50 Tons da Vida – Cap 1

312515_459100707459219_478654810_n_largeA vida nem sempre é do jeito que gostamos. Eu tenho 24 anos, tenho um nome desses bem simples, vivo com meus pais e a principio sou uma garota normal! Com uma simples diferença de que sou gay. Não sei se por isso eu me torno anormal, ou algo do tipo, mas depois que eu descobri isso, as coisas ficaram meio estranhas, não só dentro de mim, mas fora também. As coisas mudaram, eu cresci e tive que encarar quem eu realmente era.

Quando eu era criança, era normal. É exatamente assim que meus pais costumam falar pra mim. Eu era normal. Tinha amigas, gostava de brincadeiras de crianças e nunca dei muito trabalho para os meus pais, no máximo, ir um pouco mal em matemática, mas fora isso, tudo normal. Quando eu fiz 14 anos, já tinha um computador, precário, desses que a gente ri quando lembra. Meus pais tinham dinheiro e podiam me dar algumas mordomias. Bom, nessa idade, eu estava descobrindo essas coisas de beijinhos, tesão, sexo e etc…Os professores davam uma pequena introdução na escola, mas eu descobri mesmo sozinha. Um dia caí em um site desses de sacanagem e nele tinha um vídeo caseiro de duas mulheres fazendo sexo. Resolvi assistir, já que não tinha mais ninguém acordado em casa. Estranhamente eu gostei mais daquele vídeo do que dos outros que eu já tinha visto.

Sou filha única, tudo sempre foi pra mim, acho que é por isso que eles sempre se perguntam ‘onde foi que eu errei?’ quando a discussão é a minha sexualidade. Já tentei milhões de vezes falar que não é culpa deles e blá blá blá. Depois da historia do vídeo, aquilo ficou martelando a minha cabeça, e um dia dormindo na casa da minha melhor amiga, tentei beija-la na boca, prometi que seria bom, mas ela se assustou, saiu correndo e contou aos pais dela, que contaram para os meus, que surtaram e me mandaram para a psicóloga. Na primeira consulta eu contei pra ela que era Gay e que isso não ia mudar. Ela sorriu e disse que ficava muito feliz por eu ter me descoberto tão cedo, até hoje ela é meu porto seguro em alguns momentos de desespero. Volta e meia corro pra ela!

Bom, ela conversou com meus pais, que não admitiram eu ser gay, me mandaram trabalhar fora do país, eu já tinha uns 16 anos já. Aí lá fui eu. Recente gay, sozinha longe dos pais, doida pra descobrir a vida. E eu fui descobrir, tudo que eu podia. O projeto “curando nossa filha” era pra durar 6 meses, mas eu só voltei com 20 anos, pra fazer faculdade! E nesses 4 anos, eu realmente descobri a vida, e pela primeira vez, resolvi contar. Então, sejam bem vindos, aos 4 anos que eu descobri, praticamente tudo. Do amor, a dor. Do riso, ao choro. Do sim, ao não. Da vida, a morte.

Desiree

Sapatão convicta. Nunca recuso uma cerveja gelada e batata frita. Amo samba, pagode, funk, etc. Me chama pro barzinho, pra baladinha, pra show... pode escolher, eu topo! Geminiana com ascendente em câncer.

Este post tem 6 comentários

  1. Deborah

    Adorei!! Que dia vem mai?

    1. Ja que voce pediu, no máximo ate amanha ta? Vou tentar postar hoje, mas se nao conseguir, amanha! 😉

  2. Kath

    To conhecendo o site agora rs (eu só lia pelo Nyah) e a primeira história que pego pra ler, para ser bem interessante pretendo acompanha-la.

    1. Ahhh, seja bem vinda Kath!!
      Espero que você goste das historias! Fique a vontade para ler tudinho!! rsrsrs!!

  3. manu

    to conheçendo agr! mas já procurei e lii quase tds já! acompanhando! amandoo! Parabéénss!!!

    1. Grupo HPM

      Obrigada Manu!!
      E seja bem vinda!! rsrsrs!
      Espero que continue gostando de tudo!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.