Search for content, post, videos

Ressaca

Eu não era uma mulher de bares. Mas aquela noite eu me encontrava em um, sentada no canto, observando as pessoas de longe com um copo de cerveja na mão, já era a segunda rodada e provavelmente eu ficaria bêbada em poucos segundos. Sozinha e em um bar desconhecido.

Na minha frente tinha um grupo de amigas, que se divertiam e gritavam como crianças. Como elas conseguiam estar tão felizes em uma segunda à noite? Era quase impossível. Meu dia estava um saco, cheio de trabalhos atrasados e no dia seguinte tinha uma turma a encarar. Sempre chegava pontualmente às 8 horas e eles não gostam muito. Mas o que eu poderia fazer? Eu era pontual.

As meninas na minha frente pareciam estar comemorando o aniversário de uma delas, que estava no meio e usava um chapéu de aniversário da peppa pig. Ela tinha os cabelos negros e ondulados que escorriam pelas costas. Tinha um brilho do olhar, provavelmente por considerar um dia especial. Eu odiava meus aniversários, nunca fazia nada especial, preferia ficar em casa assistindo série ou comendo bolo. Foi nesse momento que as amigas da aniversariante chegaram com um cupcake rosinha, com uma única vela no centro e começaram a berrar “parabénsssss para você”. Seria a menina fissurada por peppa pig? Era um desenho tão infantil. Deveria ser alguma piada interna delas.

O resto da noite da continuou, comigo sozinha na minha mesa e acabando ficando em um entorpecimento devido à bebida, não conseguia identificar nem as horas mais naquele momento. As meninas já estavam um pouco bêbadas também, pulavam e gritavam empolgadas, e eu continuava a observa-las.

Levantei para ir ao banheiro depois de algumas horas, quando estava com a mão na maçaneta, a aniversariante apareceu do meu lado, me lançou um sorriso e disse: “Você é muito gata, vem sempre aqui?”. Lancei-lhe um olhar confuso ao mesmo tempo em que ela cochichava: “Fiquei a noite toda te observando, e minhas amigas duvidaram que eu viesse falar com você.” Ela direcionou o olhar as amigas e deu um tchauzinho. As meninas soltaram diversos sorrisinhos bêbados, acenaram e continuaram a conversar.

Acenei de volta para as amigas dela e mais de perto, comecei a perceber o quanto ela era bonita. Tinha os olhos verdes e usava um batom roxo bem forte nos lados. Tinha uma expressão de menina travessa e parecia ter um olhar de desejo. Então em vez de respondê-la, a puxei pelos cabelos e a beijei. Tinha quase certeza que isso era reação da bebida, porque normalmente eu costumava ser mais contida. Beijei-a como se fosse a primeira vez que tivesse beijado uma mulher, nos primeiros instantes ela apareceu surpresa e um pouco tensa, mas ao poucos foi se soltando e me empurrando para dentro do banheiro, me fazendo entrar aos tropeços. Ela me beijava com desejo e muito intensidade, todos os pelos do meu corpo começaram a se arrepiar, depois do que pareceram horas, ela me soltou ou foi eu a solta-la, eu não sei mais.  Fiquei paralisada olhando para o rosto daquela menina que parecia um anjo, ainda inebriada pelo beijo. Ela abriu um sorriso para mim e saiu antes que eu dissesse uma só palavra.

Ela voltou para curtir o resto da noite com as amigas, enquanto eu caminhei lentamente até minha mesa, peguei meu casaco, paguei minha conta e fui embora. Na manhã seguinte, quando cheguei a curso para iniciar minha aula, recebi a notícia que uma menina nova havia sido transferida para minha sala. Entrei na minha sala pontualmente como de costume, iniciei minha aula com os alunos, quando uma menina bate na porta e pede licença. Dou permissão, quando meus olhos encontram os dela, reconheço-a imediatamente. E agora ela seria apenas uma lembrança do que foi uma das minhas melhores noites de ressaca. E eu nunca cheguei a entender o motivo da decoração com o tema peppa pig.

*Me siga no instagram: @brunafentanes*

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.