20 e poucos anos – Cap 12

Quando Carina chegou à escada que dava para o salão, se deparou com Samanta deitada sobre o balcão do restaurante. Ela estagnou logo no início da escada.
“Seria seu sonho uma visão?”

Samanta se mexeu. Também não estava conseguindo dormir. Ela mudou de posição, virando-se na direção da escada. Quando avistou Carina no escuro, não a reconheceu logo. Deu um grito de susto e caiu para trás.

Carina desceu as escadas correndo o mais silenciosamente que pôde e passou para o outro lado do balcão, sussurrando:

– Sam, Sam! Você está bem? Se machucou?
– Sim estou bem. Está tudo bem. – falou Samanta levantando-se.
– Que histérica! Quase você acorda toda a vizinhança.- disse Carina.
– E você? O que estava fazendo na escada, no meio da noite parada feito uma estátua? Qualquer um teria se assustado.

Sam sentiu um ardor no braço, passou a mão e quando a observou constatou que era sangue.

– Parece que não está “tudo bem”. É melhor cuidar disso, venha.
– Não parece ter sido grave…
– Pare de ser teimosa e venha logo. – falou Carina puxando Samanta pelo braço bom, afim de evitar mais perguntas a respeito de sua presença ali.

20epoucos_12

Carina foi até o quarto dos pais, que dormiam feito pedra, não tendo ouvido nada do que acontecera há pouco. Pegou curativos, levou Samanta para seu quarto e a fez tomar um novo banho, pois havia caído no chão engordurado do restaurante.
Depois de esperar que ela se secasse, Carina começou a cuidar do ferimento.

– Foi comprido, mas não foi fundo. – disse Carina.
– É. Já tive ferimentos piores.
– Mas afinal, o que você estava fazendo em cima do balcão, garota?

Samanta hesitou um pouco, então respondeu:

– Durmo lá quando tomo banho. Não é todo dia que tenho a oportunidade de ficar menos suja, então sempre que dá, passo a noite lá. – falou isso e passou uma das mãos nos cabelos.
– Entendo. – disse Carina reparando nesse gesto e depois voltando-se para os olhos de Sam. – Pronto, vai ficar bom logo. – acrescentou sem soltar o braço dela.

Samanta sustentou o olhar por alguns instantes, então os desviou para baixo. Carina desceu sua mão pelo braço de Sam e começou a acariciar a mão dela, levemente.

– Tive uma ideia. – disse Carina – Que tal você dormir hoje aqui em meu quarto? Assim poderá ficar limpa por mais tempo. Não é o que você quer?

Samanta teve um misto de sentimentos, mas os que gritavam mais alto eram o medo e a excitação, ambos pelo que poderia acontecer alí, naquela noite.

 

Está gostando do rumo da história? Ansiosa e nervosa com o próximo capítulo? Deixe seu comentário e faça a autora feliz!!

sig_Gabi

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.