Anna – Cap 15

Um hospital nunca é um lugar agradável de se estar. Anna olhava para aquelas pessoas enquanto caminhava e podia ver em muitos a falta de esperança. Talvez visse isso por estar assim.

A primeira vez que sua mãe foi internada, foi desesperador para Anna. Dulce, por achar a menina muito nova, não a permitiu ir ao hospital. Mas dessa vez a menina ja estava crescida.

– Não se deixe abater pelo clima do hospital. Não é um lugar para se ficar por muito tempo! – Disse sua tia.
– Eu não sei mais o que faço… Ela está fora de controle! – respondeu Anna, com lágrimas nos olhos e um tanto cabisbaixa.
– Calma, meu amor! Você nao tem culpa de nada. Já tentou o que pôde. Não se culpe por ela não saber ser forte… Ela tem algo a aprender, mas não perca a esperança enquanto isso não acontece!

O quarto que Dona Cida estava era simples. Maca, lençóis velhos e um aparelho de soro que levava até o braço da mãe. Os médicos disseram que ela já estava para ter alta. Mas fizeram algumas recomendações que não era difícil compreender. Nada de álcool e melhorar a alimentação estavam entre elas.

Anna viu a mãe na cama, mais uma vez em estado crítico. Não entendia o prazer que a mãe sentia em fazer parte daquela realidade. Mas dessa vez não brigaria, nem gritaria. Apenas observava! Dona Dulce, ainda fraca, apenas olhou para a filha, com o olhar um pouco baixo e pela primeira vez, Anna percebeu algo de diferente. Arrependimento, talvez… Voltariam para casa logo.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.