50 Tons da Vida – Cap 25

Não me matem, não me matem! A vida nem sempre transcorre da maneira que planejamos então nem sempre as cosias saem como deveriam. Pareço dramática, mas sou realista e só estou falando isso pra vocês ainda me amarem e não pararem de ler minha humilde história! kkkk

Ok, na verdade quero pedir desculpas por ter sumido tanto tempo. Na verdade o blog passou por um mês de recesso né? A Mari ficou sem computador e eu, bom, eu tive tantos problemas que acho que já compensei pelo ano todo. Mas no final das contas, voltamos, estamos com muita vontade de fazer o melhor site para vocês. Vamos então?

Parei de blá blá blá! Quero continuar minhas historinhas. Como eu sei que todas vocês amam o meu caso com a Donna, resolvi contar o segundo dia no meu apartamento. Vocês lembram? Que ela dormiu comigo lá na primeira noite né? Pois é. O dia tinha tudo para ser perfeito. Estava no meu apartamento com uma mulher maravilhosa que me amava, no auge da paixão. Não tinha como dar errado, não é? Eu também achava isso. Bom, vamos aos poucos.

A noite tinha sido sexy, quente recheada de amor. Todos os tipos de amor. Já passava de 1 da manhã quando acordamos depois de comer. Despertamos com o barulho do meu celular vibrando em cima da mesinha que ficava ao lado da cama. Na verdade era uma caixa de madeira que a antiga moradora do meu dormitório lá no campus deixou e eu aproveitei como mesinha, super útil. Era minha mesinha de cabeceira.

O celular vibrou duas vezes, o que indicava ser uma mensagem de texto, e era muito estranho porque a unica pessoa que me mandava mensagens estava deitada ao meu lado, só de camiseta, sem calcinha, uma tentação com um lindo sorriso no rosto. Mas antes de me render aquela loira ali, peguei o celular e demorei alguns segundos para me acostumar com a luz que ele emitia. Era minha mãe. Fiquei preocupada, achei que tinha acontecido algo lá no Brasil. Hoje é sua primeira noite na casa nova. Espero que esteja tudo bem, qualquer problema me ligue. Te amo. Não podia ser verdade. Era minha mãe me mandando uma mensagem fofa e dizendo que me amava. Não aguentei, lágrimas escorreram do meu rosto junto com um sorriso se abrindo. Donna levou um susto com as lágrimas e em um pulo pegou o celular da minha mão preocupada. Depois de ler a mensagem ficou com os olhos cheios d’água, jogou o celular na outra ponta da cama e em um só movimento me deitou embaixo dela e me encheu com um beijo quente e intenso. Acho que ambas acordamos com vontades.

Depois daquele sexo quente e delicioso que só a Donna saberia como me dar, levantamos e terminamos de arrumar algumas poucas coisas na sala. Já eram 4 e pouca quando voltamos para cama para dormir, mas antes, mais uma dose de beijos, mãos, línguas e suspiros apaixonados. Dormimos nuas dessa vez, enroscadas.

Passavam das 11 quando ouço barulho de gente batendo na porta. Como quem leva um susto enorme, pulei já me enfiando em uma roupa qualquer pelo caminho, consegui não acordar aquela beleza loira na minha cama. Me enrolei em um casaco, não que estivesse frio, mas precisava me cobrir mais. Corri na porta e quando abri dei de cara com tudo que eu não queria para estragar o momento. O ex namorado da Donna e ex dono do apartamento.

Um sorriso sem graça dos dois lados, olhares que não permitiam se encontrar. Ele só queria saber se tinha ficado uma blusa dele no armário, ou algo assim, não lembro bem. Disse a ele que não tinha mais nada dele lá, que a casa estava 100% vazia, mas devo ter parecido um pouco mais grossa do que o necessário, pois ele me respondeu cheio de raiva que eu tinha roubado a Donna dele e que eu era uma brasileirinha qualquer. Minha querida, fale qualquer coisa mas não me chame de qualquer que eu viro bicho! E foi isso que aconteceu! Comecei a xingar ele em portugues, inglês, espanhol ou qualquer coisa que viesse na minha mente. Acordamos a Donna.

Em uma fração de tempo que eu não tenho ideia de quanto é, Delle estava atrás de mim, nua, enrolada apenas no lençol olhando para os dois malucos se xingando. COMO ASSIM A MINHA MULHER APARECE NA FRENTE DO EX ENROLADA SÓ NO LENÇOL?

Pois é, fiquei possessa com isso, bati a porta na cara do outro lá e joguei todos os meus gritos e raiva para cima da Donna e só consegui parar quando ela estava encolhida na cama aos prantos. Aí parece que vem aquela onda, aquela porrada no seu peito e te joga no chão. Me joguei no chão e começei a chorar copiosamente. Não sei quanto tempo mais choramos. Eu no chão, ela na minha cama.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Este post tem 6 comentários

  1. Lucilana

    Sorry,mas acho que teve um erro de digitação..
    ” Um sorriso sem graça dos dois lados, olhares que não permitiam se encontrar. Ele só queria saber se tinha ficado uma blusa dele no armário, ou algo assim, não lembro bem. Disse a ele que não tinha mais nada dele lá, que a casa estava 100% vazia, mas devo ter parecido um pouco mais grossa do que o necessário, pois ele me respondeu cheio de raiva que eu tinha roubado a Delle dele e que eu era uma brasileirinha qualquer. Minha querida, fale qualquer coisa mas não me chame de qualquer que eu viro bicho! E foi isso que aconteceu! Comecei a xingar ele em portugues, inglês, espanhol ou qualquer coisa que viesse na minha mente. Acordamos a Donna.

    Em uma fração de tempo que eu não tenho ideia de quanto é, Delle estava atrás de mim, nua, enrolada apenas no lençol olhando para os dois malucos se xingando. COMO ASSIM A MINHA MULHER APARECE NA FRENTE DO EX ENROLADA SÓ NO LENÇOL?

    Pois é, fiquei possessa com isso, bati a porta na cara do outro lá e joguei todos os meus gritos e raiva para cima da Donna e só consegui parar quando ela estava encolhida na cama aos prantos. Aí parece que vem aquela onda, aquela porrada no seu peito e te joga no chão. Me joguei no chão e começei a chorar copiosamente. Não sei quanto tempo mais choramos. Eu no chão, ela na minha cama.

    Aparti do 2º parágrafo citado. Peço que olhem.. Att. Lucilana Morais

    1. Grupo HPM

      Desculpe, não consegui encontrar o erro, poderia ser mais específica?
      Obrigada

  2. Carla88

    Acho que você chamou a Donna de Delle…nada que atrapalhe a compreensão do texto…

    1. Grupo HPM

      Obrigada querida!! Coisas da emoção. Mas já está certinho. =)

      1. Lucilana

        Gostaria de pedir até desculpa por ter dito o erro.. fiquei até sem graça. MAS COMO gostooo mt da história e dos cap. Enfim. Obg e desculpa qlqr coisa.

        1. Grupo HPM

          Sem problema algum Lu. Só demorei a ver o erro. Desculpe a minha falta de atenção! 😉
          Obrigada.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.