Cap 3 – A noite que nunca acabou

Beta, que parecia estar dormindo, puxou o braço de Tati que estava por cima de sua barriga e a trouxe perto o suficiente para….que seus lábios ficassem então a poucos milimetros de se encontrar. A respiração ofegante de Tati pareceu parar. Ela nunca tinha beijado uma menina antes. E teve vontade de beijar Beta naquele instante. Mas será que Beta também queria? Ou era a vodka em excesso falando mais alto?

Beta, sem mexer a cabeça virou seu corpo de lado, seus olhos fixados no de Tati, que estavam iluminados pelos raios de sol, do amanhacer que entravam pela cortina mal fechada. Ela queria tanto beijar Tati, que não sabia o que fazer. Pensou na amizade, pensou em Dani, pensou na vodka, e não pensou em nada.

A mão de Tati escorregou da barriga de Beta, aonde estava há um tempo, se arrastou pela cama para chegar ao rosto de Beta. Tati fez um carinho de leve, e disse em um sussurro praticamente inaudível. “Você é linda.”

Beta riu sem graça, sem tirar os olhos fixos dos olhos de Tati, puxou sua mão, a apertou bem forte entre as suas e sussurrou “Fecha os olhos, por favor”. Sem nem perguntar, ou duvidar, Tati os fechou.

Beta ainda não sabia o porque tudo aquilo estava acontecendo. Mas a beijou.

Um beijo lento, molhado, ambas de olhos fechados e corpo congelado. A língua de Beta abria caminho na boca de Tati, que pela primeira vez recebia um beijo tão macio e delicado que não teve como parar. Não que ela quisesse. Esperou por isso a noite toda, mesmo que não soubesse.

O beijo foi esquentando. E as línguas iam se encontrando e se conhecendo. As mãos se soltaram e se grudaram nas costas uma da outra. Beta em um movimento quase que automático estava em cima de Tati com as mãos em seu pescoço. Ela nunca tinha beijado uma menina tão especial daquela maneira.

Tati estava em extase. Ainda não sabia o que queria de verdade, mas preferiu não pensar mais nisso. Nada mais estava em sua cabeça, a nao ser as pernas de Beta no meio das suas.

As mãos já não se satisfaziam mais, e as de Beta escorreu até a cintura de Tati, apertando-a de leve, fazendo seu corpo inteiro sentir uma onda de calor e se contrair de prazer. Quando Beta passou os dedos por entre o short curtinho que Tati estava vestindo para tomar o celular tocou.

As duas pararam imediatamente. O tempo tinha passado e não dava para ter percebido.

Eram 10:30, o toque, especial da Dani, avisava que o domingo já tinha começado.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Este post tem um comentário

  1. Kath

    Poxa dani pra que esse toque de domingo em shuahsuahsuah
    ótimo capítulo

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.