50 Tons da Vida – Cap 10

tumblr_mfpn9mSFvP1rwuj4qo1_500E então, continuando sobre a Sra. Almeida. A semana passou como devia, nenhuma novidade, nenhum grande acontecimento. Só a ligação da minha mae perguntando se eu ja tinha arrumado um namorado, o que quase me fez brigar feio com ela! Mas enfim, vamos para a parte boa né? Desde a outra sexta feira eu estava ansiosa pela minha aula com a Sra. Almeida de novo. Sonhei com ela quase todos os dias da semana, e nao parava de pensar naqueles cabelos vermelhos soltos, caídos pelo ombro, desenhando sua silhueta.

Enfim chegou a sexta! Nunca uma semana demorou tanto a passar!! Faltavam 15 minutos para comecar a aula e eu ja estava sentada no meu cantinho, dessa vez sem me importar com as pessoas estranhas, apenas olhando ansiosamente para a portinha no canto por onde os professores entravam. 6 horas. Nada da professora! Comecei a ficar nervosa, mas um atraso as vezes é normal né? 6:15 e nada! Não era possível! A maçaneta se mexeu! Finamente ela viria para o meu mundo! A porta se abriu junto com o meu sorriso, meu coracao estava inquieto e acelerado. Foi quando tive uma das maiores decepções da minha vida! Era o Sr. James, professor de historia. O que sera que tinha acontecido com a Sra. Almeida? Fiquei preocupada e tensa. Voltei a me encolher no canto da sala e assisti aquilo que parecia ser a maior aula do mundo! Resolvi que ia fazer algo para saber da Sra. Almeida e no final da aula fui perguntar para o professor, de uma maneira sutil e ate preocupada, o que nao era mentira, mas ok.

– Ela ficou muito doente de ontem pra hoje! Sorte que ela esta morando esse tempo aqui na faculdade, aí a enfermeira fica de olho nela.

Era tudo que eu queria saber. Decidi que ia descobrir onde era o quarto dela e iria fazer uma visita. So tinha uma pessoa que podia me ajudar com isso, Donna. Fui em direção ao alojamento dos monitores, aquele lá atras. Sempre me escondendo, porque, teoricamente os alunos nao podem saber onde ficam os funcionários que moram ali. Estava atras de uma arvore espiando em direção a porta de Donna quando uma movimentação no final do corredor me chamou atencao. Agradeci aos céus. Era a enfermeira saindo do quarto enquanto eu podia ver os cabelos vermelhos da Sra. Almeida fechando a porta. Era ali! Fiquei tao feliz que quase me entreguei ao pisar em uns galhos secos no chão.

Esperei a enfermeira se afastar bastante e sem nem pensar em o que ia falar, fui lá e bati na porta da Sra. Almeida. E como eu imaginava, não sabia o que falar na hora que ela abriu a porta. Além do susto que ela levou eu fiquei muito sem graca.

– Entra logo! Ninguem pode te ver aqui!

Pelo menos ela foi fofa e tentou me proteger né gente! Ate porque senão ela ia se ferrar tambem!

– Como voce descobriu o meu quarto? Esta tudo bem com voce?
– To ótima! Descobri meio por acaso, mas tava procurando a Sra! Fiquei preocupada quando me disseram que voce estava doente.

Depois de respirar fundo e se acalmar ela me respondeu com uma voz doce.

– Aqui dentro nao precisa me chamar de senhora! Me chama de Diana, que é o meu nome!

Foi ai que eu descobri o nome dela!

– Desculpa ter vindo aqui! Fiz sem pensar!

Eu realmente estava me sentindo meio mal por ter aparecido ali do nada! Logo quando ela estava doente!

– Tudo bem! Eu agradeço a preocupação! Fiquei feliz que voce sentiu minha falta na aula!

O riso de sem graca dela era maravilhoso! Até com aquela carinha de doente que ela estava, era linda!

– Você fez muita falta! O Sr. James é um porre!
– Não fala assim! Ele é um exímio historiador!
– Desculpa! É so que ele….não era a senhora né!?
– Agradeço o seu carinho! Os alunos americanos não sao muito de se relacionar com os professores! Sinto falta disso do Brasil!
– Eu imagino! Lá a gente se tornava amiga dos professores né? Eu gostava disso!
– Pois é, isso foi estranho no inicio. Ate voce aparecer e me lembrar como era lá!

A gente ficou contanto historias e rindo sentadas na cama. Diana estava encostada no travesseiro enquanto eu estava na ponta, o mais distante possivel! Nao queria fazer besteira né?

Lá pelas tantas, o celular dela tocou e como estava mais perto de mim, levantei para pegar para ela. O nome na tela nao me chamou atencao, mas o fundo de tela era dela com uma outra mulher, de cabelos curtos claros, abraçada, com rostos colados e sorrisos abertos. Entreguei o aparelho com aquilo na cabeca. Ela atendeu a ligação, era a mae dela, preocupada com a súbita doença da filha. Logo desligou, e ai ela viu a foto que estava no fundo de tela e quase ficou roxa de tao sem graca que estava! Nem olhar pra mim, olhou.

– Sua irmã?

Perguntei, ja sabendo que nao era!

– Minha ex noiva.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Este post tem 2 comentários

  1. Patricia

    Garota de sorte!

  2. Helena

    Nao vejo a hora de ver o proximo capitulo *uu*

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.