Menu fechado

QUANDO MENOS SE ESPERA – Capítulo 45

Em meados de outubro, Agnelo e Júlia combinaram de fazer uma viagem romântica para comemorar os quarenta e oitos anos dele. O advogado tinha convencido a esposa de viajarem durante alguns dias ao invés de organizar uma grande festa como acontecera no ano anterior.

As filhas não poderiam acompanhá-los devido à faculdade de Valentina e à escola de Amanda, que intensificara, ainda mais, os estudos para o Enem.

No momento em que eles jantavam na véspera da viagem, Agnelo comentou:

– É uma pena vocês não poderem viajar com a gente! Vou passar meu aniversário longe das minhas garotas preferidas! – sorriu para a filha e para a enteada.

– E eu não estou entre as suas garotas preferidas? – Júlia questionou o marido fingindo chateação.

– Meu amor, você não é uma garota… – ele sorriu segurando sua mão.

E Júlia o interrompeu:

– Ainda por cima me chama de velha!

– Não! Você não é uma das minhas garotas. Você é a mulher da minha vida!

A declaração fez Júlia abrir um largo sorriso, aproximar-se do marido, beijar-lhe os lábios com paixão e depois comentar:

– Agora sim!

Valentina e Amanda assistiam a cena romântica entre os pais com vontade de poderem, também, expressar o amor que elas sentiam uma pela outra.

– A gente… Eu – retificou Amanda – também acho uma pena não poder fazer essa viagem com vocês! Mas vai ser por uma boa causa! Porque o Enem já tá aí… Então, preciso dar o último gás nessa reta final…

– É, você tem razão, Amanda! Mas tenho certeza que você vai conseguir!

Amanda sorriu para o padrasto e agradeceu:

– Obrigada pelo apoio, Dr. Agnelo!

Em seguida, Valentina perguntou ao pai:

– E quanto tempo vocês vão ficar fora mesmo?

– Quinze dias… Foi o que consegui tirar de folga do escritório…

Valentina e Amanda fingiram receber aquela notícia com naturalidade, mas por dentro elas estavam em êxtase, porque teriam a casa somente para elas por duas semanas inteiras.

***

No dia seguinte, domingo de manhã, Valentina e Amanda se despediram dos pais e, na ocasião, receberam milhares de recomendações, como se elas ainda fossem duas crianças.

Rosa havia se despedido dos patrões mais cedo quando saiu para visitar sua irmã. Portanto, os quinze dias de liberdade total que elas teriam começariam naquele domingo!

Assim que os pais tomaram o táxi em direção ao aeroporto, Valentina e Amanda começaram a matar a saudade que estavam uma da outra depois de dias sem poderem se tocar.

Praticamente correram para o quarto de Valentina, de onde não saíram até o dia seguinte de manhã quando tiveram que acordar cedo para irem à faculdade e à escola. Se dependesse de Valentina, elas teriam faltado o dia de aulas, mas Amanda conseguiu convencê-la a ir à faculdade.

– Amor, a gente vai ter quinze dias pra aproveitar! Não precisamos faltar às aulas!

– Hum. – Valentina grunhiu. – Tá bom! – ela conseguiu finalmente se levantar da cama.

E, assim, a primeira semana se passou. Todos os dias, elas dormiram juntas, revezando seus quartos. Acordavam cedo e iam para suas respectivas aulas. Amanda não havia deixado Valentina faltar a nenhum dia de faculdade.

À tarde, elas se juntavam no quarto de Amanda para estudar. Ela ficava na escrivaninha e Valentina sentada em sua cama. Apesar de não aguentar o ritmo de estudo da namorada, Valentina não atrapalhava e esperava Amanda finalizar as metas de estudo do dia, lendo um livro ou apenas escutando música em seu celular com os fones de ouvido para não fazer barulho.

Na quinta-feira, dia do aniversário de Agnelo, elas ligaram para ele e lhe desejaram os parabéns. Valentina foi a primeira a falar com o pai e, depois, passou o telefone para Amanda, que aproveitou a oportunidade e agradeceu tudo que o padrasto já havia feito por ela. Enquanto isso, Valentina sorria enamorada pelo espírito de gratidão da namorada.

No sábado, depois do curso de violão de Valentina e do de francês de Amanda, elas fizeram uma reunião em casa com os amigos de ambas, com o objetivo de fazê-los se conhecerem melhor e estreitarem os laços. Seria um almoço sem hora para acabar, como disse Valentina na ocasião do convite.

Com exceção de Leonardo, que era o único que sabia sobre o relacionamento delas, o restante dos amigos achava que elas estavam apenas se tornando amigas.

Assim, por volta do meio-dia, os amigos começaram a chegar. E dentro de instantes, Caio, Roberta, Sabrina, Leo e Edu – os amigos de Valentina – e Isabela, Maria Clara e Samara – as amigas de Amanda – estavam todos juntos sentados à grande mesa de jantar da casa de Agnelo.

Disfarçar o namoro para Agnelo e Júlia demandava de Valentina e Amanda muita energia, tornando a situação bem difícil para as garotas. Para diminuir a tensão daquela conjuntura nada favorável para elas, combinaram de mostrar aos amigos que agora eram amigas. Acreditavam que a convivência com eles conjuntamente trouxesse para suas vidas um pouco mais de leveza, pois elas poderiam passar mais tempo juntas.

Assim, a refeição dos dez jovens foi regada a conversas e risadas barulhentas sempre às vistas de Rosa, que aparecia na sala para ver se tudo estava em ordem. Valentina e Amanda evitaram ficar próximas, mas sentaram-se uma de frente a outra, o que oportunizou as trocas de olhares e os sorrisos entre elas.

Depois do almoço, o grupo se dividiu: Valentina, Amanda, Sabrina e Isabela ficaram sentadas nos sofás da varanda; e Samara e Maria Clara foram para a piscina com Leo, Edu, Roberta e Caio.

Sem perder tempo, Eduardo começou a jogar seu charme rebelde para Samara, enquanto Leo conversava com Maria Clara e Caio e Roberta namoravam numa das bordas da piscina.

Durante a conversa, Amanda pediu licença às outras garotas e entrou na casa. Na mesma hora, Isabela seguiu a amiga e quando a alcançou, pediu:

– Amiga, posso falar com você um instantinho?

– Claro. Pode ser aqui? Ou prefere algum lugar mais reservado?

– Acho melhor no seu quarto…

Amanda estranhou o jeito misterioso de a amiga falar e disse:

– Tá. Deixa eu só pegar um copo d’água… Tô morrendo de sede!

Então, depois de pegar o copo com água, elas se dirigiram ao quarto de Amanda. Assim que fechou a porta atrás de si, Amanda escutou a pergunta da amiga:

– Tá acontecendo alguma coisa entre você e a Valentina, amiga?

Instantaneamente, Amanda empalideceu e seu estômago embrulhou. Não entendeu o porquê de a amiga estar perguntando aquilo. “Será que não disfarçamos tão bem assim?”

– Por que você tá perguntando isso, Isa? – tentou disfarçar.

Isabela se sentou na cama de Amanda e falou:

– Eu posso não ser tão experiente e esperta, Amanda, mas também não sou burra! Sei que a Valentina gosta de garotas. Inclusive, muitas pessoas na escola sabiam disso…

Imediatamente, Amanda a interrompeu:

– Sim, e só porque ela gosta de meninas, eu tenho que ter alguma coisa com ela? Nada a ver, amiga!

– Claro que não, Amanda! Você tá diferente! Primeiro, quase não participa mais das coisas da igreja… No dia do churrasco, no feriado, percebi os olhares entre vocês! Depois, você ficou jogando o Gabriel pra cima de mim com a desculpa de não querer namorar, de tá focada nos estudos. E, além disso, teve uma hora que vocês sumiram do churrasco! Fora isso tudo, vi os olhares e sorrisinhos entre vocês hoje nesse almoço, que eu achei super estranho, diga-se de passagem, porque nunca fomos amigas dessa turma da Valentina… Aí liguei os pontos e cheguei a essa conclusão, mas confesso que ainda tô sem acreditar…

Amanda estava completamente embasbacada! Não sabia o que dizer para a amiga. Estava com medo de confirmar seu namoro com Valentina e Isabela não compreender. Depois de alguns instantes de silêncio, Isabela falou:

– Fala, Amanda! Minha conclusão tá certa mesmo?

Então, em um rompante de coragem, Amanda suspirou e balançou a cabeça afirmativamente.

– Eu não acredito, Amanda! Você tá me dizendo mesmo que tá namorando a Valentina? Meu Deus! Como isso pode ter acontecido?! Há quanto tempo?

– Há uns meses…

– Meses?! Amiga, como você deixou isso acontecer?! Essa garota não é boa influência!

Irritada, Amanda falou:

– Ela não me influenciou, Isabela! Nós nos apaixonamos! Simples assim…

– Simples?! Não tem nada de simples nisso, Amanda! Ela tá te levando para um mundo de pecados! – silenciou alguns segundos – Você sabe que vai pro inferno, né, com essa sua vida?

– É uma pena você pensar assim, amiga!

– Você também pensava assim até um tempo atrás!

– É verdade, mas não penso mais. Evolui, sabe. Li muito sobre isso, me informei e não acredito mais em um Deus que me condenaria por amar alguém, independente do sexo da pessoa. E não acredito mais que eu vá pro inferno por amar uma mulher! O meu Deus não é assim!

– Amar?! Meu Deus, a situação é pior do que eu imaginei! Aonde foi parar minha amiga, hein?! Essa garota só pode ter feito uma lavagem cerebral em você!

– Isabela, para de falar besteira! Isso não existe! Ela não fez nada disso comigo!

– Eu não tô falando besteira, Amanda! Você tá com raiva, porque tô falando a verdade! Essa Valentina é pior do que eu pensei! Além de pecar gravemente, quer levar você junto pra esse mundo de pecado e promiscuidade!

Ao ouvir aquilo, Amanda fechou os olhos, respirou profundamente e falou com os dentes cerrados, demonstrando toda a sua raiva:

– Isabela, sai daqui agora!

Atônita, a amiga, que nunca tinha visto Amanda com um semblante tão furioso, perguntou:

– Como é, Amanda? Você tá me mandando embora por causa dessa garota nojenta, é isso?

Amanda não respondeu, apenas falou mais uma vez, agora com o tom de voz mais alto:

– Isabela, sai daqui agora antes que eu faça uma besteira!

– Vou embora mesmo! Eu que não quero ser amiga de sapatão! Que nojo!

Então, a garota saiu do quarto de Amanda e foi embora.

Amanda respirava com dificuldade, enquanto lágrimas escorriam pelo seu rosto. Naquele momento, ela havia acabado de perder a melhor amiga.

***

Instantes depois, Isabela passava como um furacão pela varanda em direção ao portão de saída. Da piscina, Samara perguntou se ela já estava indo embora, mas não obteve resposta da enraivecida garota, que saiu batendo a porta.

Ao ver o jeito que a amiga de Amanda saiu da casa, Valentina pediu licença para Sabrina e foi ao encontro da namorada. Achou-a aos prantos deitada na cama do seu quarto.

– O que aconteceu, meu amor? – Valentina perguntou sentando ao lado de Amanda e acariciando-lhe os cabelos.

– A Isa descobriu o nosso namoro e…

– E não aceitou. Foi isso? – Valentina complementou.

– Foi… Ela me falou tanta coisa ruim, amor, que eu fiquei arrasada!

Então, deitando-se ao lado dela, Valentina falou:

– Primeiro de tudo, amor, ela não tem que aceitar nada! Segundo, você não merece uma amiga como ela, que esquece toda a amizade por causa de um detalhe da sua vida que só diz respeito a você…

– Por um momento, pensei que ela fosse minha amiga de verdade… – Amanda desabafou chorosa.

– Pois é. Mas tem gente que só é amiga de alguém quando esse alguém se encaixa perfeitamente em seus conceitos conservadores… Ela não merece sua amizade! Num segundo ela esqueceu tudo que vocês já viveram nesses anos todos. E tudo porque você ama alguém que ela acha que você não deveria amar…

Amanda fungou e disse limpando as lágrimas:

– Eu achava que tava preparada para os preconceitos que iria sofrer, mas acho que não tô…

– Na verdade, amor, ninguém nunca tá… Além disso, ela era sua amiga! E mesmo se ela fosse uma pessoa desconhecida ou que você não tivesse amizade, você se sentiria triste também! Infelizmente! – Valentina lhe beijou o topo da cabeça – Mas saiba que eu vou tá sempre aqui pra te apoiar, meu amor… Quer dizer, vamos apoiar uma a outra. As coisas ruins que nos acontecem é pra nos deixarmos mais fortes!

– Por que é que tem que ser assim, né? A gente não tá fazendo mal a ninguém… Poxa, a gente só se ama!!! Que mal tem nisso?! Amar alguém não era pra causar tanto ódio assim nas pessoas…

– Também me pergunto a mesma coisa… Eu acho que pessoas assim ou são muito mal amadas ou são fundamentalistas religiosos! Ah, fora as que são gays enrustidas, que não tem coragem de viver o que são e ficam enlouquecidas com as pessoas que saem do armário e têm coragem de ser felizes!

– Infelizmente, você tem toda razão, amor!

– O mundo é muito louco! Como diz a música ‘Relicário’ do Nando Reis: “O mundo está ao contrário e ninguém reparou!”.

– Eu acho que sempre esteve ao contrário… Mas não é o mundo que é assim. São as pessoas que fazem ele ser assim! – Amanda filosofou.

– É mesmo…

Durante alguns instantes, elas permaneceram em silêncio. Em seguida, Valentina sugeriu:

– Vamos voltar lá pra baixo, amor… O povo já deve tá estranhando nossa ausência…

– Vamos! Não vou ficar aqui triste por causa de uma pessoa que não merece minha amizade!

– É assim que se fala! – Valentina falou e beijou a namorada delicadamente.

Depois do beijo, Amanda comentou se levantando:

– Vamos descer logo, porque, se você continuar me beijando assim, a gente vai demorar ainda mais!

– Agora eu quero demorar mais! – Valentina gracejou.

– Não, amor! Vamos… – Amanda falou puxando a mão da namorada.

– Humphf! Agora não quero ir mais…

***

Instantes depois, elas se juntaram novamente a Sabrina, que perguntou o que havia acontecido e Amanda, supreendentemente, respondeu com naturalidade:

– Eu e a Isa brigamos, porque ela não entendeu meu namoro com a Valentina!

Ao invés de tentar esconder ainda mais seu namoro com Valentina, depois que a amiga descobriu, Amanda teve uma reação diferente: ficou com vontade de gritar para o mundo que amava a namorada! Queria que permanecesse em sua vida só quem a entenderia por completo! Infelizmente, só não poderia fazer isso com todo mundo e nem com a mãe… Pelo menos, não naquele momento!

– Ãh? – boquiaberta Sabrina arregalou os olhos.

– Amanda… – Valentina falou completamente estarrecida com a namorada.

– É isso que você ouviu, Sabrina! Eu e a Valentina estamos namorando há uns meses… Você tem algum problema com isso?

– Não, claro que não, Amanda! Só tô muito surpresa!

– Amor, calma… – Valentina conseguiu dizer.

– Calma não, amor! Cansei! Cansei de esconder dos nossos amigos… Já não basta o esforço enorme que a gente faz pra esconder dos nossos pais?! Poxa! Isso tá me desgastando muito! Acho até que envelheci!

– Gente, mas vocês não precisam mais esconder pra gente não. Valentina – Sabrina olhou para ela –, você sabe que seus amigos te apoiam, né? A gente sempre soube que você gostava de meninas e isso nunca foi obstáculo para nossa amizade com você.

– Eu sei, Sah! Mas escondi de vocês com medo de acabar chegando aos ouvidos dos nossos pais… E, além disso, pensei na Amanda, porque tudo é muito novo pra ela…

– Então, ninguém sabe de vocês?! Tirando a Isabela? – Sabrina perguntou.

– O Leo sabe. – Valentina disse.

– Ele tem nos ajudado muito… – Amanda falou.

– Ah, a Rosa também sabe… – Valentina enunciou.

– A Rosa?! – Sabrina falou supresa. – Que legal! E ela é tranquila?

– Demais! Ela também nos ajuda… Já nos tirou de uns sufocos… – Valentina riu.

– Foi a Rosa que me ajudou a perceber que o que eu estava sentindo pela Valentina não era pecado… – Amanda sorriu ao se lembrar da conversa com a ex-babá.

– Ah, meninas, que legal ver vocês felizes assim… É bem estranho ver a Valentina apaixonada! – Sabrina riu.

– Sah?! – Valentina exclamou.

– E não é verdade?

– Ela tá certa, amor… – Amanda falou sorrindo para a namorada.

– Isso é um complô! – Valentina riu.

– E também é inacreditável saber que logo vocês estão namorando… – Sabrina riu.

– É, a gente também quase não acreditou que gostava uma da outra, né amor? – Valentina perguntou.

– Nossa! Foi bem louco! – Amanda riu.

– Meninas, eu só digo uma coisa: acho legal vocês dizerem pros amigos, mas evitem dizer pro Edu. Sei lá… Não sei se ele manteria o bico fechado, sabe.

– É… Também acho. É melhor mesmo. – Valentina concordou.

– Vou aproveitar o ensejo e ver se realmente eu tenho amigas de verdade. Vou contar pra Sam e pra Clarinha… – Amanda falou resoluta.

– Você tem certeza, amor?! E se elas…

– Se elas tiverem a mesma reação da Isa, trato de arranjar novas amigas!

E, assim, Amanda se levantou e chamou as amigas para conversarem em seu quarto. Chegando lá, Sam perguntou o que havia acontecido com ela e Isabela.

– Ela soube de uma coisa da minha vida e não gostou. E me disse coisas horríveis, que me fez mandar ela ir embora.

– Nossa! O que foi? – Sam perguntou.

– O que você tá escondendo, Amanda? – Maria Clara perguntou curiosa.

Amanda respirou profundamente. Não tinha mais como voltar atrás. Então, sem rodeios, ela disse:

– Eu tô namorando a Valentina.

– O QUÊ?! – as amigas falaram em uníssono.

– Foi isso que Isa descobriu. Aí eu confirmei e brigamos. Acho que nossa amizade acabou. – Amanda falou tristonha.

– Caramba! Não acredito! Que selvagem, Amanda! Não sabia que você era…

– Olhe o que você vai falar, Sam! – Amanda falou.

Pegando nas mãos de Amanda, Maria Clara proferiu:

– Amiga, não vou mentir que tô muito supresa com essa declaração. Mas não quer dizer que eu vá deixar de ser sua amiga! Pelo contrário. Te admiro ainda mais pela coragem! E se a Isa não conseguiu entender, o problema é dela… Ela quem perde uma amiga maravilhosa! – ela abraçou Amanda.

Nesse momento, Samara se aproximou das amigas e, concordando com Maria Clara, disse:

– Faço minhas as palavras da Clarinha. E não se preocupe de jeito nenhum que você não perderá nossa amizade, tá?! Nós te amamos, amiga!

Assim, elas se abraçaram e Amanda se regozijou com as declarações das amigas. Estava se sentindo novamente feliz!

Samara se desvencilhou do abraço e comentou:

– Eu até entendo, sabia? O beijo de menina é bem gostoso mesmo!

– Como assim? – Amanda perguntou supresa.

– Ah, eu nunca disse a vocês, mas uma vez beijei uma menina. Foi naquela viagem que fiz pra Inglaterra nas férias. Mas foi só um beijo… Foi bom, mas continuo preferindo os meninos… – ela riu.

– Só eu não sei como é! – Maria Clara falou fazendo as amigas rirem.

– Ah, Sam, você sempre foi a mais louquinha de nós três! E eu te amo exatamente por causa disso! – Amanda falou para a amiga. – Amo você também, Clarinha! – ela abraçou as amigas novamente.

***

Enquanto isso, Valentina anunciava o namoro dela com Amanda somente para Caio e Roberta, pois seguiu o conselho de Sabrina e não disse nada para Eduardo. E, como já era de se esperar, os amigos foram completamente receptivos.

Ao ver Amanda e as amigas voltarem para o deck conversando e rindo, Valentina percebeu que tudo estava bem e ficou muito feliz pela namorada.

Então, todos ficaram juntos alegremente conversando e tomando banho de piscina.

Certo momento, Rafael apareceu e Leo o apresentou para a turma apenas como amigo. Samara acabou ficando com Eduardo, para receio de Valentina. No entanto, Amanda acalmou a namorada dizendo que pediu para a amiga não comentar nada com ele.

Já tinha anoitecido quando Amanda e Valentina estavam sentadas na borda da piscina e observavam os amigos juntos conversando e brincando.

– Hoje foi um dia e tanto, hein, amor?! – Valentina comentou.

– Foi mesmo… E, apesar de ter brigado com a Isabela, tô bem feliz e me sentindo leve… A Sam e a Clarinha foram umas fofas comigo…

– Eu também adorei abrir o jogo pra galera… Falta só o Edu. Que é um idiota, mas até que tenho um carinho por ele! – Valentina riu.

– A Sam parece que tá tendo carinho por ele também! – Amanda falou rindo e apontando com o olhar os amigos, que se beijavam com vontade.

– Queria que o Edu namorasse uma garota que colocasse ele nos eixos! Imagina se essa namorada for a Samara?! – Valentina comentou.

– Sei não… Só não quero que ele faça minha amiga sofrer…

– Se ele fizer isso, dou uma surra nele! – Valentina disse brincando.

– Nossa, que namorada violenta essa que eu tenho! – Amanda sorriu para a namorada.

– Violenta não… Só protejo meus amigos… Principalmente, as mulheres!

– Espero que não chegue a tanto! Odeio brigas! Mas é lindo esse cuidado que você tem com seus amigos…  – Amanda sussurrou – Isso me deixa mais apaixonada!

Elas se entreolharam e sorriram uma para a outra. Então, Valentina sussurrou:

– Te amo!

– Eu também!

***

Por volta das nove horas da noite, os amigos das garotas foram embora e, naquela noite, elas dormiram no quarto de Amanda. Apesar de as garotas serem discretas, Rosa sabia que elas estavam dormindo juntas todas as noites na ausência dos pais. E a governanta jamais cogitou a ideia de atrapalhar o clima de romance de sua menina com a namorada.

***

A segunda semana de ausência de Agnelo e Júlia transcorreu tranquilamente. Pela manhã, Valentina ia à faculdade e Amanda à escola. À tarde, encontravam-se para estudar um pouco e, depois, assistiam a um filme ou a uma série, ou apenas conversavam ou brincavam com uns jogos de tabuleiro que Valentina adorava desde criança.

Em apenas poucos dias, elas já estavam acostumadas a dormirem e acordarem juntas. Não imaginavam a falta que isso faria quando Agnelo e Júlia voltassem.

Na sexta-feira de manhã, Rosa avisou as garotas que, naquele dia à noite, iria para a casa da irmã e só voltaria domingo à tarde.

Com essa notícia, Valentina pediu a Rosa para dispensar, também, todos os outros empregados na sexta. Como o pai e Júlia só estariam de volta no domingo à tarde, ela aproveitaria para curtir intensamente os últimos dias com Amanda.

No sábado, acordaram cedo e passaram o dia juntas. Primeiro, elas foram para a academia da casa, onde Amanda dançou, enquanto Valentina correu na esteira e fez alguns outros exercícios. Depois de uma hora e meia na academia, Amanda falou ofegante:

– Já chega! Vamos tomar banho e continuar vendo aquela série?!

E Valentina concordou. Então, ao chegarem à frente da porta de seus quartos, Amanda disse:

– Se você terminar primeiro vem no meu quarto, tá?

– E que tal se a gente tomar banho juntas?! – Valentina sorriu maliciosa.

– Hum, adorei a ideia! – Amanda falou abraçando a namorada e lhe beijando levemente os lábios.

Em seguida, elas se dirigiram até o banheiro de Amanda. O banho foi regado a muita espuma, beijos, carícias e gozos intensos.

Quase uma hora depois, elas saíram do banho e foram para o home cinema, onde ficaram assistindo tv até a hora do almoço, momento em que pediram comida em um restaurante próximo.

Depois de almoçarem, elas voltaram para o home cinema e colocaram um filme para assistir, mas logo acabaram adormecendo.

Quando acordaram, no meio da tarde, Valentina sugeriu que elas fossem montar um quebra-cabeça que ela tinha ganhado no aniversário e nunca havia montado. Amanda adorou a ideia e elas foram para a varanda, onde se sentaram no chão e começaram a montagem do quebra-cabeça de mil peças.

Enquanto montavam, elas conversaram, riram, trocaram carinho e se sentiram muito felizes. Para ambas as garotas, aqueles quinze dias tinham sido os melhores momentos que elas tiveram até ali, pois puderam se sentir como um casal de verdade. Infelizmente, o mascaramento do namoro teria que ser retomado no dia seguinte.

Já era tarde da noite quando elas, finalmente, terminaram o difícil quebra-cabeça. Logo depois, recolheram-se ao quarto de Amanda, onde, após tomarem um relaxante banho, elas se deitaram para dormir. Entretanto, antes de o sono levá-las para o adormecimento profundo, elas se provaram apaixonadamente mais uma vez.

***

 

– Amor, ainda bem que deu certo anteciparmos o voo! – Júlia comentou ao entrarem em casa.

– Foi melhor mesmo virmos mais cedo. – Agnelo disse sério.

– Tem certeza que o problema no trabalho não é tão grave, amor? – Júlia perguntou preocupada.

– Tenho, meu amor! É só porque esse processo é um daqueles grandes, que envolve gente poderosa e muito dinheiro. Por isso, quis voltar mais cedo pra fazer essa reunião logo hoje! Vou ligar pros meus sócios e depois vou pro escritório.

– Hoje é domingo, Agnelo! Vai abrir o escritório pra fazer uma reunião? Chame-os pra cá. É melhor! – Júlia olhou no relógio de pulso. – Como já são quase onze horas, eu posso fazer um pedido naquele restaurante que você adora.

– Ótima ideia, meu amor! – Agnelo gostou da sugestão da esposa.

– Serão quantas pessoas?

– Os dois sócios, eu, você e as crianças.

– Ok. Vou só avisar Amanda que a gente já chegou!

– Tá certo! Depois, vou avisar Valentina, que ainda deve tá dormindo…

Assim, Agnelo beijou os lábios da esposa e se dirigiu ao escritório. Júlia subiu as escadas em direção ao quarto da filha e falou, abrindo a porta do quarto:

– Bom dia, filha, resolv…

E seus olhos viram a mais improvável e reprovável das cenas de toda a sua vida.

Comente! ;)

Manda uma mensagem pra gente!