20 e poucos anos – Cap 5

Antonella apareceu ao pé da escada e gritou:

– Sam! Vá buscar outro barril de vinho. O daqui já está acabando. Vá rápido!

Samanta levantou-se mais que depressa e foi para a dispensa pegar o barril. De tanto ajudar a carregar mercadorias, Sam acabara ficando mais forte que as moças de sua idade, no entanto, ela só precisava rolar o barril até um carrinho e de lá levar até o salão. Enquanto ela o empurrava, o sorriso de Carina não saia de sua cabeça.

– O que está acontecendo com ela hoje? – pensou.

Levou o barril cheio para a festa e botou o vazio no carrinho. Entrou na dispensa e quando estava arrumando o barril em seu lugar a porta fechou. Ela virou-se rapidamente e se deparou com Carina passando a chave na porta. Carina tirou a chave da fechadura e a pôs dentro de seu vestido, entre seus seios.

– O que você está fazendo? – Perguntou Sam.
– Há tempos percebi como você me olha, Sam. Você não é uma garota normal. – disse Carina se aproximando devagar.

Involuntariamente, Sam começou a andar para trás.

– Do que você está falando? Sou uma garota assim como você. Visto-me assim apenas pela necessidade…
– Não, você não é. Você se veste como um garoto porque precisa e porque gosta. Enquanto as meninas estão a observar os rapazes, você está a observar as garotas, ou melhor dizendo, a observar a mim. Já tinha percebido você olhando para os meus seios mais vezes do que te puxei a orelha, Sam. Não era com inveja de garota, mas com admiração de garoto. Vindo dos moleques, eu ficava bem irritada, mas de você sempre achei engraçado. Hoje você olhou de um jeito que alguns deles o faziam e me deixava enojada.

– Desculpe! Eu…
– Mas por incrível que pareça, eu gostei.

sig_Gabi

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.