Anna – Cap 12

O beijo era forte. Intenso. Anna mal pôde pensar em como chegou ali. Só sabia que queria e estava querendo cada vez mais! Duda sabe o que faz e faz muito bem. Corpos molhados, bocas coladas, aquele beijo animal, cheio de vontades. Duda segurou Anna pela cintura, puxou para si e a levou até prendê-la contra uma pedra. Dali não escaparia tão fácil… E era assim que Anna gostava.

A brincadeira foi ficando séria. Duda levou sua mão até o sutiã de Anna e o abriu em um instante. No outro, já estava caminhando com a boca no pescoço, até chegar aos seios. Anna, que estava com uma mão na cintura e a outra na nuca de Duda, logo sentiu que as coisas passariam dos limites e a puxou pra cima.

– Chega. – Disse Anna, ainda segurando os cabelos de Duda.
– Tudo bem, a gente para se você quiser… – Contraria às palavras que disse, beijou Anna mais uma vez e em seguida foi até a mochila pegar algo.

Enquanto isso, Anna pôs o sutiã.

– Então é aqui que você traz as meninas quando quer transar?
– E é aí nessa pedra que eu mato as virgens! – Disse Duda em tom sério. O que fez as duas gargalharem segundos depois. Duda continuou…

– Eu descobri esse lugar já fazem alguns anos… sempre que dá, venho aqui relaxar. A cidade enlouquece as pessoas! Trabalho, trânsito, trabalho… Estresse pra todo lado! Não há quem aguente…

Duda tirou da mochila toalhas secas! Já estava na hora de ir embora. Não levaram nada para o almoço e a fome já estava batendo…

– Quando você quiser, te trago aqui de novo. Agora precisamos ir!
– Ok, senhora assassina de virgens!

sig_Lu.png

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.