50 Tons da Vida – Cap 5

Voltei para continuar o episódio festa/Donna/eubebada e tal! Cês lembram né? Eu agarrei ela lá no meu quarto depois de beber quase metade de uma garrafa de vodka! Alias, como se aprende a gostar de beber rapido né? Engraçado! rsrsrsrs

Mas ai entao nos fomos pra festa! Realmente, se ela nao tivesse me levado eu teria me perdido! Era do outro lado da faculdade que eu só conhecia de vista! No caminho ninguém falou do assunto “a louca beijando a menina linda” entao fomos falando de milhões de outras coisas. Na verdade agradeci por isso, foi o que eu precisava para relaxar. A parte detrás da faculdade era um pequeno morro, pequeno mesmo, e a festa ficava do outro lado dele. Subimos (agradeci por ter ido de all star) e quando chegamos lá em cima avistamos a festa meio que embaixo. Não era tão grande mas tava tocando funk brasileiro. Eu ria sem parar quando me dei conta disso, e a linda da Donna sabia o que era e me esclareceu a duvida.

– A playlist é feita por varias pessoas, inclusive eu!

ELA GOSTA DE FUNK! Ai Senhor, essa menina ainda me mata! Entao, consegui parar de rir e ela me olhou com um olhar muito doce, com um riso contido e uma expressão de carinho enorme. Sem tirar os olhos do meu se aproximou de mim, eu engoli em seco, ela puxou minha mão e entrelaçou com com a dela e com um gesto de cabeca me chamou para entrar na festa com ela. DE MÃOS DADAS! As pessoas devem ter pensado que era pq eu era retardada porque essa era a cara que eu tava! Retardada.

Ela conhecia todo mundo. TODO MUNDO MESMO! Mas tambem né, ela era monitora e estava lá há anos! E fiquei sabendo depois que o pai dela ja trabalhou por lá tambem! Entao ajuda né? Bom, ela passou a festa toda de mãos dadas comigo e corpo coladinho, mas nada de beijo nem perto disso! Pra mim a mão dada, a mão na cintura, o carinho no braço, tudo isso ja era muito diferente! No Brasil quando eu saia com alguma menina a gente andava a metros de distancia pra ninguem perceber e aqui eu tava ali grudada nela e ninguém ligava! Ninguém olhava torto nem achava estranho! Muito pelo contrario, tinham outros casais gays pela festa. Era novo, era excitante, era muito bom!

Ela me tirou do meu devaneio quando me abraçou pela cintura enquanto conversava com um menino que eu nao conhecia, acho que ele tinha acabado de chegar, porque esta a tao arrumadinho. Era lindo ele. Loiro com dreads no cabelo, olhos castanhos, mas enormes, uma pele bronzeada e um corpo bem torneado.

– Esse aqui é meu irmão, o Don.

Donna me apresentou e ele veio super receptivo me dar um abraço! Bem que ele tinha uma bunda de brasileiro! Delicia! Pois é, eu tinha uns suspiros heteros ainda! Mas ele realmente era bonito. E pelo visto Donna nao apresentava ele para todas porque ele ficou meio espantado quando me cumprimentou. E eu internamente comemorei a atitude. Ficamos conversando na mesma posição, meu corpo grudado no de Donna com ela me segurando pela cintura e ele na nossa frente contando da manha que teve! Ele trabalhava como voluntário em um orfanato de crianças estrangeiras. Ele contava com tanto carinho que achei lindo o trabalho todo!

No meio do papo escuto sair da caixa de som uma música que era uma das minhas preferidas! Nem lembro se na época era velha ou nao! Era o toque do meu celular, era brega, mas eu amava! “Coração, para que se apaixonou, por alguem que nunca te amou…” Comecei a dançar sozinha no lugar mexendo a cintura que, estava entre as mãos de Donna, no ritmo da música.

– Quer dançar? – Ela me perguntou meio tímida.
– Quero! Deixa que eu te levo! – A puxei pela mão piscando e sorrindo para Don como que pedindo uma permissão para leva-lá. Ele sorriu e foi encontrar uns amigos. Agradeci a minha mae as aulas de dança de salão durante o processo de “cura hetero” dela.

A puxei e grudei o meu corpo no dela, eu tinha uma desculpa para isso. Coloquei meu rosto em seu pescoço, e sussurrei.

– Deixa a música e eu te levarmos!

Ela obedeceu! Senti seu corpo relaxando e a puxei no ritmo! Rodamos e fizemos passos, ela ate que tinha ritmo direitinho! Rimos quando ela pisou no meu pé, nos apertamos ainda mais os corpos, sua mão fazia carinho nas minhas costas, o que as vezes me desconcentrava e a respiração dela aquecia meu pescoço. Parecia que nada mais existia! Ate porque ninguém nos olhava com interesse algum! Outros dancavam e muitos bebiam.

De relance, vi Don com um outro menino do lado, um negro lindo! Os dois nos olhavam enquanto Don falava algo para o menino sobre nos, era obvio! Nem liguei, curti o momento! Estava delicioso! A música chegava ao fim eu queria continuar grudada nela. E como se percebesse essa vontade ela me apertou ainda mais. Foi a hora que tirei a cabeca do pescoço dela e trouxe para ficar frente a frente com ela. Ai minha querida, eu gelei! Ela estava com um olhar delicioso, tinha fogo ali! Ela me beijou. ELA ME BEIJOU! SIM, ELA ME BEIJOU!! E eu a beijei! QUE BEIJO ERA AQUELE MINHA SENHORA????? Um beijo molhado, quente, cheio de vontade! Bem diferente daquele outro lá do quarto! Mas foi mais rapido tambem!! Uma pena, eu sei! Ela me soltou e eu senti alguns olhares em nos, mas nao eram de preconceito ou estranhamento, era so de surpresa! Talvez por eu ser a novata ainda!

– Vamos embora? – Donna me sorriu e apertou minha mão.
– Vamos!

Saímos pelo outro lado da festa. De longe demos tchau para o Don e o amigo dele. Don jogou um beijo para nos duas de longe e o amigo dele apenas acenou com uma cara de poucos amigos, mas eu caguei para ele! Estava nas mãos de Donna e saindo da festa depois daquele beijo. Comecei a pensar no que ia acontecer! PUTA MERDA, A GENTE IA TRANSAR?? Fiquei tensa! Nao tinha experiência nenhuma, praticamente! So tinha ficado com uma menina ate entao! FUDEU! So pensava nisso enquanto andávamos para os dormitórios, mas para o outro lado! A parte detrás.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Este post tem 11 comentários

  1. Ana Rita D'Cássia

    Sabe… O mais interessante na historia é que ela mostra uma realidade engraçada de muitas pessoas, e é isso que realmente a torna o mais interessante possivel…
    Bjs…

    1. Que bom que você continua gostando! 😉
      Espero continuar agradando sempre!!
      Beijos!

  2. Ana Rita D'Cássia

    Não duvide disso…
    Eu adoro muito esses post’s…
    Muito mais do que o meu irmão…
    Portanto você não corre o risco da minha desaprovação…
    Continue assim…
    Bjs…

  3. Emile

    Ai quando vai ter o próximo muito bom, gostei muito desse capitulo 😀

    1. rsrsrsrs!! Obrigada querida!! Vou tentar postar amanhã e se não conseguir, no sábado tá? Sem falta!! =)

  4. Bruna

    ainda espero o próximo conto :c

  5. Kath

    Adoro o jeito que você escreve é bem engraçado :p

  6. Camila

    sou nova por aqui…..to amandoooo

    1. Grupo HPM

      Ebaaaa!! Bem vinda Camila!! \o/

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.