50 Tons da Vida – Cap 11

tumblr_mjeydaV69f1s2du7fo1_500E então, estamos de volta! Resolvi terminar a historia da Sra Almeida hoje!
Resumindo até aqui: conheci uma professora linda e brasileira, primeira aula foi sensacional, segunda aula ela faltou e eu fui atrás dela no dormitorio dos funcionarios, invadi o quarto dela, com o consentimento dela, logico! Conversamos a beça e no final ela admitiu pra mim que tinha uma noivA! Sim senhoras, uma noiva, do sexo feminino, mulher, contrario de homem! Ou seja, a linda da Diana, que vem a ser o nome de Sra. Almeida, gosta de mulheres! E aí vamos continuar o caso!

Pra quem não lembra, eu estava sentada na cama dela, numa distancia bem razoável quando aconteceu a historia do celular! A tal que ela admitiu que tinha uma ex noiva! Depois que ela me disse qual era o grau de parentesco da tal mulher no celular dela, eu fiquei meio sem reação e ela ficou de todas as cores possíveis de tão sem graça que estava. Acho que ela falou meio que sem pensar sobre a ex noiva. Passou alguns segundos e eu me recompus da reação exagerada e consegui fazer uma cara de triste por causa do “ex” mesmo que não estivesse nem um pouco triste e perguntei, finalmente

– Ela ficou no Brasil?

Acho que a Diana ficou até aliviada com a minha pergunta, isso significava que eu tinha encarado numa boa a notícia/bomba.

– Sim. Aliás, foi um dos motivos para eu aceitar dar esse curso. Precisava respirar.
– Que bom que você veio, no final das contas!

As palavras saíram da minha boca sem que eu conseguisse segurar, e foram junto com um sorriso bobo e safado ao mesmo tempo! MEU DEUS, quem era essa pessoa no meu corpo que estava, descaradamente, dando em cima da professora?? Cadê a vergonha que eu costumava ter? Enfim, se foi, e to feliz pra caralho que ela se foi!

Depois do diálogo beeeem revelador, senti um toque de leve na minha perna. Era o pé da Diana meio que fazendo carinho em mim. Fiquei toda arrepiada, mas disfarcei o máximo possível para que ela não percebesse a minha reação. Continuamos falando de amenidades, relembrando algumas coisas do Brasil, quando “sem querer” deixei minha mão escorregar e começar um carinho leve no pé dela. Nessa conversa rápida, descobri que ela era mais nova do que parecia! Tinha só 25 anos, mas era super dedicada a profissão, por isso era tão boa! Acabei contando que era gay, achei que dessa maneira ia deixar ela mais relaxada. E foi certeiro! Na hora que eu falei, o pé dela se aproximou ainda mais da minha mão deixando o carinho mais forte.

Em um certo momento que o papo tinha morrido, ela pegou o celular e começou a mexer nele, achei meio mal educado até, mas aí, depois eu entendi.

– Vem cá, vou te mostrar algumas fotos da minha família!

Nem pensei duas vezes, levantei e me encaminhei para sentar ao lado dela, encostada na cabeceira da cama, tirando o tenis e a meia no caminho. Sentei e coloquei as pernas para cima, esticando-as ao lado das dela, mas sem encostar, ainda. Ela começou a me mostrar algumas fotos no celular enquanto descrevia quem eram as pessoas. Para ser muito sincera, eu não escutei nada do que ela falava! Eu estava muito concentrada no movimento dos lábios dela enquanto ela falava, no cheiro dela que me lembrava um pouco uma menina que eu tinha ficado no Brasil! As mãos dela mexendo nas fotos do celular, os cabelos dela meio embaraçados jogados no ombro de qualquer maneira, era hipnotizante! Ela me deixava nervosa e sem ar.

Em algum momento da minha viagem ela deve ter me feito uma pergunta, porque ela virou o rosto na minha direção, como se esperando uma resposta e eu estava tão perto do rosto dela, supostamente vendo as fotos do celular que quando ela se virou para mim, nossos olhos estavam a poucos centimetros de distancia e nossas respiracoes se misturavam no ar. Eu senti que ela ficou um pouco ofegante e enquanto nossos olhos estavam presos um no outro, percebi que ela desligava a tela do celular e peguei um olhar rápido dela para a minha boca. Era tudo que eu precisava, eu sabia que ela queria também. Eu sorri, e antes que ela pudesse sorrir também, meus lábios já estavam no dela! Hoje em dia eu só consigo pensar em uma coisa, DA ONDE EU TIREI ESSA CORAGEM TODA??????

Bom, agora não importa a coragem, só sei que beijei mesmo e quer saber, ELA ME BEIJOU DE VOLTA!!!! Isso mesmo meninas do meu Brasil, Sra Almeida estava me beijando muito bem beijado, aliás, no quarto dela naquela noite de sexta feira! E não só nos beijamos, como fizemos tudo que tínhamos direito! Ela era uma delicinha! Eu já estava super confiante e segura depois das minhas noites com a Donna! E com a Sra. Almeida foi só para eu confirmar que estava sabendo tudo direitinho, a cansei bastante, modéstia a parte!

Nos encontramos todos os outros dias pelas duas semanas seguintes, fizemos sexo louco no quarto dela, nos agarramos no canto da sala de aula e demos beijos rapidos nos jardins secretos da faculdade! Mas sem dúvidas a melhor parte era quando eu fugia a noite e entrava no quarto dela escondida! Ela já deixava a porta aberta, até porque sabia que a única pessoa que tentaria entrar no quarto era eu. Teve um dia que entrei quando ela estava no banho. Nem pensei duas vezes! Tirei minha roupa toda e me arrastei em silêncio para o banheiro, surpreendendo Diana embaixo da água! Foi delicioso! Nosso banho foi o mais longo de todos!

Mas como tudo que é bom terminar, as duas semanas que restavam de aula dela acabaram e aí ela tinha que voltar ao Brasil! O vôo era no sábado, depois da última aula! Passamos a noite juntas fazendo sexo e trocando declarações fofas e ela se dizendo apaixonada! Era fácil na verdade as duas se envolverem por tudo que tínhamos em comum. A verdade é que a empolgação foi boa demais, mas quando ela foi embora a vida continuou e eu ganhei mais um nome no meu caderninho! (Depois vou contar qual é a historia desse caderninho tá?)

Volta e meia a Diana era convidada para dar cursos e palestras lá na faculdade e toda vez que ela ia a gente ficava! Da última vez, ela ia ficar só alguns poucos dias e só íamos ter uma noite juntas. Ela sempre ficava no alojamento dos funcionários, então eu sempre invadia o quarto dela! Nessa noite foi igual, entrei quando já tava tudo bem escuro, a surpreendi por trás, abraçando sua cintura e beijando sua nuca, já puxando sua blusa social e antes que ela falasse qualquer coisa, estavamos sem roupa na cama.

Depois ela veio me contar que estava namorando dessa vez, mas que nao resistiu a mim! Como eu disse, eu até que estava aprendendo bem direitinho!!

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Este post tem 5 comentários

  1. Helena

    Muito legal sua historia *–* Ja li todos capitulos e entro sempre pra ver se ja tem a continuação >.<

    1. Obrigada querida!!
      Pode deixar que vou continuar os capítulos! Já já tem mais, tá? ^^

  2. Jessie Wayne Silva

    quando vai sair o outro ?! super ansiosa amei *–*

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.