acha que já ta na hora de engolir esse orgulhinho bobo e sentar pra conversar? Ta eu sei, eu fui arrogante com seu pai aquele dia, mas ele me ofendeu, o que você queria que eu fizesse? Entendi. Nem comecei e já estou me justificando… Eu fui arrogante com seu pai e não deveria ter sido, ok? eu consigo compreender.

Se ao menos eu enviasse essas cartas, mas elas ficam aqui, pregadas nesse mural de cortiça em cima do computador, olhando pra mim como se me cobrassem uma atitude. Acho que me atropelei nas atitudes, meti os pés pelas mãos. Tenta me entender, eu tava muito apaixonada, me perdoa vai? Você acha que eu sabia o que estava fazendo? Sei que eu dizia o tempo todo que sabia o que estava fazendo, mas é obvio que eu não sabia, que ironia! Você sempre me deixou pra trás nessa coisa de maturidade, o problema é que eu te convenci do contrário e até você acreditou.

Hoje eu consigo enxergar tudo. Só não consigo enxergar como eu deixei passar, como eu pude te perder dessa maneira, tem tanto rancor envolvido… Vamos dissolver isso, ao menos dissolver, se não der pra recompor.

Porque você foi embora no meio daquele jantar? Eu queria muito saber o motivo, mesmo que vá me machucar. Não precisa, já sei o que você vai dizer: “Não tô nem aí se vai ou não te machucar!”. Tudo bem, mas você pode me contar? porque eu jamais entendi. Você levantou e foi embora, subitamente, me olhando com raiva e falando coisas acumuladas de outras discussões.

Eu sei, eu to ficando repetitiva e sem muito sentido, mas não consigo pensar em mais nada desde que você foi embora, me dá de novo a chance de colar o meu sorriso no teu.

Pra sempre sua,

Lina.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.