50 Tons da Vida – Cap 12

20130319-144134.jpg

E aí meninas, estao empolgadas com as historias né? Entao, lembram que comentei de um tal caderninho da ultima vez? Pois é, vou falar dele hoje! Mas antes queria dizer umas coisinhas a mais.

Quando pensei em contar essas historias para voces fiquei muito tempo pensando no nome que eu daria, e foi justo na época que 50 Tons de Cinza estava famoso e tudo mais e se querem saber, eu li o livro, alias, os tres! Nao sou ninguem pra dizer se é bom ou ruim, mas para mim o livro não é nada menos do que um conto da Disney para maiores de 18 anos, sempre com final feliz. Entao pensei um dia “os 50 Tons da Vida são bem diferentes desse livro” e assim cheguei ao nome dessa coletânea de historias, que tem momentos felizes e outros nem tanto. E vou falar um pouco disso hoje!

Em todas as historias que contei tem sido tudo maravilhoso né? Festas, amigas, bebedeiras, mulheres, sexo e alegrias! Mas nem sempre é assim! Uma das coisas que acabavam comigo lá eram os ataques da minha mãe! Ela me mandava emails perguntando se eu na estava curada! Eu chorava a noite toda com esses emails! A Donna mesmo ja me consolou muitas vezes depois desses emails. Ela costumava dizer que era a unica forma que minha mae conhecia de me mostrar que me ama. Eu nao aceitava de maneira alguma, ainda nao aceito, alias!

E um outro episódio triste, alias, traumatizante pra mim tem a ver com o tal do caderninho que eu falei. É o seguinte. No Brasil quando eu era mais nova tinha mania de manter um caderninho onde anotava o nome dos meninos que eu ficava nas festas e boates. Fazia isso com as minhas amigas e ficava comparando depois! Depois que fiquei com a primeira menina no Brasil, anotei lá tambem! So que na pagina seguinte dos meninos. Um belo dia estava com umas amigas do colégio e fomos comparar os nomes e eu tinha esquecido do nome da menina lá. Acabou que elas viram e eu inventei uma desculpa dizendo que aquela era uma amiga minha que para brincar escreveu o nome dela ali. Logicamente elas ficar com a pulga atras da orelha com essa historia mal contada e desde entao eu fiquei com trauma e resolvi parar de anotar tudo!

Quando comecei a viagem decidi recomeçar tudo na minha vida e no aeroporto mesmo, encontrei um caderninho que a capa era de arco íris e tinha escrito “Make love. Not war” era perfeito! Nem pensei duas vezes, resolvi recomeçar a brincadeira, agora só para mim mesma!

Esse caderninho andava na minha mochila e em uma aula ele acabou caindo no chão e antes mesmo que eu percebesse que ele tinha caído um dos meninos do time de futebol pegou. Ele era um daqueles babacas que nao entendem nada de respeito e dignidade sabe? Não deu outra, abriram, leram e ali mesmo, na sala de aula começaram a me sacanear. Eu já tava meio acostumada com zuações de escola lá do Brasil, mas rapidamente tomou uma proporção enorme. No dia seguinte acordei com uma calcinha presa na porta do meu quarto, toda rasgada. Até que a calcinha era bonita, mas fiquei muito mal! Liguei pra Donna correndo, ela veio me buscar no quarto e me levou a direção da faculdade! Contei tudo que tinha acontecido e eles queriam ligar pra minha mae! Implorei para que nao ligassem, expliquei como era minha relacao com a minha familia e pedi para que isso fosse resolvido por aqui! Eu so queria na verdade que quem fez aquilo fosse punido, uma advertência, suspensão, nao sei. Foi nesse momento que percebi como as coisas sao diferentes do Brasil (nada contra meu pais hein) mas os envolvidos, os meninos que pegaram meu caderno e a menina que prendeu a calcinha foram expulsos da faculdade. Sem discussão, simplesmente expulsos! E eu? Bom, fiquei uns 3 meses sendo conhecida como a lésbica mais fodona da faculdade (fase ótima, peguei varias meninas por causa da fama) mas logo depois voltei a cair no anonimato, o que sinceramente, eu preferia!

É meninas, em todo lugar existe bullying, ódio e preconceito e nós nao podemos ficar caladas tá? Se algo acontece com voces, acione um superior, faça alguma coisa para mudarmos esse mundo. Vamos lutar! Juntas nos podemos mudar a sociedade, sim! E contem comigo, sempre! Se não tiverem ninguem para falar, podem falar comigo! Sou ótima conselheira! Aproveitem e me usem!

Ahhhhhhhh, e só para manter voces informadas, eu e Donna nos falamos quase todos os dias! Acho que vou voltar para as Américas antes do que imaginava!! Conto novidades mais pra frente! ;***

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Este post tem um comentário

  1. Helena

    Aee’ faz dias que espero esse post kk Tomara que o proximo nao demore.. Intão, você e a Donna vão se encontrar de novo? E já que vcs estão solteiras (eu acho) kk ,vc pretende ficar cm ela ? (Nem sou curiosa né) kk

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.