Search for content, post, videos

Só um bilhete

Oi Marcela,

ouvi seu recado na secretaria eletrônica. Quer dizer que agora você tem uma coluna no jornal? Eu não ligo, mas fui correndo comprar pra ler.

Você encontrou a Ana na rua né? ela me falou. Me falou inclusive que você estava se drogando. Fala sério né Marcela, já passamos dessa fase. Ela não me disse por dizer, me disse porque eu perguntei, quis saber se você estava seguindo as filosofias que anda pregando por aí, ou sendo só mais uma que só faz o que deve quando outros estão fazendo e também o contrário.

Pergunta prá Jessica, aquela sua amiga lá no grupo de apoio, como fiquei quando tive oportunidade de te levar pra lá, eu sabia que seria um tratamento caríssimo e que não cabia no meu orçamento, mas me propus a pagar pra você. Só pra te ver bem, Marcela.

Achei engraçado você falar de início de relacionamento, lá quando você disse gostar de sexo casual, quando mentiu pra mim sua idade e situação acadêmica, lá quando você me dizia no telefone até do que mais gostava de fazer no sexo, pra depois eu descobrir que era virgem.

​Parece que você é tão dissimulada quanto eu não é? Falava com maturidade sobre relacionamento, depois descobri que namorava a distância, alguém que conheceu numa comunidade online de anônimos… Deve ser por isso que sabia tão pouco sobre relacionamentos, acho que aprendeu na marra que a vida real é bem diferente de anonimato online.

Não quero brigar Marcela. Não insisti.

Porque você sempre veio com papinho de: Não gosto de falar de mim, vamos falar sobre você… me diga o que sente… como você esta… esta chorando porque? e tantas outras coisas. Quando eu perguntava era sempre: “Estou bem e você? me fala mais! ” Marcela pra mim é preto no branco, se eu te pergunto como esta e você me diz “bem” pra mim é bem! e fim de papo, então não venha agora dizer que não me importei.

Aaa, quanto a Lu, não viajei 500km pra vê-la, pelo mesmo motivo que não viajava 50 pra ver você, ainda preciso tratar essas fobias loucas que adquiri na infância. E quanto a Terezza (você escreveu errado no jornal, é com 2 z`s), você tem razão, eu jamais a deixaria só qualquer que fosse a circunstancia. Inclusive, eu viajaria os benditos 500 km se necessário fosse, e a Lu sabe bem disso e respeita.

Marcela gosto tanto de você que você nem pode imaginar.
Ouvi seu recado na caixa postal, li sua coluna no jornal, e fique tranquila que não procurarei mais por você, na verdade essa carta era só um bilhete!

sig_natasha.png