50 Tons da Vida – Cap 21

Voltei gente. Semana passada dei um mega susto em vocês né? Do nada, estava namorando com a Donna. Aposto que vocês nem esperavam isso. Mas é que deixei pra contar em um momento mais legal mesmo! rsrsrs

Então, como contei da última vez, ela me pediu em namoro em um clima mega ultra romântico em Nova York, e tudo mais. E até me conseguiu um emprego pra ficar por aqui, ou seja, tudo perfeito e lindo né? Pois é meninas, me fez ficar mega apaixonada! Aposto que vocês também ficariam, afinal, quem pede você em namoro no alto do empire state com um jantar e uma mega declaração? Então voltamos a nossa faculdade no clima de maior romance do mundo com rosas nos nossos caminhos e pássaros cantando nos nossos ouvidos.

Estávamos há 3 dias grudadas. Donna voltou a dormir no campus e de noite sempre escapava para o meu quarto. Eram noites de sexo, amor, romance, declarações e tudo mais que o início de namoro tinha. Estava tudo tão bem que eu esqueci completamente que minha mãe tinha marcado de vir me visitar. Na verdade ela ia me ajudar a procurar um apartamento porque eu iria precisar sair do campus quando conseguisse um emprego de verdade. Coisas de americanos.

Estavamos deitadas, nuas na minha cama, era muito cedo ainda. Faltavam umas 2 horas para levantarmos realmente quando ouvi ao longe meu celular vibrar. Achei que fosse uma mensagem, ou algo do tipo, mas vibrou tanto que percebi que algo estava errado. Quando peguei vi o nome de minha mãe chamando e pulei da cama para atender o celular.

– Filha, já estou no taxi chegando ai.

Foi o tempo de responder, acordar Donna e me enrolar em qualquer roupa que achei pelo caminho. Foi tão rápido que vesti a blusa de Donna enquanto a expulsava, carinhosamente, do meu quarto. Ela entendeu e foi terminar de dormir no quarto dela enquanto me mandava beijos de longe.

Em alguns minutos minha mãe estaria chegando no meu quarto e nesse momento tinha um poster enorme de uma foto tirada minha e da Donna no empire state e a bandeira gay pendurada na minha cama. Pois é. Tinha muita coisa a arrumar. E graças a Deus consegui enfiar tudo em um canto do armário alguns minutos antes da minha mãe chegar. E assim mesmo, ela reclamou da bagunça. Mas ela era mãe, então assim que tinha que ser né? Estava tudo bem.

Não demorou muito para ela perguntar de namorados, amigos, amigas e coisas do tipo. Reclamou que eu não tinha muitos vestidos no meu armário e que eu precisava me maquiar mais. Ignorei todos os comentários. Mas eu sabia que não ia conseguir ignorar por muito mais tempo. Respirei, contei até 10 e prometi a mim mesma que não ia deixar ela estragar aquela semana que até então estava sendo maravilhosa. Será que eu iria conseguir resistir à minha mãe? Veremos….

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.